Di Grassi responde críticas à FE de consultor da Red Bull: “Se fosse purista, gostaria de corrida de cavalos”

Helmut Marko, consultor da Red Bull, disse que a Fórmula E "só serve para marketing" e que não gosta da categoria pois é um "purista". E isso irritou Lucas Di Grassi, que respondeu ao dirigente da F1

Segundo os dicionários, "purista" significa aquele que é adverso à mudanças, padrões. Helmut Marko, consultor da Red Bull, usou tal palavra para se posicionar contra a Fórmula E, e disse que a categoria de carros elétricos "só serve para marketing". E Lucas Di Grassi, campeão da categoria em 2016/17, não gostou.

Questionado sobre a declaração em Santiago, onde neste sábado (26) disputa a terceira etapa da FE em 2018/19, respondeu às críticas de maneira dura.

Lucas Di Grassi (Foto: Audi)

"Marko disse que não gosta da FE porque é um 'purista'. É um argumento falso, porque depende do que significa para cada um. Se fosse realmente um purista de corridas, defenderia corrida de cavalos", disse o brasileiro.

"Ou então ele gostaria só das corridas com motor de combustão, sem o sistema híbrido da F1 atual. É um argumento ambíguo. Essa opinião é mais como se ele dissesse 'veja, não quero correr na FE. Estou muito velho para isso e quero seguir com a combustão da F1", seguiu.

Para Di Grassi, renegar a FE é ignorar a importância do desenvolvimento dos carros elétricos para a sociedade: "A Audi ganha muito mais dinheiro aqui do que ganharia na F1 e como todos os carros da Audi serão elétricos, precisamos entender quais são as limitações, quais são os materiais adequados e como desenvolver um programa para o controle do motor."

"O motor a combustão a gente já sabe como funciona, o que se deve fazer é descobrir como tornar os carros elétricos mais rápidos, mais eficientes e mais baratos. É isso que fazemos aqui. Não só a Audi, mas todo mundo", finalizou o brasileiro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube