Confira declarações dos pilotos após GP dos EUA, 18ª etapa da temporada 2018 da F1

A 18ª etapa da temporada 2018 da F1 foi uma das mais movimentadas. Kimi Räikkönen encerrou um longo jejum de vitórias e Max Verstappen e Lewis Hamilton fecharam o pódio

Kimi Räikkönen acabou com um jejum de mais de cinco anos e venceu o GP dos EUA neste domingo (21). O finlandês levou a melhor em uma das corridas mais disputadas da temporada com Max Verstappen e Lewis Hamilton – que ainda não foi penta – fechando o pódio.
 
Sebastian Vettel chegou na quarta colocação em Austin, após cometer mais um erro feio e rodar ao tentar passar Daniel Ricciardo no início da corrida. O top-5 ainda teve Valtteri Bottas em uma atuação bem discreta.
 
A Renault recuperouo posto de quarta força do grid e conseguiu a sexta colocação com Nico Hülkenberg e a sétima com Carlos Sainz. Sergio Pérez completou em oitavo. 
 
As últimas duas posições do top-10 só foram confirmadas tempo depois do fim da prova, com Esteban Ocon e Kevin Magnussen, que tinha sido oitavo e nono, respectivamente, excluídos por problemas relacionados ao consumo do combustível. Assim, Brendon Hartley e Marcus Ericsson pontuaram.
Kimi Räikkönen comemora no pódio do GP dos EUA (Foto: Beto Issa)

Confira as declarações dos pilotos:

 

Kimi Räikkönen, primeiro: Räikkönen prevê fãs “mais felizes” com fim do jejum de vitórias nos EUA e pondera: “Melhor do que em 2º”

 
 
 
 
Valtteri Bottas, quinto: "Nós já esperávamos uma corrida difícil. A Ferrari já parecia bem forte ontem e existiam várias dúvidas em relação ao uso dos pneus porque ninguém testou muito antes. Nós não tivemo o ritmo que estávamos esperando, principalmente com os macios. Nós fizemos uma parada como o esperado, mas o segundo stint acabou ficando um pouco longo. Fiquei sem pneus três ou quatro voltas antes do Sebastian me passar, não tinha o que fazer e ele abriu muito para mim depois. A estratégia de duas paradas também não funcionou com Lewis. Vamos fazer nossas análises de sempre agora e entender o que aconteceu para não sermos tão rápidos hoje, aí voltamos mais fortes e esperamos vencer no México. Ainda temos três corridas pela frente para seguir lutando."
 
Nico Hülkenberg, sexto: "Hoje foi o melhor resultado da equipe no geral desde que cheguei, então estou bem feliz, grande trabalho de todo mundo. Nós mostramos hoje que ainda temos um ritmo de corrida bem decente e seguimos competitivos. Também mostrou hoje o quão importante é ter uma boa posição de largada e uma primeira volta limpa. Tudo ainda é possível para nós e conseguimos bons pontos hoje. Foi uma corrida bem satisfatória, mas ainda temos três pela frente para seguir trabalhando duro."
Nico Hülkenberg (Foto: Renault)

Carlos Sainz, sétimo: "No geral, estou feliz com a posição que chegamos. Foi um resultado muito bom para a equipe, era exatamente o que precisávamos. Chegar em sexto e sétimo nos deu bons pontos. Da minha parte, consegui largar bem e passar três carros. Fui para fora junto com uma Ferrari, perdi lugar para o Esteban e depois passei ele de forma limpa, ainda não entendi bem minha punição. Depois disso, foi sobre poupar combustível e pneus. Estou feliz com o sétimo lugar e o trabalho do time."

 
Sergio Pérez, oitavo: "Fiz uma boa largada, consegui escapar do tumulto e me beneficiei do caos em volta de mim. Tentamos esticar o primeiro stint, mas acho que exageramos e paramos tarde. Nossa parada não foi a melhor e isso me jogou no tráfego, o que me fez perder posição para Magnussen, mesmo tendo passado ele logo depois, mas perdendo a posição na sequência. Fiquei próximo dele a corrida toda, mas não consegui passar. Não acho que conseguiríamos buscar as Renault, mas queria ter fechado a corrida na frente dele."
 
Brendon Hartley, nono: "Estou realmente feliz com meu desempenho e a corrida de hoje me deu dois pontos. Eu estava agressivo quando precisávemos e fiz um bom trabalho com os pneus. O time me deu boas informações e os mecânicos realizaram bom pit-stop – um bom trabalho. De último para o nono lugar, foi o máximo que dava para fazer hoje. Estou feliz com a agressividade e mostrei como andou a corrida. Ainda que tenha marcado pontos, não estava forte nas últimas provas. Estou motivado e otimista para o resto da temporada e além."
 
Marcus Ericsson, décimo: "Foi uma corrida decente para mim. O começo foi duro, eu larguei com os pneus mais duros, o que tornou mais difícil competir. De qualquer forma, avancei passo a passo. A meta era marcar pontos, então não estou satisfeito por completo com o resultado original, que era o 12º lugar. Nosso desempenho no fim de semana foi sólido, e estou ansioso para o México."
 
Stoffel Vandoorne, 11º: "No fim, o resultado de hoje nem foi tão ruim, principalmente por causa dessas circunstâncias. Nós tivemos uma largada mediana e vimos uma carnificina em nossa volta. Nos bateram em tudo que era canto do carro, isso não é bom. Fomos para as duas paradas ao decidir parar durante o VSC. Vários concorrentes fizeram uma parada só, difícil saber o que seria o melhor. No fim, acho que essa posição era o máximo que dava para buscar."
 
Pierre Gasly, 12º: "Corrida longa. Largar em 19º é sempre o começo de uma corrida difícil. Sofremos com destroços depois de uma primeira volta caótica e danificou o assoalho. Depois disso, apenas busquei fazer o que dava de dentro do carro, mas houve uma perda grande de aderência. O ritmo de classificação era ótimo, então tem coisas positivas para tirar. É uma pena que não deu para lutar apropriadamente hoje, mas estou esperançoso de que consigamos levar isso para o México."
 
Sergey Sirotkin, 13º: "Foi uma corrida difícil. Tive uma largada muito boa e ganhei um monte de posições. Tive um problema na parte traseira do assoalho num dos acidentes da primeira volta, fiquei ali no meio da confusão. Tive bom ritmo considerando os danos no carro e tudo parecia ok de novo. Depois do pit-stop, as coisas começaram a falhar de novo. Quando todo mundo começou a ficar no ritmo normal, a gente simplesmente não teve como acompanhar e nem manter alguém atrás de nós. Provavelmente, o problema no assoalho atrapalhou bastante. Estava só tentando chegar ao final da corrida sem perder mais tempo, acho que não tinha como ser muito melhor do que isso por tudo que rolou."
Lance Stroll (Foto: Williams)

Lance Stroll, 14º: "Foi um dia terrível. Tive um contato com o Alonso na curva 5 quando tentei mergulhar, vi um espaço e acho que ele não me viu e aí batemos. Minha corrida acabou ali, mas ainda tomei um drive-through. Não vi a telemetria, mas, para mim, foi incidente de corrida. Estou desapontado com esse resultado."

 
Charles Leclerc, abandonou: "É frustrante terminar assim. Nosso potencial era claramente para um bom resultado, especialmente largando no P9. Depois do incidente na primeira volta, o carro estava danificado demais para conseguir tirar alguma performance competitiva – mesmo depois de trocar o bico e os pneus. No fim, precisei abandonar, o que foi uma pena. A performance era forte durante o fim de semana, e vamos levar isso para o México."
 
Daniel Ricciardo, abandonou: "É muito frustrante abandonar tão cedo com um problema igual ao do Bahrein. Não consegui sequer me comunicar pelo rádio, então parecia algo com a bateria. Vendo como a corrida se desenrolou, torna mais difícil ainda. Foi um boma dia para Max, mas não tenho muito mais a falar. Quando as coisas saem de controle, o que resta fazer é tentar. Pena que tenho apenas algumas corridas com a Red Bull, proque eu gostaria de ter tido mais momentos bons do que eu tive. Quero comemorar mais uma vez com eles e subir ao pódio para viver isso, mas as corridas estão acabando com momentos como esse."
 
Romain Grosjean, abandonou: "Tive uma largada decente, tinha muita briga rolando. Estava brigando com Charles e Esteban, aí cheguei travando tudo na curva 12 para não acertá-los. Não queria correr muito risco, mas acabei pisando na parte suja e não consegui parar o carro. Tentei evitar o contato o que deu, mas o Charles estava ali lançado na curva e acertei ele. Sinto muito por ele e fico triste pelo nosso time. Era nossa corrida de casa, queríamos mais. Não foi uma boa tarde."
 
 
Esteban Ocon, desclassificado: "Foi uma corrida dura com uma primeira volta difícil. Perdi umas posições na largada porque alguns carros se arriscaram bastante. Deixei os caras passarem porque o risco parecia imenso. Só que aí eu tive dificuldade para buscar as Renault. Depois do pit-stop, o Magnussen colou em mim e ficou ali pelo resto da corrida. Precisamos ver em que áreas ainda podemos evoluir."
 
Kevin Magnussen, desclassificado: "Poderia dizer que foi uma corrida estável. O carro estava bem bom. Tínhamos um bom ritmo e consegui pressionar as Force India. Passei o Pérez depois do pit-stop e estava mais rápido que o Ocon, mas eu não tinha tanto combustível para buscá-lo. É uma pena que na F1 você precise ficar poupando combustível e não podendo atacar o cara da frente. No fim, os fãs queriam ver briga, mas eu estava lá tentando poupar combustível. É frustrante."

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube