Hamilton diz que controlou ritmo no fim do GP da Austrália pensando no limite de três motores: “Medo de danificá-lo”

Lewis Hamilton não partiu para cima de Sebastian Vettel na parte decisiva do GP da Austrália e acabou em segundo. Segundo o britânico, parte dessa condições é culpa do motor: mas não de sua fraqueza, e sim do regulamento que só permite três durante o ano

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A perseguição de Lewis Hamilton ao vencedor Sebastian Vettel na parte final do GP da Austrália não foi das mais efetivas – o ferrarista acabou vencendo, enquanto o britãnico ficou com o segundo lugar. Até aí, normal. Mas, segundo o piloto da Mercedes, era possível tentar atacar mais o rival, só que o motor o impediu.

Não que ele tenha dado muitos problemas: a questão foi apenas a lembrança de que o novo regulamento da F1 exige que cada piloto utilize apenas três motores durante a temporada.

E Hamilton sentiu que o motor Mercedes estava superaquecido – assim, não valia a pena forçá-lo, correndo riscos.

"Fique com medo de danificá-lo", disse. "Tenho que fazer sete corridas com esse motor, mais até se for possível. Estava no limite, ele estava muito quente."

Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)

Segundo Hamilton, ele estava pilotando a "110%", mas preferiu segurar: "Se eu não conseguisse alcançá-lo de qualquer maneira ainda ia prejudicar os pneus, não iria arriscar tudo por causa de apenas sete pontos", completou.

HAmilton ainda afirmou que esse pensamento "vai contra seu espírito de corrida", mas que teve que aceitá-lo. "Quero terminar a temporada usando três motores, não quatro", finalizou o atual campeão.

”RECOMEÇA A BRIGA”

MERCEDES COMEÇA TEMPORADA AINDA À FRENTE DA FERRARI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube