F1

Com boné vermelho em homenagem a Lauda, Mercedes festeja penta da F1 na Inglaterra

Depois de garantir o penta da F1, a Mercedes fez uma grande festa logo após a viagem de retorno do GP do Brasil. Em Brixworth, sede da fábrica de motores, o time comemorou as conquistas dos Construtores e de Lewis Hamilton e aproveitou para homenagear Niki Lauda
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 A Mercedes 'tirou o chapéu' em homenagem a Niki Lauda na festa pelo penta (Foto: Reprodução)

Imbatível desde a introdução da nova ‘Era Turbo’ na F1, a Mercedes confirmou no último domingo (11) de GP do Brasil, em Interlagos, a conquista do pentacampeonato do Mundial de Construtores. Assim, tão logo desembarcou na Inglaterra, a escuderia prateada fez uma grande festa para comemorar também o pentacampeonato mundial conquistado por Lewis Hamilton duas semanas antes, no México. E Niki Lauda, presidente não-executivo e um dos pilares da escuderia, foi bastante homenageado.
 
A festa aconteceu nesta manhã de terça-feira em Brixworth, onde a Mercedes tem sua fábrica de motores. Estiveram praticamente todos os funcionários da equipe, além dos pilotos, Hamilton e Valtteri Bottas, e a cúpula liderada por Toto Wolff e James Allison. O único ausente foi Niki Lauda, uma vez que o dirigente e tricampeão mundial de F1 ainda se recupera do transplante de pulmão a que foi submetido.
 
Toto Wolff, Hamilton, Bottas, Allison e vários funcionários da equipe usaram bonés vermelhos alusivos a Lauda e ‘tiraram o chapéu’ em homenagem ao icônico piloto e presidente não-executivo da Mercedes.
A Mercedes festejou a conquista do pentacampeonato da F1 em Brixworth (Foto: Mercedes)
Sobre Lauda, Bernie Ecclestone revelou, na semana passada, que há uma espécie de “plano secreto” para que o austríaco volte ao paddock da F1 para a etapa final da temporada 2018, o GP de Abu Dhabi, no fim de novembro. O tricampeão, contudo, tem suas limitações por conta da recuperação do processo cirúrgico e está impedido pela junta médica de viajar de avião pelos próximos seis meses, de preferência ficando próximo a Viena, onde foi tratado.
 
A Mercedes reuniu não apenas todos os cinco carros que levaram a marca da estrela de três pontas ao Olimpo da F1 desde 2014, como também colocou lado a lado os motores de cada uma das campanhas vitoriosas no Mundial.
 
Com 620 pontos no Mundial de Construtores, a Mercedes assegurou o pentacampeonato com uma corrida de antecipação, enquanto a Ferrari soma 553. Na disputa entre os pilotos, Hamilton tem 383, enquanto Sebastian Vettel, com o vice-campeonato assegurado, está 81 tentos atrás. Valtteri Bottas ainda tem chances de finalizar o ano em terceiro, mas está 14 pontos atrás de Kimi Räikkönen.
 
 
Fome para muito mais
 
Mesmo com tantas vitórias e nada menos que dez títulos mundiais em cinco temporadas, a Mercedes não trabalha com a palavra ‘comodismo’. Muito pelo contrário. Lewis Hamilton deixa claro que a fome por mais conquistas segue grande em Brackley e em Brixworth, sedes da Mercedes, e que vai ser preciso trabalhar ainda mais para manter a supremacia na F1 na próxima temporada.
 
“Acho que esta equipe pode chegar lá de novo. Penso que temos a capacidade e há uma oportunidade. Só depende do quanto vamos trabalhar desde agora até o começo da temporada. Tem de imaginar que a concorrência vai elevar o sarrafo, a Red Bull vai elevar o sarrafo com as mudanças dentro da equipe. De modo que temos que dar um passo adiante”, declarou em entrevista veiculada pela agência ‘Reuters’.
 
“Sempre há áreas em que é possível entender e melhorar. Mas, em última análise, temos uma base muito boa, de modo que temos de seguir construindo em cima disso. É sobre ser estratégico e seletivo e sobre pensar em como se desenvolve o processo. Individualmente, como piloto, só tenho de tentar encontrar onde estão os pontos fracos e ver se posso melhorar”, concluiu o pentacampeão.