Quartararo pede punições mais duras na MotoGP: “Precisamos ser exemplo à Moto3”

Fabio Quartararo crê que a MotoGP não pode ser tão 'branda' em relação às punições, já que, para ele, a classe rainha precisa ser exemplo às suas categorias de base

SUZUKI DETONA BOMBA NA MOTOGP COM ANUNCIO DE SAÍDA EM 2022

Fabio Quartararo acredita que a MotoGP precisa ser mais dura em suas punições. Após a sexta-feira de treinos livres do GP da França, em Le Mans, o dono da casa fez a crítica se referindo aos pilotos que abortam volta rápida e permanecem na linha de corrida, ou mesmo aqueles que se prepararam para um giro — um exemplo é o de Álex Rins, que se irritou após ser atrapalhado por Pol Espargaró no segundo treino.

O atual campeão mundial vê que a classe rainha, em termos de punição, está se igualando à Moto3, sua própria categoria de base. O que não deveria acontecer, uma vez que a MotoGP deveria servir de exemplo para ela.

“Não há necessidade de ficar no meio [da pista] se você tem alguém atrás, você perturba esse piloto”, disse Fabio. “Eu realmente não concordo com isso. Por exemplo, quando eu estava na Moto3, meu exemplo eram os pilotos de MotoGP. Se começarmos a fazer isso, com certeza a Moto3 fará o mesmo. E no final eles punem muito a Moto3, mas nunca penalizam a MotoGP”, acrescentou.

O BRASIL EM DUAS RODAS
Dez pilotos brasileiros para acompanhar nas categorias do exterior

Fabio Quartararo criticou a MotoGP (Foto: Yamaha)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“Eu nunca vi um piloto ser punido por isso na MotoGP, além de Jack [Miller] comigo, na Argentina. Acho que precisamos ser mais agressivos [com punições], não apenas na classificação, mas também nos treinos livres”, completou.

O dono da moto #20 ficou em sexto lugar nos tempos combinados dos treinos. A Yamaha ainda segue procurando uma forma de melhorar a potência da YZR-M1 e, inclusive, levou algumas atualizações para os testes em Jerez de la Frontera, no início do mês. Questionado sobre isso, o francês avaliou bem o pacote, mas ainda tem dúvidas.

“Foi o que testei hoje na segunda corrida. Foi um pouco o mesmo que senti em Jerez. É bom, mas você não sabe se é melhor arriscar [ou ficar com] algo que você sabe que está trabalhando bem o tempo todo. Vamos analisar, mas minha primeira impressão é que ficaremos com o padrão para a classificação”, encerrou.

LEIA TAMBÉM
Bagnaia enfim acorda e põe tempero que faltava à temporada 2022 da MotoGP
Aprilia perde direito a concessões na MotoGP com pódio de Aleix Espargaró em Jerez
Suzuki quebra silêncio e diz que “discute com Dorna possibilidade” de deixar MotoGP em 22
Leopard assume interesse em ocupar vaga da Suzuki na MotoGP: “Ficaríamos muito felizes”

BASTIANINI, MARTÍN OU MILLER: QUEM FICA COM A VAGA NA DUCATI NA MOTOGP EM 2023?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar