Quartararo escapa após queda de Bagnaia e vence GP da Itália. Ducati fica sem pódio

Fabio Quartararo contou com a sorte, ao acompanhar de perto a queda de Francesco Bagnaia, e sumiu na frente para vencer o GP da Itália. Miguel Oliveira e Joan Mir reagiram no campeonato e fecharam o pódio

Fabio Quartararo vibrou com a bandeira da Suíça em Mugello em tributo a Dupasquier (Vídeo: MotoGP)

Fabio Quartararo deu no GP da Itália mais uma prova de que é o grande favorito ao título da MotoGP em 2021. Largando na pole, o francês perdeu o primeiro lugar no início da corrida em Mugello, mas contou com a queda de Francesco Bagnaia para disparar na frente e conquistar a vitória sem grandes problemas.

Tranquilo na liderança, Quartararo sumiu na frente dos rivais e venceu com 3s de vantagem. Miguel Oliveira conseguiu, finalmente, o primeiro pódio da KTM no ano. Com boa largada, o português fez corrida sólida e terminou na segunda posição, mas excedeu o limite de pista na última volta e caiu para terceiro. Joan Mir, o atual campeão, também reagiu no campeonato e herdou o segundo lugar.

Só que isso mudou de novo, já que Mir também excedeu os limites e foi punido. Assim, o segundo lugar fica mesmo com a KTM, enquanto a Suzuki terá de se contentar com o terceiro lugar.

LEIA TAMBÉM
⇝ Com apenas 19 anos, Dupasquier morre após grave acidente da Moto3 em Mugello
⇝ Jason Dupasquier, 2001 – 2021

Fabio Quartararo conquistou mais uma vitória na temporada, desta vez na Itália (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Johann Zarco, que era o segundo até as voltas finais, caiu para quinto, mas terminou na quarta colocação. Brad Binder foi o quinto, seguido por Jack Miller, Aleix Espargaró, Maverick Viñales e Danilo Petrucci. Valentino Rossi fechou o top-10 em Mugello ao bater Iker Lecuona no finalzinho da corrida.

A etapa foi marcada por várias quedas. Francesco Bagnaia, Marc Márquez, Álex Rins e Takaaki Nakagami foram algumas das vítimas no veloz circuito italiano.

Com o resultado deste entristecido GP da Itália, Quartararo chegou aos 105 pontos e abriu 24 de vantagem na liderança, com Zarco tomando o segundo lugar de Bagnaia. Jack Miller aparece em quarto, à frente de Joan Mir.

A Yamaha lidera o Mundial de Construtores com 132 pontos, nove a mais que a Ducati. Suzuki, KTM, Honda e Aprilia aparecem a seguir. A Yamaha também comanda o Mundial de Equipes, à frente de Ducati, Pramac, Suzuki, KTM, Honda, SRT, LCR, Aprilia, Tech3 e Avintia.

A MotoGP volta às pistas no próximo dia 6 de junho para o GP da Catalunha. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Saiba como foi o GP da Itália de MotoGP:

O domingo não poderia ser mais triste para a MotoGP. Em uma prova que tradicionalmente é de alegria abundante, o tom sombrio tomou conta do paddock. Antes de alinharem no grid, os pilotos da classe rainha ficaram perfilados em um tributo a Jason Dupasquier, que sucumbiu as graves lesões sofridas em um acidente ao fim da classificação da Moto3.

Antes de se dirigirem às motos, os pilotos ainda prestaram condolências aos membros da PrüstelGP, equipe de Jason, que estavam no grid junto da moto do suíço.

Para este domingo, a escolha de pneus foi dividida. A maioria optou por um par de médios, mas Danilo Petrucci, Iker Lecuona, Lorenzo Savadori, Brad Binder, Aleix Espargaró, Jack Miller, Álex Márquez, Miguel Oliveira e Marc Márquez calçaram a dianteira com o duro. O caçula dos Márquez colocou o macio também na traseira, assim com Pol Espargaró.

Bastianini caiu após Zarco frear bem diante dele (Foto: Reprodução)

Fazia sol na pista da Toscana, com os termômetros medindo 23°C e o asfalto alcançando a marca de 41°C. A umidade relativa do ar estava em 33%, com a velocidade do vento chegando a 16 km/h.

Voltando ao grid após o warm-up, Enea Bastianini caiu após colidir com a traseira de Johann Zarco, viu o air-bag do macacão inflar e largou a Ducati no meio da pista para correr para os boxes.

Enquanto isso, a largada correu normalmente, com Bagnaia tomando a liderança de Quartararo na San Donato, primeira curva na Itália. Miguel Oliveira também fez uma bela largada e subiu para terceiro, mas logo foi superado por Jack Miller.

A largada da MotoGP na Itália (Vídeo: MotoGP)

Quartararo tentou um ataque para cima de Bagnaia no trecho entre a Casanova e a Savelli, mas o italiano defendeu bem e tratou de abrir vantagem na ponta.

Ainda no início da corrida, Marc Márquez, que vinha em décimo, caiu na curva 3 e abandonou a prova. Franco Morbidelli precisou escapar na Poggio Secco para desviar da RC213V #93, mas conseguiu evitar a queda.

Pouco depois, Bagnaia caiu na Arrabiatta 2, entregando a liderança do GP da Itália para Quartararo. O francês, contudo, não sustentou por muito tempo, já que Zarco passou para assumir o comando. Oliveira era o terceiro, à frente de Miller e Rins.

Só que Quartararo não esperou muito para dar o troco no colega francês com uma boa manobra na Savelli. Fabio até chegou a abrir um pouquinho de margem, mas o troco de Zarco foi rápido, aproveitando o vácuo.

Jack Miller enfrentou a dupla da Suzuki durante a corrida (Vídeo: MotoGP)

Porém, a liderança também foi, já que Quartararo voltou ao comando da disputa apenas alguns metros depois, na Casanova. A briga dos dois facilitou a aproximação de Oliveira, que trazia junto Miller, Rins e Mir.

Dono de um ritmo forte ao longo de todo o fim de semana, Quartararo passou a forçar e se afastar, abrindo mais de 0s7 de margem para Zarco na ponta do GP da Itália, sexta etapa de 2021. Oliveira vinha por perto, enquanto Miller já aparecia mais de 1s1 atrás. Rins e Mir duelavam pela quinta colocação.

A dupla da Suzuki logo chegou em Miller, que foi superado por Rins. No entanto, a força do motor Ducati acabou com a graça do espanhol, que foi engolido por Jack.

Álex não desistiu e voltou a passar no fim da volta 7, mas o troco veio mais uma vez. Enquanto isso, Binder e Aleix Espargaró iam tentando chegar.

Depois de tanto insistir, Rins fez a ultrapassagem colar e ficou com o quarto lugar, com Mir e Binder também passando Miller, que agora era alvo de Aleix. Nono, Nakagami tinha mais de 3s de atraso para o piloto da Aprilia. Mais atrás, Viñales brigava com Pol Espargaró pela 11ª colocação.

Na volta 10, Quartararo já tinha 2s2 de vantagem para Zarco, que era seguido de perto por Oliveira. Rins, por outro lado, estava 1s9 distante, mas tinha Mir coladinho atrás.

Fabio Quartararo mostrou um ritmo muito forte em Mugello (Vídeo: MotoGP)

Sem muita demora, aliás, o campeão vigente passou o companheiro de Suzuki e tratou de tentar reduzir a vantagem de Oliveira para brigar pelo pódio.

Atrás, Viñales também foi tentando escalar. Depois de se livrar de Pol, o espanhol partiu para atacar Michele Pirro pelo décimo lugar, enquanto Danilo Petrucci subiu para 12º, posição que perdeu pouco depois para Iker Lecuona.

Depois de alguns minutos de certa calmaria, Oliveira voltou a encostar em Zarco, passando a pressionar pelo segundo lugar. Mir e Rins também vinham próximos, prometendo apimentar o final da corrida.

Sozinho na ponta, Quartararo sequer aparecia na TV de tão dominante que era a performance.

Na volta 16, o português tomou a segunda colocação do rival da Pramac com uma bela ultrapassagem. O francês ainda tentou, mas não conseguiu um troco imediato.

Foi a quarta corrida em que Rins não pontuou no ano (Foto: Reprodução)

Johann, então, foi alvo de Mir, que conseguiu remover o francês do pódio de Mugello. Pouco depois, foi a vez de Rins se valer das dificuldades de Zarco para tomar a quarta colocação.

Zarco, porém, não desistiu e tratou de contra-atacar. O francês até reassumiu a posição, mas perdeu de novo para a Suzuki pouco depois.

Com quatro voltas para o fim, Rins escreveu mais um capítulo de uma desastrosa temporada e abandonou após um tombo na Bucine, a curva 15.

Instantes depois, foi a vez de Takaaki Nakagami cair. Melhor Honda da corrida, em oitavo, o japonês tombou na segunda perna da Biondetti.

O momento em que Oliveira saiu da pista na volta final (Foto: Reprodução)

Pirro, que tinha subido para décimo, escapou da pista na curva 4 e caiu para 13º. Rossi, então, passou a pressionar Lecuona pelo décimo lugar, já com um certo respiro em relação a Pol Espargaró.

O italiano da SRT levou a melhor em cima do rival da KTM e pegou o décimo posto, já 1s9 atrás de Danilo Petrucci, o nono colocado. Iker, porém, tratou de reagir pouco depois e recuperou a posição.

Na ponta, Mir seguia pressionando Oliveira pelo segundo lugar, enquanto Zarco tentava encostar por ali também. O trio cruzou a linha de chegada nessas posições, mas Miguel perdeu o segundo lugar por extrapolar os limites da pista.

Antes do pódio, o resultado mudou mais uma vez, já que Mir também saiu da pista e foi punido, devolvendo a posição do português logo atrás de Quartararo na Itália.

Quartararo fez uma homenagem a Dupasqueir com a bandeira da suíça na Itália (Vídeo: MotoGP)

LEIA TAMBÉM
⇝ Yamaha e Ducati mostram forças opostas e disputam protagonismo na MotoGP em 2021
⇝ Ducati ou Yamaha: quem vai equipar a VR46 na temporada 2022 da MotoGP?
⇝ Descoberta de Barros e fruto do motocross: Moreira é nova joia do motociclismo brasileiro
⇝ Quartararo versus Miller: a trajetória dos protagonistas da temporada 2021 na MotoGP

MotoGP 2021, GP da Itália, Mugello, Corrida:

1F QUARTARAROYamaha41:16.34423 voltas
2M OLIVEIRAKTM+2.592 
3J MIRSuzuki+3.000 
4J ZARCOPramac Ducati+3.535 
5B BINDERKTM+4.903 
6J MILLERDucati+6.233 
7A ESPARGARÓAprilia Gresini+8.030 
8M VIÑALESYamaha+17.239 
9D PETRUCCITech3 KTM+23.296 
10V ROSSISRT Yamaha+25.146 
11I LECUONATech3 KTM+26.059 
12P ESPARGARÓHonda+26.182 
13M PIRROPramac Ducati+29.400 
14A MÁRQUEZLCR Honda+32.378 
15L SAVADORIAprilia Gresini+37.906 
16F MORBIDELLISRT Yamaha+50.306 
17L MARINIAvintia VR46 DucatiAbandonou 
18T NAKAGAMILCR HondaAbandonou 
19A RINSSuzukiAbandonou 
20F BAGNAIADucatiAbandonou 
21M MÁRQUEZHondaAbandonou 
22E BASTIANINIAvintia DucatiAbandonou 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar