MotoGP

Viñales fala em “mal entendido” com punição por queima de largada e admite: “Foi tudo culpa minha”

Maverick Viñales assumiu a responsabilidade por ter cumprido a pena da volta longa ao invés de um ride-through por ter queimado a largada no GP das Américas. O #12 não questionou a sanção e admitiu que se moveu antes de as luzes apagarem

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo

Maverick Viñales teve um dia para esquecer no domingo (14). Sexto no grid da MotoGP, o #12 deu sequência à má fase e queimou a largada em Austin. Mas, ao invés de cumprir o ride-through previsto em regulamento, pagou a pena da reta longa. Ao notar o erro, o espanhol desceu o pit-lane para efetivamente pagar a pena imposta pelo Painel de Comissários.
 
Esta, aliás, não foi a primeira vez que um piloto cumpre a pena da reta longa por engano. No Catar, Romano Fenati foi alertado para os limites da pista, mas entendeu que tinha sido sancionado e pagou a pena, perdendo a chance de vitória na prova da Moto3.
 
Falando à imprensa depois da corrida no Texas, Viñales falou em “mal entendido”, mas reconheceu sua culpa pelo erro. O espanhol admitiu que os pilotos conversaram na Comissão de Segurança sobre uma mudança na pena após a polêmica com Cal Crutchlow na Argentina, mas nada ficou resolvido.
Maverick Viñales pagou a punição errada em Austin (Foto: Yamaha)
Resultado de imagem para emoji microfonePaddockast #14: O melhor piloto de MotoGP de todos os tempos



 Ouça no Spotify
 Ouça no iTunes
 Ouça no Android
 Ouça no playerFM

“Nós pensamos, mas nada é oficial. Foi só um mal entendido, foi tudo culpa minha”, disse Viñales. “Nós estávamos tão próximos de fazer uma boa largada e aí eu acelerei fundo. Nos primeiros dois ou três segundos foi ok, mas aí, no último instante, começou a se mover”, relatou.
 
“Eu não soltei a embreagem, nada. O bom é que, pelo menos, eu ultrapassei alguns pilotos na largada. Isso foi positivo”, avaliou. “Eu entendi um pouco mal a penalidade. Perdi muitos segundos, aí foi uma boa reação”, continuou.
 
Queima de largada não é uma situação das mais frequentes da MotoGP, mas foram três punições nas últimas duas provas. Além de Crutchlow e Viñales, Joan Mir também foi sancionado por ter se movido antes da hora.
 
Questionado se os comissários tinham ficado mais severos, Viñales avaliou: “Não, não são severos, no fim, é a mesma coisa. Eu me movi. Se você mexe, você recebe um ride-through”.
 
“Se você ganha tempo na largada, você tem de cumprir um ride-through. Não existe desculpa”, reconheceu.
 
Apesar do triplo revés, Viñales considerou que teve uma corrida forte, já que conseguiu se recuperar até o 11º posto.
 
“Foi uma boa corrida para nós aqui nos Estados Unidos, nós mostramos um ritmo realmente bom. Aí, depois do ride-through, eu pude rodar facilmente em 2min04s”, apontou. “Eu não esperava terminar em 11º, porque eu estava muito longe dos caras, mas estava cortando de dois a três segundos por volta”, recordou.
 
“Não foi ruim, eu estava pilotando bem, me sentindo bem na moto. Se estivesse na frente, poderia ir até mais rápido, mas é assim, não podemos mudar, só temos de pensar em Jerez”, completou.

🏍️ Enquete: que nota você dá para o GP das Américas de MotoGP
🏍️ Confira a classificação da MotoGP após GP das Américas