Dovizioso comemora, mas reconhece que “não esperava voltar à MotoGP assim”

Às vésperas da estreia pela SRT, o italiano contou que teve a chance de subir na YZR-M1 já no GP de Aragão e se sentiu como em 2012, quando guiou a Yamaha da Tech3 antes de mudar para a Ducati

Andrea Dovizioso admitiu que não esperava voltar para a MotoGP da maneira como fará neste fim de semana. A Yamaha oficializou nesta quinta-feira (16) um acordo com o italiano, que vai substituir Franco Morbidelli na SRT a partir do GP de San Marini e da Riviera de Rimini no restante de 2021 e guiar pela equipe satélite também no próximo ano.

Dovizioso vivia um ano sabático neste 2021 após encerrar a ligação de oito temporadas com a Ducati. Andrea chegou a ser cotado pela Aprilia, mas, ainda no fim do ano passado, recusou a chance, já que não via na RS-GP uma moto competitiva. A melhora do protótipo de Noale, porém, foi suficiente para convencê-lo a testar a moto, mas o acordo com os italianos nunca veio.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Andrea Dovizioso volta à guiar a Yamaha depois de mais de 8 anos (Foto: Yamaha)

VEJA TAMBÉM
# Fatos e curiosidades sobre o GP de San Marino e da Riviera de Rimini de MotoGP
# Como fica o grid da MotoGP para a temporada 2020?

Com o tumultuado fim da relação de Maverick Viñales com a Yamaha, Morbidelli foi transferido da SRT para a equipe de fábrica, com Dovizioso contratado para preencher o espaço do ítalo-brasileiro.

“Muito embora não esperasse voltar à MotoGP assim, nunca fechei a porta e é bom estar aqui com a SRT”, disse Dovizioso. “Queria tentar curtir uma nova situação e estou realmente feliz por voltar”, comentou.

“Será interessante estar em uma moto completamente diferente daquela que pilotei antes e estou ansioso pela experiência”, comentou.

Dovizioso relatou que teve a chance de subir na YZR-M1 já durante o fim de semana do GP de Aragão, o que permitiu antecipar um pouco os trabalhos para a etapa de Misano.

“Visitei a equipe em Aragão e me senti como em 2012 outra vez, já que sentar na Yamaha foi tão bom quanto antes”, comparou. “Foi ótimo sentar na moto pela primeira fez e fazer os ajustes iniciais para já estarmos um passo à frente no TL1 aqui em Misano. Vou precisar ir para a pista para entender os detalhes e teria sido melhor ter feito um teste antes de entrar em uma corrida, mas começo sem pressão e será ótimo começar em Misano para as últimas cinco corridas da temporada”, concluiu.

A MotoGP volta às pistas no próximo domingo (19) para o GP de San Marino e da Riviera de Rimini. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

LEIA TAMBÉM
Bagnaia se agiganta em duelo com Marc Márquez e vence no melhor estilo em Aragão
Marc Márquez ainda tem em lesão limitador, mas segue sendo piloto vigoroso de antes

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar