Confira declarações dos pilotos após classificação do GP do México, 19ª etapa da temporada 2018 da F1

Daniel Ricciardo surpreendeu na última tentativa e se colocou à frente do companheiro Max Verstappen - de qualquer forma, a Red Bull domina a primeira fila do grid do GP do México. O australiano, é claro, foi todo sorrisos nas entrevistas após o treino de classificação na capital mexicana, sentimento dividido por alguns dos pilotos, como Lewis Hamilton e Fernando Alonso, e não muito por outros

O sábado (27) de classificação seguiu uma tendência dos treinos livres para o GP do México: domínio da Red Bull. Mas houve também uma mudança fundamental: se Max Verstappen liderou as três sessões de abertura, na hora decisiva foi Daniel Ricciardo quem se colocou no topo.

A dobradinha, porém, rolou, e ambos ocupam a primeira fila no próximo domingo. Apesar disso, o discurso de ambos foi bastante diferente em termos de humor. 

Humor, do lado bom, visto tamvbém em Lewis Hamilton, que pode ser campeão mundial domingo, e até mesmo em Fernando Alonso, que fez ótimo treino para os padrões atuais da McLaren.

Confira o que cada um dos 20 pilotos do grid da F1 falou após o treino de classificação:

Max Verstappen e Daniel Ricciardo (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Daniel Ricciardo, primeiro: Ricciardo afirma que confiava em pole no México em caso de “volta limpa”: “E nem foi tanto assim”

Max Verstappen, segundo: Verstappen derruba placa de 2º colocado após pole de Ricciardo no México e diz que classificação foi “lixo”

Lewis Hamilton, terceiro: 3º no grid do México, Hamilton diz que “não esperava ficar tão acima” e comemora “grande dia para nós”

Sebastian Vettel, quarto: 4º, Vettel conta com velocidade nas retas para reagir no México e prevê Red Bull “se complicando sozinha”

Sebastian Vettel (Foto: Ferrari)

Valtteri Bottas, quinto: "Toda a equipe fez um bom trabalho ontem e hoje. O carro esteve muito melhor e pudemos recuperar nosso rendimento. Também quero agradecer aos mecânicos, que fizemos um trabalho incrível. Em menos de uma hora e meia eles trocaram meu motor e o carro funcionou bem depois. A classificação foi bastante sensível depois das mudanças no carro, mas não consegui uma volta perfeita no Q3. Não me senti tão bem quanto nas voltas anteriores, mas ao menos estamos mais próximos do topo do que sexta-feira. A primeira fila estava fora do alcance, mas ao menos nossos tempos foram parecidos com os da Ferrari. Há uma longa reta logo no coneço aqui, então começar na frente pode ser uma vantagem. A corrida deve ser muito divertida."

Kimi Räikkönen, sexto: "A sensação geral com o carro hoje foi melhor que ontem. Melghoramos e isso é positivo. Na classificação algumas voltas foram boas em alguns pontos e nas seguintes melhores em outros, então foi difícil encaixar uma boa volta. Em condiçõs mais frias parecia mais fácil. Não foi fácil, mas é assim às vezes. Será uma corrida longa e difícil. Os três primeiros começam com os mesmos pneus, vamos ver como isso funciona. Há uma longa reta já após a primeira curva. Trataremos de largar bem e evitar qualquer problema. A primeira curva é bastante agitada e apertada. Se consegue se sair bem, isso faz diferença. Vamos ver o que acontece e  gestão dos pneus será chave."

Nico Hülkenberg, sétimo: "É divertido brigar entre os 10 primeiros por uma boa posição e estou feliz com a forma que tiramos o máximo do carro. Estou feliz também com minhas voltas, no que foi uma sessão bastante intensa. O carro parece funcionar bem com as características do circuito do México, e não me preocupo com as condições meteorológicas. Que amanhã seja outro dia de bom trabalho."

Carlos Sainz Jr., oitavo: "Foi uma boa classificação para a equipe. Confirmamos que estamos melhores do que nas corridas anteriores e encontamos um pouco mais de rendimento no carro, então estamos felizes. De um ponto de vista pessoal, a classificação poderia ter sido melhor, já que eu sofri com o equilíbrio do carro e ele escapou muito de frente. Não me senti tão cômodo, mas de todo jeito conseguimos o Q3  Sempre queremos mais, assim lutaremos amanhã para que consigamos outro bom resultado."

Carlos Sainz (Foto: Renault)

Charles Leclerc, nono: "Estou feliz pelo treino, pelo 9° lugar e por ir ao Q3. Nosso rendimento foi sólido e nos recuperamos bem de ontem. Será um desafio manter nossos rivais atrás, já que começaremos com os hipermacios. Faremos o melhor possível e esperamos somar pontos."

Marcus Ericsson, 10°: "Depois de um dia difícil como ontem, trabalhamos duro para melhorar e os resultados provam nosso esforço. Fizemos algumas mudanças e elas renderam frutos. O carro esteve muito melhor e vimos a melhora no TL3. A classificação foi genial e foi bom chegar ao Q3. Muito esforço e devemos ter chances de bom resultado amanhã."

Esteban Ocon, 11°: "Estar em 11° é interessante. Começamos a classificação sabendo que não queríamos começar a corrida com pneus hipermacios e por isso corremos com o composto mais duro no Q2. Ser 11° quer dizer que podemos eleger os pneus para a corrida e teremos mais flexibilidade nas estratégias.  Assim, espero que nosso foco nos dê benefícios amanhã. Poderíamso ter ficado mais acima no grid se tivéssemos usado os hipermacios, mas estou feliz. Amanhã será uma boa luta com a Renault e Sauber, mas começar com os hipermacios deve forçá-los a uma estratégia diferente."

Fernando Alonso, 12°: “Minha volta de classificação hoje não foi perfeita. Tive um pouco de saída de frente nas curvas de alta com o último jogo de pneus, de modo que não estou completamente satisfeito ou orgulhoso da minha volta. Cometemos alguns erros e perdi alguns décimos, então, quando cruzei a linha de chegada e me disseram que era o 12º… foi muito melhor que o esperado. Depois de ficarmos fora do Q2 nas últimas quatro corridas, a posição de hoje é incrível, e os pontos estão mais próximos do que recentemente. O motor Renault funciona bem aqui. Não sofre tanto quanto os outros por conta da altitude, e o nosso ritmo em long-runs foi bom ontem, e isso nos permite sermos otimistas para amanhã. Vai ser uma corrida especial amanhã, uma vez que vai ter muitos fãs e vou ter muita torcida. Vai ser especial.”

Fernando Alonso (Foto: McLaren)

Sergio Pérez, 13°: "Tínhamos ritomo para chegar ao Q3 com os hipermacios, mas pensamos que não valia a pena o risco de começar com eles na corrida. Sabíamos que seria difícil chegar ao 10° lugar com os hipermacios, mas começar com eles nos daria alguma vantagem. O único lamento é que Fernando Alonso está na minha frente. Me faltou um pouco na parte final do Q2. Confio em nossas opções para amanhã. Acreditamos em nossa estratégia e podemos avançar na corrida."

Brendon Hartley, 14°: "Acredito que tínhamos ritmo para ir ao Q3, mas me decepcionei com minha última volta. Fiquei feliz com o carro por todo o final de semana, o Q1 foi genial, fiquei em 10° e isso representou bem o que poderíamos ter feito no Q2. Só tínhamos um jogo de pneus hipermacios para o Q2, e na última volta não acertamos o equilíbrio aerodinâmico. Perdi tempo ao sair da pista na curva 12 e não consegui alcançar o Q3. Para a corrida, os pneus serão chave. Preciso de um bom jogo no começo como foi em Austin. Somei pontos saindo em 20°, então amanhã espero repetir isso."

Stoffel Vandoorne, 15°: “Minha volta foi muito boa. Os tempos estiveram muito próximos e é uma pena perdermos um lugar no Q2 por alguns décimos, mas isso mostra o quão apertadas estão as coisas na zona intermediária. Os pneus foram melhores no frio. Vamos ver amanhã o que a corrida vai nos oferecer, espero que o desgaste dos pneus seja um fator chave. Vamos ver como a corrida vai se desenrolar. Sempre há coisas onde é possível melhorar, de modo que aqui é um pouco complicado por conta da altitude, mas é a mesma coisa para todo mundo. No geral, fiquei razoavelmente satisfeito com minha volta, fiquei muito perto de conseguir o máximo possível hoje.”

Kevin Magnussen, 16°: "Os dois carros caíram no Q1, decepcionante. Simplesmente não conseguimos lidar com os pneus. Cada vez que íamos para a pusta com um pneu novo era diferente. Tentamos corrigir sempre, melhorar o equilíbrio, mas aí encontrávamos algo diferente.  Foi impossível. Outros fizeram melhor hoje com os pneus que nós, então devemos melhorar. Tudo pode acontecer no domingo, sabemos, mas hoje foi decepcionante. Faremoz tudo que for possível para melhorar as coisas para a corrida."

Lance Stroll, 17°: “Estava numa boa volta na minha segunda tentativa e pensei que poderíamos avançar 0s5 com a melhora da pista, mas cometi um erro na Curva 7 e fiquei fora. Talvez seria possível outra colocação, mas ficamos fora por 0s7. Estávamos fora de ritmo e longe de ser competitivos neste fim de semana. Sendo realista, a corrida vai ser um desafio, mas vamos ver o que podemos fazer.”

Lance Stroll (Foto: Williams)

Romain Grosjean, 18°: "Melhoramos, mas não o suficiente. O meio do grid está muito ajustado, com dois décimos de diferença. Fizemos três voltas no Q1 com pneus hipermacios para maximizar nossas opções, mas não funcionou. Precisamos analisar o que podemos fazer de melhor e por que não somos bons saqui. Obviamente, há algo que acontece neste circuito. Somos competitivos em todos os lugares, menos aqui. Mas não nos rendemos. É uma tarefa difícil. Espero que possamos ir bem amanhã."

Sergey Sirotkin, 19°:  “Foi uma sessão muito difícil. Durante todo o dia foi ficando cada vez mais quente, o que acabou complicando as coisas. Fiz uma volta muito ruim, e sobre ela tenho toda a responsabilidade, estou decepcionado por isso. Não pude tirar o máximo de performance possível do carro, de modo que foi uma jornada muito decepcionante.”

Pierre Gasly, 20°: "Acredito que nossa classificação foi boa, mas o objetivo é a corrida de amanhã, por causa da punição. Fiquei feliz com meu Q1. Fiz uma boa volta, que poderia ser ainda melhor sem o erro de Stroll. Passar ao Q2 foi genial, mas foi frustrante não poder competir. Vimos muita degradação na sexta, então acertar os pneus será chave amanhã. Devemos ser inteligente com nossa estratégia. Me senti bem com o carro e começando em último espero ter alguns duelos emocionantes na pista.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube