Com apoio de equipes menores, Liberty Media planeja teto orçamentário de R$ 470 milhões na F1 a partir de 2021

Medida busca favorecer manutenção de escuderias de menor porte na categoria, já que principais impactadas seriam as grandes equipes, que ultrapassam esse valor em seus investimentos durante a temporada

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O Liberty Media tem como um de eus objetivos nesta nova "era" da F1 tornar a briga nas pistas mais atrativa para o público. Uma das formas é tentar diminuir a diferença dos carros das grandes equipes para as menores, que possuem menos investimentos. Assim, um dos planos do proprietário da categoria é instaurar um teto orçamentário anual para as escuderias.

De acordo com o jornal alemão “Sports Bild”, o teto seria de 150 milhões de dólares – atualmente, cerca de R$ 470 milhões – e passaria a valer a partir de 2021. Além disso, as equipes teriam outros R$ 170 milhões liberados para investimento em marketing e nos pilotos.

Gene Haas apoia a iniciativa do Liberty Media (Foto: Getty Images)

As equipes menores apoiam a iniciativa. O chefe da Haas, Gene Haas, por exemplo, declarou que o número seria, inclusive, um “aumento” no que ele possui, na atualidade, para investir.

“O problema maior seria para as equipes grandes”, afirmou Haas, mostrando apoio a ideia.

Um dos problemas, porém, seria a diminuição de vagas de emprego nas equipes grandes, como mecânicos, por exemplo. “Esse é um dos obstáculos. Você não pode mudar isso do dia para a noite”, completou Haas.

Toto Wolff, chefe da Mercedes, se disse aberto a discutir o teto, já que há, ainda, um intervalo de quatro anos para a possível implementação. “Acho que todos nós vivemos na mesma realidade financeira, vimos os times crescerem muito nos últimos anos e pensamos muito em como conter isso”, disse.

“As discussões que vêm acontecendo estão em um estágio inicial, mas acho que ainda não há discordância”, finalizou Wolff.

KUBICA TEM WILLIAMS COMO GRANDE CHANCE PARA VOLTAR À F1 EM 2018. E PODE "SOBRAR MUITO" PARA MASSA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar