De escudeiro a protagonista: Morbidelli ganha fôlego na briga pelo título da MotoGP

O ítalo-brasileiro chegou para o GP de Teruel cercado de questionamentos sobre a eventual possibilidade de ajudar Fabio Quartararo na briga pelo título da MotoGP. Agora, porém, o campeão de 2017 da Moto2 tem só 11 de pontos de atraso em relação ao companheiro de equipe

Franco Morbidelli virou o jogo na briga pelo título da temporada 2020 da MotoGP. Ainda no sábado, o filho de uma brasileira do Recife teve de responder sobre a possibilidade de ajudar Fabio Quartararo, mas agora sai do GP de Teruel vivíssimo na disputa.

O piloto natural de Roma chegou para a corrida deste fim de semana com 34 pontos de atraso para Joan Mir, o líder do campeonato, e se recusou a aceitar o posto de coadjuvante do companheiro de equipe. No sábado, após se classificar em segundo no traçado localizado no nordeste da Espanha, Franco foi questionado se estava disposto a ajudar Fabio com base em uma amizade de equipe ao invés de esperar por uma ordem, já que “não estava na batalha pelo campeonato”, mas foi claro na resposta.

Franco Morbidelli agradeceu equipe pela vitória (Foto: SRT)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Por que não estamos na batalha pelo campeonato?”, questionou, se referindo também a Álex Rins, mencionado pelo jornalista Mat Oxley. “Eu te pergunto e você responde”, desafiou, sendo retrucado na linha do “você não está completamente fora, mas…”.

“A minha questão é por que não estamos na batalha pelo campeonato. Não disse que não vamos ajudar. Vou ajudar se precisarem de uma mão pelo campeonato se estivermos fora da batalha, mas não estamos fora da batalha pelo campeonato ainda. Este é o ponto de ajudá-los”, explicou.

Citado, Rins acompanhou a postura de Morbidelli. “Acho que Franco falou claramente. Ainda temos oportunidade de vencer o título. Não sei Franco, mas eu estou 36 pontos atrás de Mir, meu companheiro de equipe, e é só isso. Com certeza, se precisar ajudar Joan, vou terminar em primeiro para somar os 25 pontos, mas acho que, como Franco disse, o campeonato ainda está aberto”.

Isso foi ontem. Hoje, Morbidelli cortou para 11 pontos a diferença em relação ao companheiro de SRT Yamaha e tem apenas 25 a menos que Mir, o líder. Rins, por outro lado, diminuiu quatro pontos da vantagem do parceiro de Suzuki na tabela.

Questionado após a corrida se deveria ser encarado como o favorito entre os pilotos da Yamaha depois das atuações recentes de Quartararo e Maverick Viñales, Franco respondeu rindo: “Isso é muito engraçado. Ontem eu estava fora da batalha. Hoje, sou o cara principal. Acho que todos nós temos de focar em fazermos nosso trabalho da melhor maneira. Tem três candidatos dentro da Yamaha, nós três estamos na ponta e nós três estamos na briga pelo campeonato, então devo focar em mim mesmo, focar em fazer o melhor trabalho que puder. Os outros dois caras devem fazer o mesmo. E a Yamaha deveria batalhar pelos três”.

Morbidelli, que brincou que comeu dinamite no café da manhã, exaltou o trabalho da equipe chefiada pelo experiente Ramón Forcada e considerou que a escolha pelo par de pneus médios foi vital para a corrida.

“Sabia que tínhamos de ir para o tudo ou nada hoje e também sabia que a minha equipe tinha feito um trabalho maravilhoso nesta semana. Eles acertaram a moto da melhor maneira e eu estava confiando 100% no pacote, apenas tentando dar tudo em cada uma das voltas”, falou. “Eu me senti ótimo a corrida toda e isso é positivo, pois estávamos esperando o desgaste do pneu. Eu me senti incrível na distância toda da corrida, então, obrigado a eles pelo maravilhoso trabalho. Se venci hoje, foi por causa deles”, reconheceu.

Com apenas três corridas para o fim da temporada ― e 75 pontos ainda em disputa ―, Franco opinou que deve se manter no ataque até a bandeirada em Portimão.

“Aparentemente, hoje estamos de volta ao jogo. Estamos a 25 pontos do topo e somos forçados a encarar essas últimas corridas do campeonato totalmente no modo ataque. Vai ser necessário não cometer nenhum erro e trabalhar muito duro e muito bem e ver onde ficamos no final”, comentou.

Confira as principais imagens do GP de Teruel deste domingo

Morbidelli tomou a ponta do GP de Teruel após queda de Nakagami (Foto: Michelin)

Em relação ao GP de Aragão da semana passada, Morbidelli finalizou a corrida deste domingo 11s mais rápido.

“Trabalhamos muito bem neste fim de semana. Essa o foi a chave. Rodamos com pneus usados, tentando acertar a moto não para o pneu novo, mas para quando ele estivesse desgastando. E deu resultado, pois fomos 11s mais rápidos. E nós também fizemos uma escolha de pneus diferente, que foi um pouco melhor para mim”, apontou.

Por fim, o piloto de 25 anos celebrou a boa posição na tabela, mas deixou claro que seguirá focando passo a passo para depois ver onde encerra a temporada.

“Ser quarto no campeonato assim tarde é ótimo. É uma coisa ótima por si só. Esta é a MotoGP, é com isso que sonhava quando era criança, era com isso que sonhava no ano passado, há dois anos, sei lá”, afirmou. “É uma situação ótima para mim, mas quando você está no jogo, sempre quer mais, então vou sempre lutar por mais. No início do ano, não estava pensando em nada, não gosto de fazer previsões, gosto apenas de ir para pista, dar tudo e ver onde termino depois disso”, encerrou.

LEIA TAMBÉM
Mir amplia vantagem na liderança após GP de Teruel. Confira classificação
MotoGP nega impacto de maiores restrições por Covid-19 e vê fim da temporada seguro

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube