Dovizioso mantém domínio da Ducati e vence GP da Áustria marcado por forte acidente

Depois de pedir o divórcio para a Ducati, o italiano de Forli mostrou força para assegurar a quinta vitória seguida da marca no Red Bull Ring. A corrida na Áustria, porém, ficou marcada por um acidente assustador que envolveu Johann Zarco, Franco Morbidelli e Valentino Rossi

Quem quer seja que escreve o roteiro de 2020 deu sua contribuição para a história da MotoGP neste domingo (16). Em uma corrida de tirar o fôlego ― pelas razões certas erradas ―, Andrea Dovizioso manteve intacto o domínio da Ducati no GP da Áustria apenas um dia após avisar a marca de Borgo Panigale que quer o divórcio no fim do ano.

Tal qual aconteceu mais cedo com a Moto2, a MotoGP teve a corrida interrompida em bandeira vermelha após um acidente assustador. Johann Zarco derrubou Franco Morbidelli e as motos dos dois passaram muito perto de atingir Valentino Rossi no Red Bull Ring.

Depois de uma interrupção para que a pista pudesse ser limpa, a corrida foi retomada para 19 voltas. Partindo da primeira fila, Jack Miller liderou os primeiros giros, mas logo foi superado por Dovizioso. Apostando num par de pneus macios, o australiano da Pramac logo se viu em dificuldades e passou a ser perseguido de perto por Joan Mir, que deu o bote em um erro do rival na volta final para estrear no pódio com um segundo lugar.

Andrea Dovizioso (Foto: Red Bull Content Pool)

Vencedor em Brno, Brad Binder saiu de 17º no grid original para receber a bandeirada em quarto, apenas 5s526 atrás do vencedor. Rossi, por sua vez, superou muito bem o susto de mais cedo, fechando a corrida na quinta colocação.

Melhor Honda, Takaaki Nakagami assegurou o sexto posto, seguido por Danilo Petrucci e Fabio Quartararo. Iker Lecuona viu a bandeirada na MotoGP pela primeira vez no nono lugar, com Maverick Viñales fechando o top-10 depois de um início ruim na relargada.

Com o resultado na Áustria, Quartararo chegou aos 67 pontos e agora tem 11 de vantagem para Dovizioso, que tomou a segunda colocação de Viñales. Binder avançou para a quarta colocação, à frente de Rossi.

Saiba como foi o GP da Áustria de MotoGP:

A ameaça de chuva seguia presente, mas o domingo amanheceu mais ensolarado no distrito de Murtal. Antes da largada da MotoGP, a temperatura estava em 27ºC, com o asfalto chegando a 53°C. A velocidade do vento era de 10 km/h.

Pela décima vez na MotoGP, Maverick Viñales tinha a pole, igualando a marca de Kenny Robertts Jr. É, aliás, a primeira pole da Yamaha no Red Bull Ring desde o retorno da pista ao calendário em 2016 ― e a primeira da marca na classe rainha em uma pista da Áustria desde Christian Sarron em 1988, ainda no Salzburgring.

Jack Miller vinha na segunda colocação, à frente de Fabio Quartararo, que larga no top-3 pela 11ª vez consecutiva. Andrea Dovizioso abre a segunda fila, o pior resultado do italiano de Forli no traçado de Spielberg. Pol Espargaró surge em quinto, seguido por Joan Mir, Franco Morbidelli e Álex Rins.

Luzes apagadas e largada autorizada no Red Bull Ring. Miller fez boa saída e tratou de passar Viñales para assumir a primeira posição. Pouco depois, Dovizioso também também deixou o espanhol para trás.

O titular da Yamaha vinha perdendo terreno no pelotão, logo sendo ultrapassado por Pol Espargaró, que também trouxe Joan Mir – o #12 caiu da pole para quinto. Quem também não fez boa saída foi Quartararo, que escorregou para a oitava colocação.

Junto com Cal Crutchlow, 20º, o francês foi o piloto que mais perdeu colocações no início – cinco. De todo o pelotão, Franco Morbidelli foi o único que manteve a mesma posição da largada, se mantendo em sétimo.

A ordem na pista após dois giros completados era Miller, Dovizioso, Pol Espargaró, Mir, Viñales, Quartararo, Morbidelli, Valentino Rossi, Miguel Oliveira e Johann Zarco. No top-5, quatro fábricas diferentes – Ducati, KTM, Suzuki e Yamaha.

Com o melhor ritmo do fim de semana, Pol tratou de superar Andrea para assumir a segunda colocação. O espanhol da fábrica austríaca estava apenas 0s188 distante de Miller, primeiro. Mas durou por pouco tempo, pois o #4 da Ducati logo retomou a segunda posição.

O pelotão da ponta contava com quatro pilotos. Restando 22 giros para a bandeira quadriculada, o #44 da KTM assumiu a primeira posição do pelotão. Mais para trás, Quartararo, líder da classificação, cometeu um erro e foi para a caixa de brita, caindo para último. Com 1min24s684, o ponteiro fez a volta mais rápida da prova.

Com pneu duro dianteiro e médio traseiro, destoando da grande parte do pelotão que foi de médio e macio ou com um par de médios, Pol começava a abrir uma ligeira vantagem na ponta, sustentando 0s384 de respiro para Dovizioso, o novo segundo.

Mas aí veio um assustador acidente no Red Bull Ring. Na curva 3, Johann Zarco e Morbidelli se tocaram, com ambos indo com violência ao chão. Acontece que as motos dos dois pilotos voltaram para o traçado, passando bastante próximo de Rossi. O ítalo-brasileiro precisou ser tirado de ambulância e a corrida foi interrompida com bandeira vermelha.

O assustador acidente que a dupla da Yamaha escapou (Foto: Reprodução)

Após uma paralisação, a corrida foi retomada no Red Bull Ring, e Pol Espargaró perdeu a primeira posição para Miller. Entretanto, o espanhol logo tratou de retomar a ponta. Dovizioso vinha em terceiro, com Álex Rins e Mir completando o top-5.

Mas o australiano da Pramac não se deu por vencido e conseguiu dar o troco em cima do espanhol. Mais para trás, Quartararo conseguiu saltar para a 16ª colocação, enquanto Viñales aparecia em último.

Na primeira colocação, com 1min24s445, Miller anotou a volta mais rápida. O piloto da Pramac abriu distância de 0s934 para Dovizioso, novo segundo colocado da corrida. Espargaró aparecia a 0s337 do italiano da Ducati.

Jack, na parada da bandeira vermelha, assumiu aposta diferente do restante do pelotão e calçou um par de pneus macios. Com isso, conseguiu imprimir ritmo dominante em cima dos adversários no reinicio da disputa.

Rins conseguiu deixar Pol Espargaró para trás e começou a caçar Dovizioso. O espanhol anotou 1min24s007 como melhor volta e estava apenas 0s133 atrás do italiano, que virava em melhor ritmo do que o piloto da Suzuki. Mais para trás, Quartararo havia entrado na zona de pontos, figurando na 13ª colocação.

Com 12 voltas para o fim, um novo acidente na pista, mas em proporções muito menores. Na curva 4, Pol e Oliveira se envolveram em um incidente, o que provocou o abandono da dupla. Pouco depois, foi a vez de Rins ir ao chão quando tomou a primeira colocação de Dovizioso. Quem foi promovido ao pódio foi Mir.

Oliveira não gostou de abandonar (Foto: Reprodução)

Quem vinha em grande ritmo era Brad Binder. Após largar do fundo do pelotão, o sul-africano aparecia na quarta colocação, 2s791 atrás de Mir. Rossi completava os cinco primeiros colocados.

Restando sete voltas para a bandeira quadriculada, Dovizioso era o primeiro colocado, com Miller, Mir, Binder, Rossi, Takaaki Nakagami, Danilo Petrucci, Quartararo, Iker Lecuona e Aleix Espargaró completando o top-10.

Joan tentava buscar Miller e vinha se aproximando de forma ameaçadora do australiano. A dupla tinha estratégias diferentes de pneus, com o espanhol da Suzuki com ambos médios.

Na bandeirada, a vitória ficou nas mãos de Dovizioso. Nos últimos metros, Joan conseguiu passar Jack e ficou com a segunda colocação, alcançando o primeiro pódio na MotoGP. Binder e Rossi completaram o top-5.

MotoGP 2020, GP da Áustria, Red Bull Ring, Final:

1A DOVIZIOSODucati28:20.85319 voltas
2J MIRSuzuki+1.377 
3J MILLERPramac Ducati+1.549 
4B BINDERKTM+5.526 
5V ROSSIYamaha+5.837 
6T NAKAGAMILCR Honda+6.403 
7D PETRUCCIDucati+12.498 
8F QUARTARAROSRT Yamaha+12.534 
9I LECUONATech3 KTM+14.117 
10M VIÑALESYamaha+15.276 
11A ESPARGARÓAprilia Gresini+17.772 
12M PIRRODucati+23.271 
13B SMITHAprilia Gresini+24.868 
14Á MÁRQUEZHonda+24.943 
15C CRUTCHLOWLCR Honda+27.435 
16T RABATAvintia Ducati+28.502 
17S BRADLHonda+28.609 
 A RINSSuzukiNC 
 P ESPARGARÓKTMNC 
 M OLIVEIRATech3 KTMNC 
 F MORBIDELLISRT YamahaNL 
 J ZARCOAvintia DucatiNL 

LEIA TAMBÉM
Dovizioso comunica à Ducati decisão de não renovar contrato para 2021

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO? Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.
Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.
Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube