Zanardi dá medalha de ouro como amuleto para Kanaan antes da Indy 500: "Acho que realmente funciona"

Em Indianápolis, Alessandro Zanardi devolveu uma gentileza e entregou a Tony Kanaan a medalha de ouro que conquistou nas Paralimpíadas de Londres, em 2012. O amuleto funcionou: o brasileiro finalmente venceu pela primeira vez as 500 Milhas de Indianápolis

Opinião GP: vitória na Indy 500 era estrela que faltava na carreira de Kanaan
AMK Viagens já organiza pacote para 500 Milhas de Indianápolis de 2014

Amigo e ex-companheiro de equipe de Jimmy Vasser, dono da KV, e também de Tony Kanaan, Alessandro Zanardi visitou a dupla neste domingo (26), em Indianápolis. O italiano queria desejar boa sorte ao brasileiro e, como prova material disso, entregou sua medalha de ouro conquistada no paraciclismo durante os Jogos Paralímpicos de Londres, no ano passado – Alex perdeu as pernas em um trágico acidente no GP de Lausitzring, na Alemanha, em 2001, quando ainda corrida na Indy.

Pelas mãos de Vasser, Kanaan recebeu o artefato em seu motorhome. Como o resultado da corrida comprova, deu certo. Pela primeira vez em 12 tentativas, o piloto venceu as 500 Milhas de Indianápolis. A confiabilidade do amuleto conquistado com muito suor em setembro do ano passado fez o ex-piloto brincar e até mesmo pensar em faturar uma grana em cima disso.

Kanaan e Zanardi conversam antes da largada (Foto: Twitter/Tony Kanaan)

“Vou te contar. Estou começando a pensar que isso realmente funciona, é lucrativo. Vou colocar à venda,” riu Zanardi. “É fantástico. É um sonho que virou realidade ver o Tony vencer, ver o Jimmy Vasser vencer, meu querido amigo. Não podíamos acreditar. Estou muito feliz, estou muito feliz,” celebrou, entusiasmado.

Kanaan, por sua vez, revelou, na entrevista coletiva de depois da corrida, que ganhou muitos amuletos de seus fãs para a disputa da Indy 500, e contou como foi que recebeu de seu chefe na KV a medalha olímpica de seu amigo italiano.

"Eu não tinha bolsos suficientes para todas as coisas que meus fãs me deram para me dar sorte. Provavelmente eu teria que trazer um caminhão comigo atrás do carro", brincou o piloto brasileiro.
 
"Foram duas coisas. Zanardi está aqui e, como você sabe, ele trouxe sua medalha de ouro olímpica. Bem antes da corrida, ele a deu para Jimmy, e Jimmy trouxe ela no motorhome. Eu estava deitado na cama. Foi uma hora antes da corrida. Zanardi pediu para eu esfregá-la. Na verdade, fiquei abraçado com aquela coisa. Ainda no meu ônibus."
 
As imagens da 97ª edição das 500 Milhas de Indianápolis
Galeria exclusiva do GRANDE PRÊMIO
Acompanhe a cobertura da Indy 500 no GRANDE PRÊMIO

Mas essa não é a única história envolvendo uma amuleto e o vencedor do dia. Nove anos atrás, em uma visita a um hospital em Indianápolis, ele conheceu uma garota de 14 anos que estava em coma após um AVC. "Ela tinha 14 anos, e estava em coma. Faria uma cirurgia na manhã seguinte", relatou o brasileiro.


"Eu tinha uma coisa que minha mãe havia me dado. Era uma espécie de colar para me proteger, não para me dar sorte, porque você sabe como as mães são. Ela me disse para pilotar devagar, o que é meio bobo, mas…", prosseguiu.

"Então eu o tirei e disse a sua mãe: 'Não sei se você acredita nessas coisas, mas eu tive isso por um bom tempo. Sempre me protegeu. Minha mãe me deu isso. Quero dar isso a você'. A garota corria risco de vida."

"Eu dei a ela. E ela sobreviveu, está indo realmente bem. Mantivemos contato nos últimos anos", revelou. "Neste ano, quatro dias atrás, ela apareceu e me deu um envelope com uma carta. Abri a carta, e lá estava. Ela disse que teve sorte o suficiente em sua vida, se casou, e queria me devolver aquilo para me dar sorte. Então, aqui está. Acho que posso aposentar essa coisa agora!", encerrou, bem-humorado.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube