Leão de treino, Viñales brilha na classificação, mas rugido que importa é no domingo

Tal qual fez na semana no GP de San Marino e da Riviera de Rimini, o espanhol cravou a pole-position. Resta saber se ele vai morder na corrida e amansar como tem feito até aqui

Maverick Viñales provou mais uma vez neste sábado (19) que não lhe falta velocidade. Assim como fez na semana passada, o espanhol da Yamaha cravou a pole em Misano, desta vez para o GP da Emília-Romanha e da Riviera de Rimini. Mas a pergunta que não quer calar é: ele vai rugir também no domingo?

A performance dos últimos anos deu ao piloto da Yamaha a inglória alcunha de ‘leão de treino’. Afinal, não foram poucas as vezes em que Viñales se destacou em testes e treinos, mas decepcionou na corrida. O último fim de semana, aliás, foi um exemplo claro disso: Maverick saiu na pole depois de boas performances nos ensaios, mas andou para trás na hora da corrida e terminou apenas em sexto.

No segundo GP do ano no circuito Marco Simoncelli, Viñales chegou embalado pela liderança no teste coletivo do último dia 15, mas apesar de ter fechado a sexta-feira entre os ponteiros, o piloto da moto #12 escancarou a insatisfação com a Yamaha. Na visão do espanhol, não houve progresso na questão da falta de aderência na traseira da YZR-M1 nos últimos três anos e, por isso, ele passaria a focar na dianteira para tentar encontrar o tempo de volta com outro estilo de pilotagem.

Maverick Viñales, Yamaha, MotoGP 2020, GP da Emília-Romanha, Treino
A Yamaha voltou a mostrar força (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Hoje, porém, tudo mudou. Depois do TL3, Viñales já se mostrava mais satisfeito, uma alegria que só fez aumentar após herdar a pole na classificação ― Francesco Bagnaia tinha feito a melhor volta, mas acabou com o tempo cancelado por conta do rigor com que a FIM (Federação Internacional de Motociclismo) tem interpretado os limites da pista.

Definido o grid, Maverick voltou a falar no erro da escolha de pneus em San Marino, quando foi o único a calçar a moto com o pneu traseiro duro.

“A explicação básica para o último domingo foi o pneu. A escolha de pneus estava errada, então, não tinha grip o bastante do lado esquerdo, o que me fazia perder muito tempo nos setores dois e quatro e me impedia de ser rápido”, disse Maverick. “De qualquer forma, precisamos aprender com esses erros. Neste fim de semana, nós trabalhamos muito com o médio, fizemos um trabalho um pouco diferente com a moto e foi bom. O tempo de volta foi bom, pude pilotar de forma suave e atingir bons tempos, o que é sempre muito importante”, considerou.

“Ainda assim, amanhã será uma história diferente. A corrida será muito longa”, alertou. “Eu me preparei bem, então, vou tentar forçar desde o início. Dar o meu máximo é minha única prioridade”, avisou.

Depois de reclamar de queda de performance da M1 com o tanque cheio, Viñales focou no long-run e crê ter encontrado uma solução para esta sétima corrida da MotoGP em 2020.

Fabio Quartararo, MotoGP 2020, GP da Emília-Romanha, Classificação
Fabio Quartararo mostrou bom ritmo em Misano (Foto: SRT)

“Eu tive problemas com o acerto da corrida, então, tentei trabalhar neste fim de semana sempre com isso. Digamos que corremos em todos os treinos. E melhoramos. Semana passada a moto estava sempre boa sem combustível, mas com ele, tive muita dificuldade na corrida e também no warm-up. Desta vez, trabalhamos um pouco mais e parece que melhoramos, então, torcemos para que funcione na corrida”, declarou. “Se não funcionar aqui, tentaremos ainda mais em Montmeló. Temos boas oportunidades de melhorar. Nosso potencial é bom, mostramos velocidade em uma volta, mas também fomos muito consistentes no TL4”, insistiu.

Ao ser perguntado sobre a escolha de pneus para este fim de semana, já que errou em San Marino, Maverick não teve pudores em culpar um colega de equipe.

“Quando você trabalha todo o fim de semana e o cara responsável pelo pneu diz que o duro é a sua melhor opção, você coloca o duro”, analisou. “Não acho que fomos bem nessa área, pois as outras Yamaha estavam com o médio. Mas me disseram que o duro era a melhor opção para o meu estilo de pilotagem. No fim, isso não era verdade, era incorreto”, reconheceu.

“Cometemos muito erros em muitas corridas nas quais meu potencial era bom, mas a escolha de pneus foi o problema número 1. Temos de prestar mais atenção nisso”, frisou. “Semana passada, durante os treinos, o médio estava desgastando rapidamente, mas acho que os caras conseguiram fazer durar muito mais na corrida”, continuou.

Em meados de agosto, depois de um erro na escolha de pneus em Brno, Viñales admitiu que precisava se “deixar aconselhar” pela fabricante francesa. Mantra que repetiu neste sábado.

Pecco Bagnaia, Pramac, MotoGP 2020, GP da Emília-Romanha
Pecco Bagnaia teve volta cancelada no fim da classificação (Foto: Pramac)

“Precisamos trabalhar muito de próximos da Michelin, pois talvez a Michelin não tivesse a mesma opinião do que o cara responsável pelos pneus na nossa garagem. Precisamos tentar trabalhar mais duro, pois cometemos muitos erros e isso me frustra bastante”, admitiu. “Neste fim de semana, muita gente vai com o macio, muitos com o médio, realmente não vejo ninguém trabalhando com o duro. Descartamos isso na sexta-feira e só usamos de manhã, pois dura um pouco mais e podíamos trabalhar mais no acerto”, justificou.

Questionado, então, se pensou em substituir o funcionário da Michelin que atua nos boxes da Yamaha, Viñales explicou: “Não. Temos Pascal, que está sempre dando boas orientações, mas temos outra pessoa dentro do nosso time, da Yamaha, que analisa os dados dos pneus. E não acho que ele fez um bom trabalho na semana passada. Tenho de dizer isso, pois nós fizemos um bom fim de semana e cometemos um erro com o pneu, então, isso está errado. Todo o trabalho que você faz no fim de semana é desperdiçado só porque você colocou o pneu errado”.

“Prestamos muita atenção nisso, estamos trabalhando muito duro com Estaban [García, chefe dos mecânicos] para não deixar nada passar e escolher as coisas certas o tempo todo”, completou.

Quem são os mais fortes em Misano?

Na frieza dos números, Viñales aparece bem em termos de corrida, assim como Fabio Quartararo, que também tenta recolocar a temporada nos trilhos depois de perder a liderança do Mundial.

“Foi uma classificação complicada e não me senti bem com a moto. Fiquei surpreso com a minha volta, pois cometi um erro na curva 14. Mesmo assim, foi bom o bastante. Estou feliz por estar na primeira fila outra vez, era nossa principal meta. E o nosso ritmo também é ótimo”, comentou Fabio. “Testamos muitas coisas no TL4, então foi um pouco difícil para nós, mas mostramos que temos um bom ritmo e me sinto forte. Acho que são sete ou oito pilotos que podem lutar pela vitória amanhã. Vai ser importante fazer uma boa largada, algo em que trabalhei neste fim de semana para melhorar. Vai ser uma corrida divertida e tomara que possamos ter um bom resultado”, torceu.

Além do francês, Pol Espargaró também mostrou uma boa cadência. O caçula dos irmãos de Granollers esperou até a volta final para cravar 1min31s308 e assegurar a quarta colocação no grid.

Joan Mir, MotoGP 2020, GP da Emilia-Romanha, Classificação
Joan Mir se complicou com posição de largada ruim (Foto: Suzuki)

“Vi que Iker [Lecuona] fez seu melhor tempo [no Q1] na terceira volta, então, esperei até o final da sessão, arriscando muitíssimo, mas não queria cometer um erro antes. O nível de risco para fazer uma volta rápida neste circuito nas curvas para a esquerda é muito elevado e só queria arriscar no final, não nas tentativas anterior”, explicou.

Apesar do fim de semana positivo até aqui, Pol não se mostrou excessivamente confiante, já que se preocupa com a borracha Dunlop depositada na pista durante a corrida das classes anteriores.

“Nosso maior medo é como estará a pista depois da Moto2. O ritmo é muito bom, a moto funciona muito bem. Vendo o ritmo dos outros, podemos lutar pelo pódio, mas tudo muda depois da corrida da Moto2”, alertou. “Estamos nos preparando pata qualquer situação, mas é muito complicado fazer uma mudança drástica na moto para o caso de não podermos pará-la nas freadas, como aconteceu no domingo passado. Não temos como antecipar um problema que agora não temos”, comentou.

Só 0s005 mais lento que Pol, Bagnaia acabou em quinto após a volta cancelada, mas também tem potencial para repetir a boa exibição da semana passada, quando estreou no pódio.

“Acertaram em me tirar a volta. De fato, perdi tempo fora da pista, mas regras são regras. Eu estava muito ávido na última curva. Abri demais o acelerador, mas aprendi a lição. Na próxima vez, serei mais contido. Uma pena. Teria sido uma volta impressionante, mas tudo bem”, comentou.

Mesmo destacado ao longo do fim de semana, Pecco fez o que pôde para tirar a pressão dos ombros.

“Não sou favorito, pois nunca venci uma corrida da MotoGP, mas me sinto bem. Viñales, Quartararo e Mir, definitivamente, têm um ótimo ritmo. Morbidelli também é rápido, e acho que Valentino deu um passo no TL4”, comentou.

Andrea Dovizioso lidera a MotoGP (Foto: Red Bull Content Pool)

Citado pelo italiano da Pramac, Joan Mir mostrou mesmo um bom ritmo, mas acabou se complicando na classificação. O espanhol vai largar só em 11º.

“Melhoramos nosso ritmo hoje, o que é bom, mas ainda foi difícil fazer uma volta rápida. Meu ritmo em volta lançada é uma coisa com que tenho dificuldade há algum tempo. De fato, minha performance é melhor com menos aderência e pneus usados, Por isso, estou confiante no meu ritmo de corrida, uma vez que me sinto bem com a minha moto e posso me sair bem ao longo da distância da corrida. Não vai ser fácil começando atrás, mas vou lutar para estar no pódio outra vez e tentar somar o maior número de pontos possível”, declarou.

Líder do Mundial, Andrea Dovizioso não teve um sábado dos melhores e vai largar apenas em décimo depois de rodar 0s504 mais lento que Viñales na classificação.

“Foi um dia difícil. De manhã, não conseguimos avançar diretamente para o Q2, mas felizmente encontramos algo no TL4 que melhorou a minha sensação com a moto, o que me permitiu registrar o segundo tempo mais rápido no Q1”, apontou. “Infelizmente, no Q2 não consegui uma volta perfeita. Amanhã vamos iniciar a corrida bem atrás, mas espero que isso não nos prejudique muito”, encerrou.

GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP de Emília-Romanha e da Riviera de Rimini, oitava etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

LEIA TAMBÉM
De destemido a desempregado: Dovizioso faz graça com macacão na Emília-Romanha
Francis Bradfield, o homem que protesta contra o racismo sozinho na MotoGP

Confira as imagens deste sábado de MotoGP em Misano

Álex Márquez, MotoGp 2020, GP da Emília-Romanha, Classificação
Álex Márquez (Foto: Repsol)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube