Foggia segura Masià na linha de chegada e vence GP da Itália na Moto3. Acosta é 8º

A Moto3 proporcionou outra grande corrida em Mugello. No fim, Dennis Foggia assumiu a liderança, segurou Jaume Masià e venceu o GP da Itália por apenas 0s036 de vantagem. Gabriel Rodrigo foi o terceiro e fechou o pódio

Jason Dupasquier sofre acidente grave no fim da classificação da Moto3 em Mugello (Vídeo: Reprodução)

A Moto3 voltou a entregar uma corrida de alto nível. Como, aliás, é costume em Mugello. Um longo pelotão se formou durante toda a corrida, mas, no fim, Dennis Foggia assumiu a liderança na última volta e venceu o GP da Itália, a corrida em casa do piloto da Leopard, para voltar a registrar um bom resultado na Moto3.

Jaume Masià ainda tentou uma ultrapassagem nos metros finais, mas não conseguiu e ficou na segunda posição, com o argentino Gabriel Rodrigo fechando o pódio em terceiro.

Dennis Foggia conseguiu se recuperar no campeonato (Foto: Leopard)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Ayumu Sasaki, envolvido no grave acidente da classificação de sábado, se recuperou e fechou na quarta posição, seguido por Darryn Binder, Romano Fenati e John McPhee. Pedro Acosta foi punido por exceder os limites de pista e terminou em 8º, com Sergio García e Tatsuki Suzuki fechando o top-10.

Depois do assustador acidente no fim da classificação, envolvendo Jason Dupasquier, a corrida aconteceu sem as duas motos da Prüstel, com a ausência de Ryusei Yamanaka em solidariedade ao companheiro de equipe.

A Moto3 volta às pistas no próximo dia 6 de junho para o GP da Catalunha. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Saiba como foi o GP da Itália de Moto3:

O domingo amanheceu com sol na Toscana. Quando os pilotos foram para o grid, os termômetros mediam 20°C, com o asfalto chegando a 33°C. A velocidade do vento era de 3 km/h.

Para esta sexta etapa do campeonato, a maioria dos pilotos optou pelo pneu dianteiro mais duro disponível, com o traseiro mais macio.

Na largada, Tatsuki Suzuki fez uma boa largada, mas foi Gabriel Rodrigo quem mergulhou primeiro na curva 1. A liderança argentina, porém, foi breve, já que Pedro Acosta tratou de tomar a ponta ainda nos primeiros.

A largada da Moto3 no GP da Itália (Vídeo: MotoGP)

Também no início da corrida, quatro pilotos caíram no trecho entre na Saveli: Andrea Migno, Deniz Öncü, Max Kofler e Carlos Tatay. Antes, Alberto Surra e Adrián Fernández já tinham abandonado.

Dennis Foggia tomou a liderança da corrida italiana, com Rodrigo brevemente passando Acosta pelo segundo lugar. No início do terceiro giro, Pedro recuperou a primeira posição, com Jeremy Acosta seguindo Foggia de perto e escoltado por Darryn Binder, Suzuki, Jaume Masià e Romano Fenati.

No giro seguinte, a cabeça da corrida mudou completamente. Foggia reassumiu a liderança, com Fenati aparecendo para ocupar o segundo posto, à frente de Suzuki, Rodrigo, Binder, Alcoba, Masià, Filip Salac, Ayumu Sasaki e Acosta.

Pedro Acosta fecha volta em primeiro, mas cai para 9º na curva 1 (Vídeo: MotoGP)

Em meados da volta, Fenati passou Foggia para se instalar na liderança, enquanto Masià teve de entregar uma posição por decisão do Painel de Comissários da FIM (Federação Internacional de Motociclismo) por ultrapassar em bandeira amarela.

Dennis não esperou muito antes de reassumir o comando em Mugello, com Suzuki se colocando brevemente em segundo antes de tomar a liderança do piloto da Leopard. Rodrigo vinha em terceiro, à frente de Fenati, Binder e Acosta.

Na sexta das 20 voltas, Foggia reassumiu a liderança, mas apenas por alguns instantes antes de ser superado por Fenati. O piloto da equipe de Max Biaggi, porém, não sustentou a ponta e acabou levando o troco do conterrâneo. Rodrigo era terceiro, seguido por Acosta e Binder.

Disputa pela liderança intensa durante o GP da Itália (Vídeo: MotoGP)

O piloto da Leopard conseguiu permanecer na liderança na abertura da volta seguinte, abrindo 0s2 de margem para Binder, o segundo colocado. Rodrigo era agora o terceiro, à frente de Fenati, Acosta e Suzuki.

Na abertura da oitava das 20 voltas previstas, Acosta aproveitou o vácuo na reta para pular de quarto para a liderança, mas Foggia respondeu metros depois, reassumindo o topo da tabela. Suzuki também avançou, derrubando Pedro para terceiro.

Tatsuki chegou a se colocar rapidamente na liderança, mas Foggia conseguiu voltar ao topo, mesmo que sem escapar do alcance do titular da Sic58. Rodrigo, então, ultrapassou para subir para a segunda colocação.

Como sempre acontece na Moto3, o GP da Itália era uma corrida de grupo, com 15 pilotos formando o primeiro pelotão após 11 das 20 voltas.

Enquanto Suzuki voltava à liderança, Migno, que tinha caído ainda no início da disputa, permanecia sentado em um canto do autódromo, sem retornar para os boxes da Snipers.

Com oito voltas para o fim, a liderança era de Dennis Foggia, que tinha só 0s088 de margem para Acosta. Rodrigo vinha em terceiro após uma bela manobra por dentro de Sasaki e Masià. Binder era sexto.

Acosta tomou a liderança por alguns instantes logo depois, mas o troco de Foggia foi rápido, ainda na curva 2. Metros adiante, Pedro voltou à ponta, com Suzuki e Sasaki também passando Dennis.

Primeiro pelotão contou com vários pilotos até a volta final (Vídeo: MotoGP)

Restando seis voltas para o fim, uma surpresa: John McPhee tomou a liderança aproveitando que os pilotos todos se agruparam na entrada da San Donato. Fenati subiu para segundo e, no miolo do circuito, assumiu a ponta. Sasaki era terceiro, à frente de Binder e Sergio García.

O cenário alternativo durou pouco, já que Acosta voltou ao comando pouco depois, com Sasaki subindo para segundo, à frente de Rodrigo e Binder, que tinha liderado pouco antes.

Binder reassumiu a ponta, com Fenati em segundo, mas Acosta respondeu rápido para voltar à liderança. O fenômeno espanhol ficou pouco por lá, com Darryn retomando o comando, à frente de Fenati e Acosta.

O piloto de Max Biaggi agiu rápido e se instalou na liderança mais uma vez, com Foggia ocupando a segunda colocação, seguido por Masià, Rodrigo, McPhee, Sasaki, Garcia, Binder e Suzuki. Acosta caiu para 11º.

GP da Itália teve um final apertado neste domingo (Foto: Reprodução)

Na abertura da última volta, Foggia estava de volta à liderança, seguido por Rodrigo, Fenarti e Masià. Jaume saltou para segundo, com Rodrigo e Sasaki passando o experiente Fenati.

Nos metros finais, Masià tentou atacar Foggia, mas o piloto da Leopard se defendeu bem e garantiu a vitória por só 0s036.

LEIA TAMBÉM
⇝ Ducati ou Yamaha: quem vai equipar a VR46 na temporada 2022 da MotoGP?
⇝ Descoberta de Barros e fruto do motocross: Moreira é nova joia do motociclismo brasileiro
⇝ Quartararo versus Miller: a trajetória dos protagonistas da temporada 2021 na MotoGP

Moto3 2021, GP da Itália, Mugello, Corrida:

1D FOGGIALeopard Honda39:37.49720 voltas
2J MASIÀRed Bull KTM Ajo+0.036 
3G RODRIGOGresini Honda+0.145 
4A SASAKITech3 KTM+0.240 
5D BINDERSIC HONDA+0.499 
6R FENATIMAX Husqvarna+0.711 
7J MCPHEESIC HONDA+0.918 
8P ACOSTARed Bull KTM Ajo+0.745P+1
9S GARCIAAspar KTM+0.861P+1
10T SUZUKISIC58 Honda+0.963 
11F SALACSnipers Honda+1.080 
12K TOBACIP KTM+1.351 
13N ANTONELLIAvintia KTM+1.429 
14S NEPABOE KTM+4.472 
15J ALCOBAGresini Honda+12.491 
16X ARTIGASLeopard Honda+23.493 
17I GUEVARAAspar KTM+23.499 
18R ROSSIBOE KTM+23.609 
19L FELLONSIC58 Honda+23.774 
20E BARTOLINIVR46 Riders Academy+39.959 
21A FARID IZDIHARAsia Honda+40.023 
22T MATSUYAMAAsia Honda+40.035 
23D ÖNCÜTech3 KTMAbandonou 
24M KOFLERCIP KTMAbandonou 
25C TATAYAvintia KTMAbandonou 
26A MIGNOSnipers HondaAbandonou 
27A SURRAVR46 Riders AcademyAbandonou 
28A FERNÁNDEZMAX HusqvarnaAbandonou 
29R YAMANAKAPrüstel KTMNão largou 
30J DUPASQUIERPrüstel KTMNão largou 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar