Susie Wolff registra queixa-crime contra FIA por caso de conflito de interesses na Fórmula 1

Pouco mais de três meses depois de ser alvo de investigação da FIA ao lado do marido, Toto Wolff, por suposto conflito de interesses na F1, Susie Wolff confirmou que formalizou uma queixa contra a entidade

O caso de conflito de interesses que envolveu o casal Toto Wolff e Susie Wolff pela FIA não chegou ao fim. Após a história ser deixada de lado pela entidade, agora é Susie quem renasce a discussão, confirmando, nesta quarta-feira (20), que formalizou uma queixa-crime contra a Federação Internacional de Automobilismo.

Susie, que foi investigada pela FIA por ser diretora da F1 Academy e casada com o chefe da Mercedes, se posicionou fortemente pelas redes sociais, garantindo que quer mais transparência sobre a história e a situação constrangedora pela qual passou, em que teve o trabalho questionado.

Relacionadas


“Posso confirmar que, pessoalmente, registrei uma queixa-crime nos tribunais franceses em 4 de março, sobre as declarações da FIA ao meu respeito em dezembro do ano passado. Ainda não houve nenhuma transparência em relação à conduta da FIA e de seus funcionários naquela ocasião. Sinto que, mais do que nunca, é importante falar sobre comportamentos inapropriados e certificar que pessoas sejam responsabilizadas. Enquanto alguns acham que o silêncio absolve das responsabilidades, não absolve”, escreveu Susie.

“A FIA está ciente da especulação de mídia centrada na alegação de que informações confidenciais estão sendo passadas a um chefe de equipe de F1 por um membro da FOM. O departamento de compliance da FIA está investigando o assunto”, divulgou o órgão na controversa nota oficial do ano passado.

Na ocasião, a F1 viu um movimento histórico, em que todas as equipes do grid se uniram em comunicado conjunto e garantiram que confiavam na inocência de Toto e Susie.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Susie Wolff e Lewis Hamilton no pit-wall durante a corrida 1 da F1 Academy (Foto: Mercedes)

ENTENDA O CASO

Após o fim da temporada 2023 da Fórmula 1, no dia 5 dezembro, a Federação Internacional de Automobilismo abriu uma investigação contra Susie Wolff e Toto Wolff, que são casados e exercem cargos de chefia dentro do esporte.

O processo foi aberto após supostas reclamações de outros chefes de equipe da Fórmula 1 sobre as atividades da dupla. Toto é chefe de equipe da Mercedes, enquanto Susie é diretora da F1 Academy, categoria exclusiva a pilotas e que está sob o guarda-chuva da Formula One Management.

A suspeita era de que Toto tenha tido acesso a informações confidenciais de atividades da FOM, algo que outros chefes de equipe não têm, enquanto Susie teria sido informada das principais discussões entre os chefes, o que pode ser de uso da categoria. Uma reportagem feita pela revista Business F1 apontou que um comentário feito por Toto durante uma reunião de chefes virou alvo das reclamações dos adversários, por entenderem que a informação dada só poderia ter vindo da Formula One Management.

A partir daí, foi uma avalanche. Horas depois da notícia da investigação se tornar pública, a Mercedes se pronunciou. Também em nota oficial, a equipe de Brackley chamou o comunicado da FIA de “genérico” e disse que as acusações eram “infundadas”. A declaração foi seguida pela própria Fórmula 1, que saiu em defesa do casal Wolff e revelou não ter sido avisada previamente da investigação.

“Temos total confiança de que as alegações são falsas e temos procedimentos robustos que garantem isolamento em caso de qualquer potencial conflito de interesses. Estamos confiantes que nenhum membro do nosso time fez qualquer divulgação não autorizada a um chefe de equipe”, afirmou a categoria.

Susie também não demorou a se manifestar. Por meio das redes sociais, ainda no dia 5 de dezembro, a dirigente começou o texto dizendo-se “profundamente insultada, mas tristemente não surpresa” pelas acusações, classificando-as como fruto de um “comportamento intimidatório e misógino, centrado mais no meu estado civil do que nas minhas habilidades”.

As outras nove equipes do grid, então, decidiram se unir em defesa de Susie num movimento inédito: na quarta-feira (6), por volta das 14h30 (de Brasília, GMT-3), Red BullFerrariMcLarenWilliamsHaasAlphaTauriAlpineAlfa Romeo e Aston Martin lançaram um comunicado em conjunto negando qualquer participação na investigação e garantindo confiança total na categoria e nos Wolff. O texto ainda serviu para desmentir a informação sobre a reclamação contra o casal.

“Podemos confirmar que não fizemos nenhuma reclamação à FIA sobre a alegação de informações confidenciais sendo compartilhadas entre um chefe de equipe da F1 e uma membra da equipe da FOM. Estamos felizes e orgulhosos em apoiar a F1 Academy e seu diretor administrativo através nosso compromisso em patrocinar um competidor com nossas cores a partir da próxima temporada”, escreveram os times em comunicados publicados também nas redes sociais.

Menos de 48 horas depois, a FIA decidiu encerrar o caso, alegando que, após uma análise, não houve investigação sobre questões de ética e disciplinares sobre o casal Toto e Susie Wolff. O órgão, em nota oficial, afirmou que está satisfeito com o protocolo de compliance da Fórmula 1.

Fórmula 1 volta entre os dias 22 24 de março com o GP da Austrália, terceira etapa da temporada 2024. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do fim de semana.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.