Zarco revela papo com Rossi, abraço em Morbidelli e garante: “Não fiz de propósito”

O piloto da Avintia assegurou que não tentou impedir a ultrapassagem do ítalo-brasileiro no momento do acidente que marcou o GP da Áustria. O bicampeão da Moto2 admitiu que seria loucura tentar barrar Franco Morbidelli na freada

Johann Zarco foi um dos protagonistas do GP da Áustria de MotoGP de domingo (16). Mas pelas razões erradas. Em uma tentativa de ultrapassar Franco Morbidelli, o francês causou um acidente apavorante que quase fez de Valentino Rossi e Maverick Viñales vítimas também.

Na nona volta da corrida no Red Bull Ring, Johann usou a velocidade de reta da Ducati para passar Franco na curva 1. Morbidelli preparou o troco para metros à frente, mas a curva 3 é uma freada forte, onde a velocidade cai de 309 km/h para 63 km/h em um espaço de apenas 244 metros.

Veja as fotos do assustador acidente do GP da Áustria de MotoGP: clique na imagem abaixo.

A moto de Morbidelli passou bem na frente de Rossi, que contornava o grampo do Red Bull Ring (Foto: Reprodução)

Zarco acabou cortando a frente de Morbidelli, que atingiu a Ducati da Avintia a quase 300 km/h. As motos, porém, seguiram para cruzar a pista, onde os demais pilotos contornavam uma curva de 90° em baixa velocidade. A moto de Franco passou entre Rossi e Viñales, enquanto que a #5 ficou bem perto de atingir a cabeça do italiano.

Ao falar com os jornalistas, Zarco contou que ele e Morbidelli “se abraçaram” no centro médico do Red Bull Ring. “Depois fiquei triste, pois durante as entrevistas, surgiram coisas ruins dos comentários de Franco e Vale”.

Falando à TV italiana, Morbidelli avaliou que Zarco tem “pouco amor” pelos rivais e classificou que o francês foi “meio assassino” no incidente que também colocou Valentino Rossi e Maverick Viñales em risco.

O multicampeão de Tavullia também criticou a atuação de Johann ao falar com a imprensa italiana. Na visão de Valentino, o piloto da Avintia freou propositalmente na frente de Morbidelli para não perder a posição e, por isso, achava que o francês merecia uma punição.

Antes de falar com a imprensa, Zarco procurou Rossi para conversar. “Franco já tinha ido embora, mas foi bom conversar com Vale. Passamos dez minutos juntos e pudemos falar sinceramente sobre o que aconteceu e o que pensamos. Felizmente, ninguém se machucou seriamente, então conversei com Vale para ele entender que eu não sou um maluco. Atrasei a entrevista, pois tinha de resolver as coisas”, contou.

O francês negou que tenha cortado a linha de Morbidelli propositalmente e reconheceu que seria “uma loucura” executar esse tipo de manobra.

“Eu ultrapassei Morbidelli na reta e no momento em que tinha de frear, ele me tocou e foi surpreendido”, disse Zarco. “Eles estavam achando que eu saí super da trajetória e isso não é correto, pois não saí. Eu não estava muito mais para fora do que o normal. E não fiz de propósito”, garantiu.

“Com certeza, não esperava que Morbidelli fosse tentar ultrapassar, mas não cortei a linha para impedi-lo. Seria uma loucura fazer isso e muito perigoso também. Sou consciente o bastante para isso. Então, quando estava freando, não houve pensamentos ruins, mas agora está tudo claro entre nós”, relatou. “Agora que conversamos, eles entenderam o que aconteceu e foi só por causa de toda a velocidade, porque estávamos próximos ― acho que ele pegou quando freei ― do vácuo um do outro. Tocamos-nos, aí não tínhamos controle nenhum e caímos”, explicou.

Ainda, Johann defendeu a manobra que executou na ultrapassagem, mas admitiu que se sente mal pelo que poderia ter acontecido.

“Não foi loucura, porque meu motor era realmente muito mais forte que o dele naquele momento e o ultrapassei quando ainda estávamos em quinta marcha. Quando estávamos talvez a 300 metros do ponto da freada. Quando freei, já fazia mais de 1s que estava na frente dele. Não foi uma ultrapassagem maluca”, alegou. “Só que na reta eu fui pela esquerda, pois não tinha espaço na direita, então eu estava bem na frente. Mas no momento em que tive de frear, talvez porque não estava super inclinado, tive de ir um pouco para a direita. E isso, com o vácuo ― acho que é muito similar ao que aconteceu comigo e Marc [Márquez] na Austrália [em 2018] ―, mas eu estava na frente”, frisou.

“Aí o lado ruim é que a moto podia realmente destruir Valentino. Vale só sentiu algo, levantou um pouco e viu a moto. Ele também levou um susto”, comentou. “Me sinto mal por essa situação. Franco se machucou mais do que eu, porque está com um pouco de dor na cabeça. Eu, por sorte, tenho algumas queimaduras nos braços, nos quadris e na perna. Um pouco de dor no punho, mas nada quebrado”, apontou.

Questionado sobre a conversa com Valentino, Zarco contou que o piloto da Yamaha explicou a visão que teve do acidente e pediu que ele seja cuidadoso.

“Ele só me disse que quando viu a queda, apenas nas poucas vezes que viu na TV, achou que eu estava super fora da trajetória e que fiz isso durante a freada, para parar Morbidelli. Expliquei a ele que não estava tão fora e que temos de rever, inclusive eu, porque não estava loucamente fora. Eu realmente não queria parar Morbidelli, não era essa a ideia no momento em que eu estava freando”, garantiu. “Ele queria que isso ficasse claro, que não fiz de propósito, porque foi a primeira impressão dele ― mas ele sabe que as motos são rápidas demais a 300 km/h, pesadas, e que, nessa velocidade, você não pode mudar sua trajetória no último momento como na Moto3”, indicou.

“Foi por isso que ele me disse ‘só tenha cuidado com isso’ e eu respondi: ‘Vale, eu tenho cuidado e foi por isso que tentei manter a minha linha’. Mas da forma como estava me movendo e não podia ir mais para a esquerda e talvez tenha sido isso que surpreendeu Franco. Essa foi a discussão”, relatou.

Por fim, Johann disse que “acha” que foi compreendido por Rossi, “pois estávamos só nós dois. Acho que foi muito, muito importante, porque a tinha sensação é que falamos honestamente”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO? Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.
Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.
Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar