Presidente da FIA diz que Fórmula 1 precisa entender acidente “assustador” de Grosjean

Jean Todt afirmou que foi assustador assistir ao acidente do francês e apontou que agora é necessário entender pontos como o motivo da explosão e as luvas, que não foram capazes de conter as chamas por muito tempo

Jean Todt está trabalhando a todo vapor em volta do acidente de Romain Grosjean. O presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) afirmou que a Fórmula 1 precisa rapidamente entender as circunstâncias da “assustadora” batida.

O GP do Bahrein de 2020 vai ficar na história da categoria por ter sido palco do grave acidente envolvendo o piloto da Haas. Ainda na primeira volta, escapou da pista e chocou-se contra o guard-rail, o que resultou no carro partido no meio e uma forte explosão. Apesar do susto, o competidor saiu da bola de fogo com apenas algumas queimaduras.

“Foi assustador de assistir. Acredito que todos já esquecemos como é ver um carro bater e pegar fogo. Precisamos entender o motivo de ter acontecido. Devo dizer, não me lembro de muitos acidentes em que o carro se partiu em dois. Precisamos ter bom conhecimento”, disse o dirigente ao site Autosport.

“Parece que o monocoque resistiu muito bem. Pode imaginar como estariam suas pernas, seus pés, caso não tivesse resistido? É absolutamente marcante. E muitas coisas são resultado das melhorias [de segurança]”, continuou o francês.

Todt foi visitar Grosjean no hospital pouco após o acidente (Foto: Stephane Guerrín/Facebook)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Precisamos entender as luvas, pois suas mãos estão com algumas queimaduras de segundo grau. Precisamos entender o que aconteceu com ele e o médico, pois suas roupas também ficaram queimadas”, completou.

Todt, que mostrou satisfação em como o halo ficou inteiro mesmo com a violência do acidente, ressaltou que é preciso entender o motivo do carro ter ficado partido em duas partes. “Você não consegue antecipar a maneira que o carro pode deixar o traçado como aconteceu”, disse.

“O ângulo foi determinado porque tocou no pneu de Daniil Kvyat e depois foi reto nas barreiras em um local que não espera que o carro deixe a pista. Estava 100kg de combustível, foi cortado em dois, precisamos entender”, emendou.

“Provavelmente atingiu o guard-rail com uma velocidade de 200 km/h e sabemos que caso o halo não estivesse lá, não quero pensar o que poderia ter sido a tragédia”, encerrou Todt.

Grosjean tem postado nas redes sociais sua recuperação no hospital. Com previsão de alta nesta terça-feira, o francês aproveitou para publicar uma foto fazendo agachamentos e ressaltou que o “corpo está se recuperando bem”.

Fora da prova deste final de semana, quem foi anunciado para substituí-lo foi Pietro Fittipaldi, atual piloto reserva da Haas. O brasileiro é o quarto piloto da família a correr na Fórmula 1.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube