FE

Na chegada à Europa, Da Costa diz que liderança “é grande motivação” e conta com BMW forte em Roma

António Félix da Costa vai correr o eP de Roma como líder de um campeonato que muda de líderes a cada etapa. A dianteira, se não guarda ampla vantagem ou garantias, ao menos anima

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
Num campeonato cheio de nuances como o da temporada 2018/19 da Fórmula E, a liderança não serve como grande parâmetro de domínio esportivo. Com mudanças a cada etapa, um fator claro de demonstração sobre como há acirramento na disputa pelas primeiras colocações, tem precedido momentos difíceis. Mas pode servir como motivador, que é exatamente o que diz António Félix da Costa.
 
O piloto da BMW reassumiu a dianteira com o terceiro lugar no eP de Sanya. Embora tenha vantagem pequena - apenas dois pontos para Jérôme D'Ambrosio e dez para o sexto colocado -, ficou animado com a possibilidade de chegar observado à perna europeia da competição. 
 
"Vamos para Roma impulsionados por um resultado bom e desempenho forte em Sanya. O fato de que eu assumi a liderança no campeonato de Pilotos é uma grande motivação não apenas para mim, mas todo o time", disse.
António Félix da Costa (Foto: BMW)
Segundo o português, a pista de Roma - exigente para os motores - será boa para a BMW. Na temporada passada, ainda por uma Andretti que tinha dificuldades, terminou no 11º lugar.
 
"A pista em Roma deve casar com a gente. Foi muito divertido por lá no ano passado. É impressionante ver como os fãs estavam", finalizou.
 
O eP de Roma está marcado para o as 11h03 (de Brasília) do próximo sábado, 14 de abril.

Veja os horários do fim de semana da Fórmula E em Roma.