Marc Márquez é liberado para correr GP da Andaluzia dois dias após operar braço direito

A previsão mais otimista apontava um retorno para o GP da Tchéquia, em Brno, mas o espanhol tem aval para voltar ao circuito de Jerez dois dias após cirurgia no braço direito

Marc Márquez já provou das mais diferentes maneiras que é um sobre-humano, mas mesmo assim não cansa de surpreender. Nesta quinta-feira (23), apenas dois dias após passar pela sala de operação, o espanhol realizou testes físicos e recebeu a liberação dos médicos para disputar o GP da Andaluzia.

A aposta do retorno parecia arriscada demais para se tornar verdade. Tudo começou com a forte queda que sofreu na abertura da temporada 2020 da MotoGP, também em Jerez. Com a fratura no húmero do braço direito, voou para Barcelona na segunda-feira e foi operado pelo Dr. Xavier Mir, médico da categoria, na terça-feira. Nesta quinta, voltou ao circuito espanhol deixando claro: queria correr.

Às 13h30 locais (8h30 em Brasília), Márquez passou por exames para avaliar sua condição física. Os resultados foram satisfatórios, e o piloto vai ser visto já na pista na sexta-feira, três dias após ter sido operado.

A situação era bastante improvável para todos no entorno de Marc. A Honda já havia embalado todo o material do box do #93, afinal, a previsão era de que conseguisse correr apenas na terceira etapa do calendário, em Brno, entre os dias 7 e 9 de agosto.

É oficial: Marc Márquez corre o GP da Andaluzia (Foto: Reprodução/MotoGP)

Mir revelou que sempre esteve nos planos de Márquez correr e explicou a situação do competidor. “Enquanto estávamos em Jerez, ele me perguntou se poderia correr esta semana. Não me perguntou na mesa de operação, mas em Jerez, sem saber se o nervo estava danificado ou não. Naquele momento, não saberia se conseguiria, mas estamos acostumados com essas recuperações.”

“Seus ossos são normais. Mas são de um jovem profissional, com uma musculatura particularmente ativa e forte, e com uma capacidade impressionante de sofrimento durante a reabilitação. Esses caras têm o doido desejo de se recuperar e competir novamente, o que causa reação do corpo”, concluiu.

Alberto Puig, chefe da Honda, revelou que o piloto de Cerverá corre no sábado, quando acontecem dois treinos livres e classificação, e então define se participa da corrida do domingo.

O hexacampeão espanhol não foi o único a passar pelo exame físico. Cal Crutchlow, com uma fratura no punho, e Álex Rins, com um ombro deslocado, também realizaram testes e igualmente foram liberados para a corrida do final de semana.

A última vez que o líder da MotoGP fez um retorno precoce às pistas foi Jorge Lorenzo. Em 2013, o piloto da moto #99 teve queda violenta durante o primeiro treino em Assen. No mesmo dia, voou para Barcelona, foi operado na manhã da sexta-feira, na parte da tarde voltou para a Holanda e recebeu ok para correr. Naquela etapa, terminou em quinto.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube