F1

"Decepcionado" com Silverstone, Brawn quer manter prova na Inglaterra e cita possível corrida em Londres

Em sessão de perguntas e respostas, Ross Brawn lamentou as dificuldades da renovação de contrato para o GP da Inglaterra em Silverstone e também discutiu a possibilidade de uma etapa da Fórmula 1 em Londres, sonho antigo de Bernie Ecclestone

Grande Prêmio / Redação GP, Campinas
Uma das pistas mais tradicionais do calendário e berço da Fórmula 1 pode estar de saída em breve. Diretor esportivo da categoria, Ross Brawn comentou sobre as dificuldades de encontrar um acordo pra manter o GP da Inglaterra no lendário circuito de Silverstone. O vínculo do autódromo com a categoria se encerra neste ano, e uma possível renovação está emperrada. 

Em uma sessão de perguntas e respostas, o diretor lamentou as dificuldades sobre alcançar um novo acordo, mas garante que o GP da Inglaterra não sairá do calendário. A situação da renovação ficou mais difícil em janeiro, quando Stuart Pringle, diretor do circuito, divulgou uma nota criticando o grupo Liberty Media, dono da F1, e a forma como lidam com o esporte nos dias atuais.
A F1 não tem garantida a continuidade de Silverstone no calendário depois de 2019 (Foto: AFP)
"Queremos achar uma solução diferente para Silverstone, mas estamos divergindo em várias visões do que é razoável", disse Ross. "Nós não estamos distantes. É frustrante não encontrar uma solução. Estamos determinados a manter o GP da Inglaterra, de preferência em Silverstone, mas não temos certeza", comentou.

Uma segunda opção para o GP da Inglaterra seria o circuito de Brands Hatch, que alternou sua participação no calendário com Silverstone por 23 anos e recebeu a F1 pela última vez em 1986. Atualmente, o traçado é usado em categorias como a DTM e a Superbike. Brawn citou a pista como um exemplo de como uma prova em outro autódromo não seria estranha.
 
"Eu não acho que será o último GP da Inglaterra. Se for em Silverstone ou não, é outro assunto", declarou. "Correr na Inglaterra é importante para nós, e obviamente Silverstone foi a casa nos últimos anos, mas muitos aqui lembram da corrida em Brands Hatch e não soou estranho quando tivemos a prova lá e em Silvestone no outro ano", concluiu.

Com o anúncio do retorno da Fórmula E a Londres em 2020, — a categoria dos carros elétricos vai fazer uma prova em um circuito de rua montado próximo das Royal Docks —, foi revelado que o Liberty Media chegou a pensar em um GP na capital inglesa. Uma corrida nas ruas de Londres foi o grande sonho do antigo chefão da F1, Bernie Ecclestone.

Contudo, Brawn não acredita em uma corrida nos mesmos moldes da FE, e lembra que uma eventual etapa londrina não substituiria o tradicional GP da Inglaterra.
 
"Londres seria uma corrida diferente do GP da Inglaterra. É uma corrida de cidade, temos espaço para as duas. Eu não acho que seja possível ter uma corrida no meio de Londres. O caos e impacto seriam severos, mas na periferia de Londres, temos diversas áreas que funcionariam. Eu não acho que necessariamente substituiria o GP da Inglaterra, seria o GP de Londres", finalizou.

A temporada 2019 da Fórmula 1 começa no dia 17 de março, com o GP da Austrália. O GP da Inglaterra será a décima etapa do campeonato, e acontecerá no dia 14 de julho.