Villeneuve questiona Mercedes por não defender Russell: “Bottas é muito lento”

Jacques Villenueve, campeão mundial de F1 de 1997, não poupou palavras para criticar Valtteri Bottas, piloto envolvido no caótico acidente com George Russell em Ímola

“Bottas sabia exatamente que seu sucessor em potencial estava prestes a ultrapassá-lo e arriscou um sério acidente com seu pequeno movimento para a direita. Ele não tem permissão para fazer isso nestas difíceis condições de pista”, disse o ex-piloto, em entrevista à F1 Insider. “Isso mostra o quanto Valtteri está tenso na segunda corrida da temporada. E não vai ficar melhor. Porque ele é muito lento. Se ele não fosse, ele não teria que defender sua posição tão duramente contra um carro Williams.”

George Russell e Valtteri Bottas se envolveram em um forte acidente durante a corrida em Ímola (Foto: Reprodução/TV)

Palavras duras que não se resumiram a apenas Bottas, Villeneuve também indagou Toto Wolff, chefe da Mercedes e empresário do piloto do carro #63, que não declarou nenhum culpado, mas afirmou que Russell, um dos favoritos para endereçar a equipe britânica na temporada que vem, deu alguns “passos para trás”.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“É por isso que não entendo muito bem Toto Wolff. Por que ele culpa o jovem britânico pela colisão?”, indagou Villeneuve.

Depois do caótico episódio da volta 32 em Ímola e das muitas acusações feitas pelo britânico, Russell se desculpou em suas redes sociais com Bottas um dia depois do ocorrido – atitude positiva aos olhos de Lewis Hamilton, que afirmou que a “força vem da vulnerabilidade”.

A próxima etapa da F1 acontece em 2 de maio. A categoria vai para Portimão, casa do GP de Portugal.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar