KTM volta a perder rendimento e vive de raros lampejos na reta final da MotoGP 2021

Com Miguel Oliveira lesionado e Brad Binder oscilando muito, a KTM parece ter perdido toda a evolução obtida na primeira parte do campeonato da MotoGP. Agora, corre contra o tempo para não ser superada pelas rivais

A KTM entrou em 2021 com altas expectativas. Depois de três vitórias no ano passado — uma com Brad Binder e duas com Miguel Oliveira —, a montadora austríaca terminou a temporada em alta e prometia mudanças técnicas para evoluir ainda mais. O que se viu, no entanto, foi uma grande montanha-russa, com altos e baixos, mas que agora parece atingir o momento mais delicado.

A temporada começou com resultados ruins para Oliveira e Binder. Poucos pontos e quase nenhum brilho. A mudança só foi acontecer no GP da Itália, a sexta corrida do calendário, quando a KTM introduziu um novo combustível e, principalmente, um novo chassi. Visando melhor rendimento nas retas e equilíbrio nas curvas, o time vislumbrou melhores resultados.

E até que eles aconteceram, é verdade. Logo na primeira corrida com as mudanças, Oliveira foi ao pódio em Mugello. Na corrida seguinte, venceu na Catalunha, ainda que Brad Binder não conseguisse os melhores resultados. Outro pódio, na Alemanha, firmavam a evolução dos austríacos. Era a hora da virada.

Miguel Oliveira caiu de rendimento depois das férias (Foto: KTM)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Ainda que mais discreta, a KTM venceu mais uma vez neste ano, dessa vez com Binder. Arriscando com pneus slicks na pista molhada do Red Bull Ring por três voltas, venceu de maneira heróica. E, bem, foi só. A fase atual da montadora é muito ruim, com resultados bem abaixo do esperado.

Nos treinos livres para o GP da Estíria, Oliveira sofreu uma estranha queda. Saindo da curva 3, perdeu a traseira da moto e foi ao solo com violência. Ficou ameaçado de não correr, mas se esforçou e entrou na pista, ainda que tenha abandonado logo depois. Desde então, porém, o piloto português pontuou apenas uma vez, em Aragão, quando terminou em 14º. Desde a volta das férias, apenas dois pontos marcados.

Em Aragão, Oliveira esbravejou sobre o desempenho obtido na reta final da MotoGP em 2021. “Foi bem difícil para mim. Não estou andando como queria e estamos pagando o preço. Não somos competitivos, essa é a realidade. Nossos rivais estão melhores”, pontuou.

Brad Binder conseguiu surpreendente vitória na Áustria. E só (Foto: Red Bull Content Pool)

Binder, por outro lado, conseguiu pontuar mesmo depois das férias. Além da inesperada vitória na Áustria, esteve no top-10 em outas quatro oportunidades. Com isso, subiu para o sexto lugar no campeonato, ainda que distante de qualquer possibilidade de título. Mesmo assim, um surpreendente e digno lugar no meio do caos que vive a KTM.

“A equipe está sempre trabalhando duro e estamos tentando muitas coisas para resolver os problemas e colar nos ponteiros”, colocou o sul-africano após Misano. A vida de se classificar mal e recuperar na corria virou uma ingrata rotina.

A KTM ainda tem mais quatro corridas para reagir na reta final da MotoGP. No Mundial de Construtores, já perdeu o terceiro lugar para a Suzuki, mas ainda está na briga. A reação precisa pintar para que esta temporada não seja totalmente perdida e que não fique com um gosto amargo para os austríacos mais uma vez.

MotoGP volta às pistas no próximo dia 3 de outubro para o GP das Américas, em Austin, no Texas. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

VEJA TAMBÉM
Como fica o grid da MotoGP para a temporada 2022?
Marc Márquez atende chamado de mãe e surpreende fã mirim em Misano
Bagnaia corta 5 pontos da vantagem de Quartararo na MotoGP. Veja classificação
Bagnaia vai da explosão à sobrevivência e gabarita de novo na pós-graduação da MotoGP
Quartararo mantém alto nível e se permite queimar gordura na reta final da MotoGP 2021
Bastianini brilha em Misano e mostra que Ducati tem mais um diamante nas mãos na MotoGP

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar