Viñales vê Suzuki com desempenho superior: “Impossível batê-los com nossa moto”

Com 19 pontos de atraso para o líder Joan Mir, o espanhol da Yamaha destacou como a adversária tem ritmo muito superior enquanto sua equipe sofre para conseguir trazer melhorias

Maverick Viñales não vê uma maneira possível de conseguir superar a Suzuki na temporada 2020. O espanhol destacou o desempenho superior da adversária e como a Yamaha não tem ritmo suficiente para conseguir acompanhar.

Em três das últimas quatro corridas, a equipe chefiada por Davide Brivio colocou seus dois pilotos no pódio, sendo uma delas com a vitória de Álex Rins. Já a esquadra situada em Iwata viu apenas Maverick Viñales e Franco Morbidelli terminarem no top-3 – uma vez cada. Portanto, seis posições de pódio contra duas.

Quando se fala em vitórias o jogo muda. A Yamaha já triunfou cinco vezes em 2020 – uma com o espanhol, duas com o ítalo-brasileiro e três com Fabio Quartararo. Mesmo assim, é Joan Mir quem aparece na liderança da classificação com 14 pontos de respiro para o francês da SRT.

“É impossível [batê-los] com a moto que temos agora. A moto deles está em outro nível e não podemos fazer nada. Precisamos tentar ter a moto perfeita em Valência, ter a largada perfeita e ver o que acontece. Tentarei dar o melhor feedback para os engenheiros e preparar a moto da melhor maneira. Aí veremos”, explicou Viñales.

Maverick Viñales estacou o bom desempenho de Joan Mir com a Suzuki (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“A Suzuki vira mais rápido, tem mais velocidade de curva e perde alguns metros na entrada. Não se pode recuperar isso, apenas se acelera mais. Temos algumas ideias, mas vai ser muito difícil de melhorar a moto agora porque não melhoramos desde o teste na Malásia, em fevereiro”, pontuou.

“Você pode ver os resultados que Mir tem conseguido. Segundo, segundo, terceiro, segundo, terceiro. A única razão de não ter vencido corridas é que está muito longe na largada. Quando nossa moto trabalha bem na sexta-feira, podemos vencer também, mas quando não, não tem nada que possamos fazer”, continuou.

“Quando há aderência na pista, a moto da Yamaha é a melhor, mas quando não há, não conseguimos nada. Mudei a potência, o mapping, o motor de freio, pilotei mais suave, mais agressivo e o tempo de volta é sempre o mesmo”, encerrou.

A temporada 2020 da MotoGP entra em sua reta final. Com apenas mais três etapas, duas em Valência e uma em Portimão, restam 75 pontos em jogo. Hoje, Viñales está em terceiro na classificação com 19 de atraso para Mir.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube