Rosberg aproveita falha de Hamilton na largada, vence GP da Itália e ganha sobrevida na luta pelo título

Lewis Hamilton despontava como franco favorito à vitória em Monza, mas uma falha na largada do GP da Itália colocou tudo a perder. Nico Rosberg enfim aproveitou a chance, venceu sem dificuldades e encostou no rival na luta pelo título. O britânico, que ainda conseguiu terminar em segundo lugar, tem agora 250 pontos, dois a mais em relação a Rosberg. Sebastian Vettel completou o pódio

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Lewis Hamilton tinha tudo para deixar Monza com sua 50ª vitória como piloto de F1. O britânico destroçou Nico Rosberg no treino classificatório e despontou como franco favorito ao topo do pódio. Mas nada como um dia após o outro. Na largada do GP da Itália, neste domingo (4), Hamilton cometeu um erro e tracionou muito mal na largada, dando a grande chance para o rival assumir a liderança e partir rumo a uma vitória redentora. Depois de perder a grande chance de reassumir a ponta do campeonato na Bélgica, Rosberg ganhou sobrevida no Mundial e voltou a encostar em Hamilton. Agora, o tricampeão do mundo soma 250 e ainda lidera, mas está somente dois à frente de Nico, restando sete corridas para o fim da temporada 2016.

Diferente da Mercedes, que foi para um pit-stop, a Ferrari resolveu adotar uma estratégia de duas paradas para Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen, que passaram Hamilton na largada. Mas, no fim das contas, não deu tão certo assim para o time de Maranello. De qualquer forma, o tetracampeão ainda conseguiu ser o melhor do resto e cruzou a linha de chegada em terceiro lugar, ficando logo à frente do companheiro de equipe num fim de semana em que a Ferrari foi de forma destacada a segunda força da etapa.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Rosberg alcançou uma vitória improvável em Monza e acirrou de novo a briga pelo título (Foto: Beto Issa)

Daniel Ricciardo garantiu o quinto lugar em um fim de semana discreto para a Renault em Monza, superando no fim a Williams de Valtteri Bottas, que fez uma boa jornada no GP da Itália. O finlandês conseguiu finalizar a disputa à frente de Max Verstappen. O holandês dono das grandes polêmicas recentes da F1, foi bastante apagado e não passou do sétimo lugar depois de passar Sergio Pérez nas voltas finais. Felipe Massa, em seu último GP da Itália, ficou longe do pódio, mas ao menos somou dois pontos com o nono posto, enquanto Nico Hülkenberg completou o top-10.

A próxima etapa da temporada 2016 da F1 acontece daqui a duas semanas, o GP de Cingapura, etapa noturna disputada nas ruas da cidade-estado. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

Saiba como foi o GP da Itália de F1

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Hamilton largou muito, muito, muito mal. O seu carro simplesmente não tracionou da melhor forma, acabando por entregar assim a liderança no colo de Rosberg. Lewis despencou para sexto lugar. As Frrari largaram bem e superaram o britânico, com Vettel pulando para segundo e Räikkönen em terceiro. Bottas era o quarto colocado, com Felipe Massa um pouco mais atrás, em oitavo. Outro que começou mal era Felipe Nasr, que deu azar e caiu para último depois de um contato na Renault do britânico Jolyon Palmer. "Senti a pancada por trás, não tinha como fazer nada de diferente", disse o brasileiro à TV Globo pouco depois.

Antes do fim da primeira volta, Hamilton já passava Ricciardo e subia para quinto, mas o estrago já estava feito. Rosberg, com pista limpa pela frente, acelerava e forçava o ritmo para abrir vantagem na liderança. Lewis tinha de lutar para pelo menos evitar que seu companheiro de equipe reassumisse a liderança do campeonato.

O momento-chave da corrida foi a largada: Hamilton tracionou mal e Rosberg tomou a ponta (Foto: Reprodução)

Sem adversários, Rosberg abria caminho rumo a uma vitória que até então parecia ser improvável. Curta e mutio rápida, a corrida em Monza não dava muitas alternativas em termos de estratégia, de modo que qualquer chance de vitória para Hamilton passava a ser muito improvável.

Lá atrás, Nasr encerrava sua participação na corrida depois de ter seu carro avariado no contato com o carro de Palmer. Era o primeiro abandono do GP da Itália. O britânico, em seguida, também teve de deixar a disputa em Monza. Mas o brasileiro foi punido pela direção de prova em 10s no seu tempo de volta. Por isso, a Sauber o colocou de volta à prova somente para cumprir a punição e aí depois, em definitivo, Felipe deixava o GP da Itália.

Contato com Renault de Palmer faz Nasr rodar ainda na primeira volta e determina o abandono do brasileiro (Foto: Reprodução)

Hamilton tinha de lutar na pista para aproveitar o maior desgaste dos pilotos que contavam com pneus supermacios. O tricampeão acelerava com os compostos macios. A meta, não só do britânico, mas também da Mercedes, era ao menos garantir o segundo lugar na corrida. Potencial para isso, Lewis tinha. O piloto fazia a ultrapassagem sobre Bottas na volta 12 e partia em busca dos carros da Ferrari, que ainda estavam distantes.

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A partir da volta 14, os primeiros pilotos faziam suas paradas para troca de pneus. Bottas, Ricciardo e Alonso, colocando pneus macios. A questão era saber se era possível ir até o fim da prova sem ter de fazer outro pit-stop. Outro piloto que realizava seu pit-stop era Räikkönen, substituindo os pneus supermacios por outro jogo de supermacios. A mesma estratégia fora adotada por Vettel, de modo que a Ferrari certamente caminhava para duas paradas.

A estratégia de duas paradas da Ferrari não parecia ser a melhor, até mesmo porque a tática vencedora em Monza no ano passado foi a de apenas um pit-stop. Na volta 21, as Mercedes lideravam, com Rosberg 12s à frente de Hamilton, mas os dois pilotos da equipe alemã ainda não tinham feito a primeira parada. Vettel vinha atrás, em terceiro, seguido por Räikkönen e Bottas. Massa aparecia em décimo lugar.

Mas os pneus macios dos carros da Mercedes começavam a se desgastar. Vettel e Räikkönen, com supermacios novos, vinham com ritmo melhor e buscavam fazer valer a pena a estratégia de duas paradas. Até que, na volta 25, Rosberg entrou nos boxes e fez sua única parada, colocando pneus médios em uma parada um pouco mais lenta que o normal. No giro seguinte, foi a vez de Hamilton parar, voltando à prova também com os médios.

Rosberg voltou à pista em primeiro e já enfiando volta mais rápida: 1min26s599 no giro 27 da corrida. Vettel aparecia em segundo lugar, seguido por Räikkönen e Hamilton em quarto. Em seguida, era a vez de Lewis fazer a então melhor volta da prova, mostrando para a Ferrari que o pódio duplo era momentâneo.

Pascal Wehrlein foi outro piloto a abandonar o GP da Itália (Foto: Reprodução)

Pascal Wehrlein, que fez uma grande classificação com a Manor e largou em 13º, foi outro piloto a abandonar a disputa em virtude de uma falha no motor Mercedes. Pouco depois, a Ferrari chamava Vettel para fazer seu segundo pit-stop, com o tetracampeão entrando ao fim da volta 33. Seb voltava em quinto, entre Ricciardo e Verstappen. 

Uma volta depois, era a vez de Räikkönen fazer o segundo pit-stop e também colocar pneus macios para ir até o fim da corrida. Com isso, Ricciardo subia para terceiro lugar, atrás somente das Mercedes de Rosberg e Hamilton. Mas logo o australiano voltaria para sua posição de origem na disputa com seu pit-stop derradeiro em Monza.

Assim, a classificação apontava para Rosberg em primeiro e Hamilton em segundo, com o britânico cometendo um pequeno erro e passando reto pela chicane. Vettel vinha em terceiro, com Räikkönen em quarto e Bottas fechando o top-5.

Räikkönen apertou o ritmo no fim da corrida, mas não foi o bastante para passar Hamilton (Foto: Ferrari)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Nas voltas finais, Räikkönen apertou o ritmo e chegou a marcar a melhor volta da corrida: 1min26s287, mas não tinha muitas condições de lutar com Vettel pelo terceiro lugar ou mesmo com Hamilton pela segunda colocação, mesmo com um ritmo melhor em relação ao britânico.

Outro destaque no fim da corrida era o duelo entre os pilotos da McLaren. Mas os campeões mundiais Jenson Button e Fernando Alonso lutavam apenas pela 12ª colocação, portanto, sem grandes chances de somar pontos em Monza. Já uma briga que valia bons pontos era entre Bottas e Ricciardo. O finlandês era o quinto, mas vinha com pneus macios para seu último stint, ficando sem condições de resistir ao melhor ritmo da Red Bull, que estava com pneus supermacios. Assim, Daniel garantiu o quinto lugar no fim da corrida, assim como Verstappen passou Pérez no fim.

Ao fim de 53 voltas, Rosberg cruzou a linha de chegada do GP da Itália e venceu em Monza pela primeira vez na carreira, voltando a acirrar a luta pelo título mundial. Hamilton ainda conseguiu terminar em segundo e se manteve na liderança do campeonato, enquanto Vettel garantiu um lugar para a Ferrari no icônico pódio do circuito italiano.

F1, GP da Itália, Monza, final:

1 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:17:28.089 53 voltas
2 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES +15.070  
3 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI +20.990  
4 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI +27.561  
5 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER +45.295  
6 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES +51.015  
7 33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL TAG HEUER +54.236  
8 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES +1:04.954  
9 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES +1:05.617  
10 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES +1:18.656  
11 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS FERRARI +1 volta  
12 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA +1 volta  
13 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA +1 volta  
14 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX HAAS FERRARI +1 volta  
15 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO FERRARI +1 volta  
16 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI +1 volta  
17 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN RENAULT +1 volta  
18 31 ESTEBAN OCON INA MANOR MERCEDES +2 voltas  
  26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO FERRARI   NC
  94 PASCAL WEHRLEIN ALE MANOR MERCEDES   NC
  12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI   NC
  30 JOLYON PALMER ING RENAULT   NC
               
MELHOR VOLTA FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:25.340 volta 51

PADDOCK GP #44 DEBATE VITÓRIAS DE ROSBERG EM SPA E DE RAHAL NO TEXAS

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube