Albon vê FW46 “muito diferente” e admite mudar “estilo de pilotagem” para 2024

Alexander Albon revelou que o FW46 eliminou problemas vistos em seu antecessor, mas admitiu que vai precisar mudar estilo de pilotagem para lidar com o novo carro

A Williams apresentou, na segunda-feira (5), o carro com o qual pretende dar mais um passo à frente na temporada 2024 da Fórmula 1. Contratado em 2022 para liderar o projeto do time de Grove, Alexander Albon teceu os primeiros comentários sobre o desenvolvimento do novo bólido. De acordo com o tailandês, o FW46 é “muito diferente” de seu antecessor.

A contratação de James Vowles no ano passado foi um forte sinal de que o Dorilton Capital — empresa proprietária da escuderia — estava decidido a investir no crescimento da icônica equipe. Com uma nova identidade e filosofia, Albon já percebeu as primeiras mudanças.

Relacionadas


“O carro está muito diferente, mais do que qualquer outra coisa. Uma sensação diferente, o que demanda um estilo de pilotagem diferente”, explicou o ex-piloto da Red Bull.

“Obviamente, não quero falar cedo demais, mas o FW45 sempre teve algumas limitações consistentes com o carro”, admitiu. “Principalmente em pistas como Mônaco ou Barcelona, elas se destacavam”, acrescentou o #23.

De acordo com Albon, FW46 eliminou problemas de seu antecessor (Foto: Williams)

Albon ainda destacou quais eram as suas maiores dificuldades com o carro anterior e esclareceu que os problemas parecem ter sido resolvidos após os novos desenvolvimentos. “A baixa velocidade sempre foi um grande problema para nós, assim como os freios também sempre foram um grande problema. Mas também a alta velocidade e as curvas longas eram difíceis de lidar”, lembrou ele.

“No simulador, é possível ver que essas áreas definitivamente melhoraram, mas, ao mesmo tempo, será necessário um estilo de pilotagem diferente”, destacou o piloto de 27 anos, antes de continuar: “Acho que até chegar à pista, terei de começar a entendê-lo e a me acostumar com ele.”

No entanto, Alex garantiu que tais problemas existiam muito antes de sua chegada na Williams. De acordo com o piloto, as reclamações sempre foram as mesmas, mas o time está conseguindo resolver todas elas. “Não é apenas o meu feedback, mas o de todos os companheiros de equipe, mesmo em 2021, 2020, quando eu nem estava guiando o carro”, alertou. “Eram os mesmos problemas. Sempre houve um problema inerente aos carros da Williams nos últimos quatro ou cinco anos”, disse o companheiro de equipe de Logan Sargeant.

Em 2023, a escuderia comandada por Vowles sacrificou grande parte do desenvolvimento do FW45 para dedicar mais tempo e atenção ao FW46. A única grande atualização feita ao longo de toda a temporada foi no GP do Canadá, em 18 de junho.

“Acho que sacrificamos um pouco do tempo de desenvolvimento do FW45 para focar no FW46, diminuindo a quantidade de atualizações que tivemos no carro. Isso foi feito na tentativa de garantir que atacássemos esse carro de forma mais agressiva e realmente começássemos a mudar o DNA dele”, garantiu. “Esse é o plano, vamos ver se ele dá certo”, concluiu Albon.

A Fórmula 1 retorna às pistas entre os dias 21 e 23 de fevereiro, com os testes coletivos de pré-temporada no Bahrein, no circuito de Sakhir.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.