F1

Villeneuve crê que Leclerc prejudica Ferrari na briga pelo título: “Trouxe um efeito negativo para o time”

Jacques Villeneuve acredita que a Ferrari errou ao não renovar com Kimi Räikkönen e apostar em Charles Leclerc em 2019. Para o campeão mundial de 1997, a vontade do monegasco em se afirmar como número um da equipe prejudica as chances de título de Sebastian Vettel

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
Campeão mundial da Fórmula 1 em 1997, Jacques Villeneuve criticou a Ferrari por conta do início decepcionante de campeonato, com nenhuma vitória em quatro corridas e atrás da rival Mercedes. O canadense acredita que a chegada de Charles Leclerc trouxe um impacto negativo para o time. Não por uma possível falta de talento, e sim pelo jeito que as coisas funcionam na equipe de Maranello.

Em entrevista ao site norte-americano 'Motorsport.com' após o GP do Azerbaijão, Villeneuve citou que o Leclerc é praticamente imune a críticas, diferente do que acontece com Sebastian Vettel, tetracampeão do mundo e seu companheiro de equipe.

"Se você ouvir qualquer fã ou ler os fóruns, até com o acidente na classificação, o Leclerc não recebe críticas. Se fosse o Vettel, seria destruído pela mídia e por todos pelo mesmo erro. Ultimamente, acho que isso trouxe um efeito negativo para o time. A rodada do Seb no Bahrein veio por isso, depois a ordem de equipe na China, tudo vem disso", citou.
 
"E o acidente do Leclerc na classificação faz parte disso, dele querer provar que é o número um da equipe. Ultimamente, isso vem atrapalhando o time inteiro. Eu espero que isso se equilibre, porque eles deveriam estar sendo perseguidos pela Mercedes. Em vez disso, conseguiram três pódios e só. Não está tendo um efeito positivo no time, é isso", completou.
Charles Leclerc (Foto: AFP)
Para Villeneuve, Vettel é um piloto que precisa ser "amado" pelo seu próprio time, e a presença de Leclerc, brigando para ser o número um da equipe, atrapalha o desempenho do alemão. O canadense citou a chegada de Daniel Ricciardo na Red Bull, em 2014, como exemplo. Na ocasião, o australiano somou três vitórias na temporada contra nenhuma do então campeão mundial, que deixou o time ao final daquela temporada.
 
"Leclerc é rápido e pronto. É a Ferrari que não está pronta para esse tipo de situação. Se você pegar pela perspectiva do Leclerc, é ótimo para ele estar lá. Ele está mostrando que é rápido. Mas se você olhar a Ferrari como um time, tem que olhar para o passado do Vettel, e lembrar quando o Ricciardo foi para a Red Bull. O Seb precisa saber que é amado pelo time e pelos fãs, e isso não acontece neste ano", declarou.

Jacques gosta do desempenho de Charles Leclerc, mas acredita que para ter uma chance maior de título, a Ferrari deveria ter renovado o contrato do finlandês Kimi Räikkönen, que atualmente está na Alfa Romeo. Na opinião do veterano, o movimento ajudaria Vettel em uma briga pelo título.
 
"Eles já tinham o Leclerc, poderiam dar o contrato para 2020 e 2021, mantendo o Kimi por mais um ano, porque esse era o ano para lutar. Todo mundo ficaria feliz, pois você daria tempo para eles, não desequilibraria as coisas. Eu não estou dizendo que o Leclerc é ruim, ele é incrível, muito rápido, merece estar lá, isso não é problema. Mas do jeito que a Ferrari opera, do jeito que o Seb é, ele precisa de amor ao lado de dele, e não foi o movimento certo", comentou.

Para completar, Villeneuve deu exemplo da Mercedes. Para ele, o time alemão acertou ao manter Valtteri Bottas na equipe para 2019, já que a reação do pentacampeão Lewis Hamilton com a chegada de um jovem como Esteban Ocon teria um efeito parecido com o que aconteceu na Ferrari.
 
"Veja o que fizeram na Mercedes e como estão fortes neste ano. Se eles colocassem o Ocon lá, o Lewis reagiria da mesma forma, queria comer ele vivo e o destruir. Mas existe respeito pelo Bottas, e mesmo com os dois somando duas vitórias, o Lewis não parece incomodado. Não foi o caso com o Nico Rosberg, por exemplo, e isso permite o time a alcançar um nível de performance jamais visto", finalizou.
 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.