Ducati leva melhor com Martín na pole, mas Viñales e Quartararo saem favoritos em Doha

Em volta lançada, a YZR-M1 não deu conta de fazer frente às poderosas Ducati, mas derrotados na briga pela pole-position, Maverick Viñales e Fabio Quartararo partem favoritos para a segunda etapa da temporada 2021 da MotoGP

Jorge Martín arrancou aplausos do paddock da MotoGP (Vídeo: MotoGP)

Assim como aconteceu na semana passada, o GP de Doha está colocando frente a frente as forças e fraquezas de Ducati e Yamaha. Em um sábado (3) de ventos mais fortes, a fábrica de Borgo Panigale levou a melhor na classificação, mas é a casa de Iwata que vai para a segunda corrida de 2021 com o rótulo de favorita.

Na noite de sábado, Jorge Martín foi a grande surpresa e garantiu a pole-position ao anotar 1min53s106, 0s157 melhor que Johann Zarco, o segundo colocado. 0s161 mais lento que o ponteiro, Maverick Viñales aparece para fechar a primeira fila. Com 1min53s303, Jack Miller abre a linha seguinte, acompanhado por Fabio Quartararo e Francesco Bagnaia.

Jorge Martín vai largar na pole (Foto: Divulgação/MotoGP)

VEJA TAMBÉM
Fatos e curiosidades do GP de Doha da MotoGP (sem Marc Márquez)

Com a composição da grelha, fácil concluir que a Yamaha não terá vida fácil na largada. As quatro Desmosedici que estão no top-6 contam com a novidade do ano: o dispositivo de largada que baixa a dianteira da moto. Além do motor potente dos protótipos vermelhos, o novo recurso deixou das máquinas italianas ainda mais rápidas. O que é um problema para a Yamaha.

Semana passada, apesar de ter vencido, Viñales perdeu sete posições entre a largada e a primeira curva, mas tem se empenhado em melhorar a performance na saída.

“Eu estou tentando, estou tentando bastante, mas no momento é complicado. A Yamaha está trabalhando muito duro. Com certeza, nos falta o dispositivo de largada na dianteira, isso faz uma diferença enorme, mas a Yamaha está trabalhando muito duro para trazê-lo o mais cedo possível, pois, para nós, a largada é praticamente toda a corrida”, comentou. “É uma coisa em que precisamos prestar atenção. O Catar é uma pista especial, não existe apenas a possibilidade de ultrapassar em freadas fortes, dá para ultrapassar em muitos outros lugares. Mas vamos chegar em corridas em que, para nós, será muito difícil ultrapassar e precisaremos fazer tudo na largada, então está na hora de trabalharmos nisso. Eu trabalho muito, durante todos os testes, a pré-temporada e agora durante as corridas. Com certeza, dei passos à frente. Pelo menos, quero ser a primeira não-Ducati no grid”, brincou.

Maverick Viñales mostrou bom ritmo nos treinos (Foto: Divulgação/MotoGP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Mas nem as Ducati estão tão confiantes em vencer. Dono da pole, Martín falou em corrida para aprender, embora deixe claro que não vai jogar fora a chance de escapar e vencer. Não que ele veja essa possibilidade como real.

“Vou tentar fazer uma boa largada para tentar aguentar nas primeiras voltas, mas está claro que me faltam três ou quatro décimos em termos de ritmo para ganhar”, admitiu Jorge. “O meu objetivo não é vencer amanhã, isso é óbvio, e o que eu vou tentar fazer é aguentar. Se Maverick e Zarco me passarem, vou tentar ficar com eles até onde puder. Se fizer um top-6, será algo muito, muito positivo. Especialmente se reduzir o atraso em relação ao vencedor”, considerou.

Superado pelo companheiro de Pramac, Zarco também apostou em Viñales para a vitória, mesmo reconhecendo que tem uma moto muito forte na largada.

“Tivemos uma velocidade excelente na volta rápida, mas não acho que tenhamos ritmo para lutar pela vitória”, comento Zarco. “Viñales tem um ritmo melhor do que o nosso no momento. Com certeza, largar da primeira fila com uma moto com esta potência é uma vantagem, mas depois teremos de nos adaptar, especialmente nas primeiras voltas”, ponderou.

Fabio Quartararo também se destacou em Doha (Foto: Divulgação/MotoGP)

“Vai ser difícil encontrar algo no warm-up, mas achamos algo interessante nos treinos livres. Talvez não seja a solução para todos os nossos problemas, mas espero ter uma sensação melhor do que no fim de semana passado”, torceu.

Pelo que os treinos mostraram, Maverick Viñales tem grandes chances de repetir a dose da semana passada, já que foi quem mais rodou em ritmo de carreira. O espanhol, contudo, vê Fabio Quartararo, Johann Zarco e Joan Mir como rivais.

“A verdade é que eu me sinto muito forte e, em termos de ritmo de corrida, me senti muito, muito bem no TL4, tentando controlar muito os pneus”, relatou Maverick. “No entanto, preciso melhorar, pois tanto Johann quanto Fabio estão muito próximos. Também vi Mir bastante forte, então precisamos recuperar terreno rápido”, ponderou.

Questionado se o GP de Doha será igual ou diferente da prova de semana passada, Viñales respondeu: “Não tenho nem ideia. Veremos. Sinceramente, não há nenhum plano. Nossa estratégia é largar e escapar, impor um ritmo rápido. É isso que tenho na cabeça: largar e imprimir um ritmo forte”.

Fabio Quartararo, porém, mostrou um ritmo fortíssimo e, se conseguiu resolver os problemas de desgaste do pneu traseiro que o afetaram na semana passada, promete ser uma pedra no sapato do companheiro de Yamaha.

Johann Zarco vai largar em segundo (Foto: Pramac)

“Estou feliz com a segunda fila”, resumiu Fabio. “Demos um bom passo em termos de pilotagem hoje com o TL4. Mas também fizemos uma mudança no câmbio, o que mudou bastante as minhas referências de freada. Isso não ajudou no Q2, estava freando cedo demais. Mas, mesmo assim, estou feliz”, contou.

“Acho que temos um enorme potencial para amanhã. Sinto que posso lutar pela vitória. Só fizemos uma saída no TL4. Tive um ótimo ritmo e, na corrida, sempre temos um pouco mais”, considerou.

Campeão vigente, Joan Mir vai sair apenas em nono, mas já mostrou outras vezes que consegue escalar o pelotão e exibir um bom ritmo nas voltas finais.

“Foi um dia positivo e estou feliz com a forma como as coisas aconteceram. Conseguimos avançar do Q1 para o Q2 e melhorei meu tempo de volta com pneus macios novos”, apontou Joan. “Mas ainda precisamos trabalhar na classificação. Preciso pilotar de uma maneira diferente, porque ainda não é natural forçar para fazer voltas rápidas. Normalmente, me saio melhor em trechos mais longos, fazendo voltas consistentes. Mas estou feliz com a minha posição no grid. Estou perto da segunda fila, então estou ansioso para a corrida de amanhã”, encerrou.

GUIA MOTOGP 2021
⇝ MotoGP chega igual, mas diferente em campeonato condicionado por pandemia
⇝ Conheça quem são as equipes e pilotos para a temporada 2021 da MotoGP
⇝ Suzuki segue vida sem Brivio e tenta feito do bicampeonato na MotoGP em 2021
⇝ MotoGP volta com mistério: Marc Márquez retorna após três cirurgias? E como?
⇝ Honda aposta em encaixe de Pol Espargaró por encerramento de série de insucessos
⇝ Mir defende título da MotoGP para mostrar que conquista de 2020 não foi acaso
⇝ Quartararo precisará de regularidade e cabeça no lugar para substituir Rossi
⇝ Bastianini, Marini e Martín sobem para MotoGP com promessa de briga parelha
⇝ Yamaha rejuvenesce com Viñales e Quartararo e busca consistência na M1
⇝ Aos 42 anos, Rossi tem recomeço na MotoGP com SRT. Mas qual será o futuro?
⇝ Pol Espargaró tem chance da vida na MotoGP. Assustar Márquez é outra história
⇝ Equilíbrio também deve ser a marca nas categorias de apoio à MotoGP
⇝ Ducati faz mudanças arriscadas para deixar decepções de 2020 no passado
⇝ Aprilia ‘inventa’ Savadori e coloca tudo nas costas de Aleix Espargaró
⇝ VR46 dá primeiro passo na MotoGP ainda sem dizer se veio para ficar
⇝ Sucesso da Academia VR46, Morbidelli tenta aproveitar garagem com Rossi

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar