F1

Leclerc tenta “apagar expectativas” antes da estreia na Ferrari: “Colocar pressão em mim não muda nada”

Charles Leclerc não tem pensado nos resultados que pode conquistar com a Ferrari. Na verdade, o monegasco afirmou que tem tentado apagar todas as expectativas sobre seu novo ciclo em Maranello, frisando como isso não afeta seu desempenho

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Charles Leclerc tem mantido os pés no chão a respeito da sua estreia na Ferrari. Apesar de reconhecer a grande pressão, o monegasco de 21 anos já deixou claro que não quer elevar as expectativas, pensando somente em focar em si mesmo.
 
Em apenas sua segunda temporada na Fórmula 1, o jovem já vai defender a esquadra de Maranello, tendo sua carreira formada na Academia de Pilotos da Ferrari. Sua passagem por categorias de base foi bastante positiva, conquistando o título da antiga GP3, em 2016, e da F2 em 2017.
 
Em 2018, então, fez sua estreia na Sauber, mostrando regularidade e terminando o campeonato em 13º. As idas constantes ao Q3 e a maturidade exibida durante as corridas, com corridas de destaque por uma equipe que outrora figurava no fim do grid, levou Leclerc a garantir um cobiçado assento de titular da Ferrari, desbancando o veterano e campeão do mundo, Kimi Räikkönen.

E mesmo sabendo que agora vai estar em uma equipe de ponta, capaz de impor tanta pressão como a Ferrari, Leclerc não quer focar nas expectativas.
Charles Leclerc (Foto: Ferrari)
“Estou apenas focando em mim mesmo, tentando apagar e deletar o que todos estão esperando de mim. Obviamente, se você está pilotando uma Ferrari, as expectativas são grandes porque é uma equipe de ponta e, provavelmente, a mais lendária da Fórmula 1”, falou.
 
“Expectativas sempre são altas quando você está pilotando para uma equipe como essa, mas, no final, apenas preciso focar em mim mesmo. Colocar pressão em mim não vai mudar nada, não vai me fazer ir melhor. Então, sim, não penso nessas coisas”, completou.

Charles também já deixou claro que não quer chegar à Austrália, primeira etapa do calendário, pensando em uma vitória. Entretanto, o monegasco reconheceu que se conseguir pressionar Sebastian Vettel, seu companheiro de equipe, vai ser um bom sinal.