Anthoine Hubert: 1996 – 2019

Campeão de categorias de base como a F4 Francesa e, no ano passado, da GP3, Anthoine Hubert era o futuro da Renault na F1. Tanto que passou a fazer parte do programa de jovens da equipe neste ano. O sonho se encerrou depois do terrível acidente que tirou sua vida aos 22 anos

HUBERT, 1996 – 2019

Hubert não resiste a acidente da F2 na Bélgica e morre aos 22 anos

Hamilton exalta Hubert e diz: “Considerar nosso esporte seguro é erro”

Veloz, arrojado e técnico: Anthoine Hubert era oásis de qualidade na F2

“Pessoa magnífica” e “grande piloto”: mundo reage à morte de Hubert

Francês de 22 anos, Anthoine Hubert foi o piloto escolhido pela Renault neste ano para ser lapidado visando um lugar na F1 no futuro. O caminho parecia estar traçado. O piloto, que emergiu ao grid da F2 neste ano depois de ter conquistado o título da antiga GP3 (hoje F3) no ano passado, passou a ser membro do programa de jovens pilotos da montadora gaulesa.

 
A carreira de Hubert foi coroada de êxito desde que o piloto passou a correr de monopostos. No seu primeiro ano em carros de fórmula, em 2013, o jovem, nascido no dia 22 de setembro de 1996 em Lyon, tornou-se campeão da F4 do seu país.
 
Na temporada seguinte, passou por um processo de adaptação à F-Renault para andar bem em 2015, quando terminou em quinto lugar no campeonato com direito a duas vitórias em um total de sete pódios e duas poles.
Anthoine Hubert morre após trágico acidente ocorrido em Spa-Francorchamps (Foto: F2)

Em 2016, o francês deu mais um salto na sua carreira ao correr na F3 Europeia. Mesmo em um grid bastante competitivo, com a presença de pilotos como George Russell, Lance Stroll — que ficou com o título — e Callum Ilott, Hubert venceu uma corrida e foi bem, ficando em oitavo lugar no campeonato.

 
Foi quando o francês optou em deixar a antiga F3 Europeia para migrar para a GP3. Decisão acertada, uma vez que os resultados foram notáveis. Correndo pela tradicional equipe francesa ART Grand Prix, Hubert terminou em quarto lugar, com quatro pódios. A consagração veio no seu segundo ano na categoria. Anthoine foi o campeão da GP3 em um ano contundente, com duas vitórias e um total de 11 pódios.
 
O caminho natural foi completado neste ano com mais um passo acima na escadinha rumo à F1. Na F2, Hubert assinou pela Arden e logo na temporada de estreia obteve êxito por uma equipe de média para pequena do grid. Foram duas vitórias, nas corridas 2 de Mônaco e França. Os resultados como um todo colocaram o francês em oitavo no campeonato.
 
Neste sábado, Hubert largou em 13º no grid da corrida 1 do GP da Bélgica. Duas voltas depois do início da corrida, o francês acabou perdendo o controle do carro na saída da curva Raidillon, acertou a barreira de proteção e voltou para a pista, sendo acertado em T — a batida mais temida do automobilismo — pela Sauber de Juan Manuel Correa.
 
 

Paddockast #31
QUEM NA F1 PASSA DE ANO?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube