Red Bull diz que Mercedes acusou Verstappen de quebrar asa de Hamilton: “Inacreditável”

Mercedes acusou Max Verstappen de alterar carro de Lewis Hamilton após classificação, e Helmut Marko viu tentativa "inacreditável" de escuderia alemã

Max Verstappen confere asa traseira da Mercedes após classificação em Interlagos (Vídeo: Frederico Monteiro/Twitter)

Segue a polêmica do GP de São Paulo sobre a asa traseira do carro de Lewis Hamilton. Neste sábado (13), o consultor da Red Bull, Helmut Marko, revelou que a Mercedes acusou Max Verstappen de ter alterado a peça do britânico em regime de parque fechado como defesa para evitar uma punição ao heptacampeão. Em vídeo enviado ao GRANDE PRÊMIO, é possível ver o holandês encostando no carro #44 após a classificação da última sexta-feira, para a corrida sprint.

O dirigente austríaco classificou a acusação da escuderia alemã como “inacreditável” e garantiu que não acredita na possibilidade de que Max possa ter interferido no carro do britânico. “O mais inacreditável é que a Mercedes agora está alegando que Max danificou a asa traseira de Hamilton com seus dedos”, disse o consultor.

Após a classificação da última sexta-feira, que definiu o grid de largada da corrida sprint deste sábado, Hamilton foi convocado pelos comissários para dar explicações sobre uma possível violação técnica com sua asa móvel (DRS), que tinha uma abertura maior do que a permitida, assim rendendo mais velocidade nas retas.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

HELMUT MARKO; RED BULL; FÓRMULA 1; CONSULTOR DA RED BULL;
Helmut Marko diz que acusação da Mercedes sobre Verstappen é “inacreditável” (Foto: Mark Thompson/Red Bull Content Pool/Getty Images)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

No entanto, o vídeo de Verstappen tocando o carro da Mercedes após a sessão classificatória também fez com que o holandês fosse chamado a prestar esclarecimentos, pois ficou evidente que o #33 encosta na parte traseira do carro #44 da equipe alemã. As duas decisões, no entanto, foram adiadas para este sábado, antes da corrida sprint.

O chefe de equipe da Red Bull, Christian Horner, também falou sobre o assunto e diminuiu a reclamação da Mercedes. De acordo com o britânico, é um ato comum entre pilotos checarem os carros uns dos outros, principalmente quando um deles alcança velocidades acima do esperado, como foi o caso de Hamilton na classificação de Interlagos.

“Tivemos pilotos mexendo em nossas alavancas de marchas [no volante], cabeças dentro de nossos cockpits, asas dianteiras testadas, pneus forçados e carros empurrados. Então, não é algo incomum e a discussão nunca foi trazida até agora”, disse Horner.

“Eu acho, obviamente, que a velocidade de reta da Mercedes é impressionante, então acho que ele [Verstappen] quis dar uma olhada nisso. Pilotos são animais inquietos algumas vezes, já vimos isso várias vezes. Eu ficaria surpreso. Como disse, existem vários precedentes. É como se virasse algo comum para pilotos”, encerrou.

No fim das contas, mesmos com os apelos, Verstappen foi somente multado enquanto Hamilton foi desclassificado.

GRANDE PRÊMIO acompanha o GP de São Paulo ‘in loco’ em Interlagos com os jornalistas Fernando Silva e Gabriel Curty, além de toda equipe de maneira remota. O GP também segue todas as atividades de pista do fim de semana AO VIVO e EM TEMPO REAL. A corrida sprint está marcada para logo mais, às 16h30 (de Brasília).

F1 EM SÃO PAULO: HAMILTON SOBRA, MAS PODE FICAR SEM A POLE NA CORRIDA SPRINT | Briefing
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar