F1

Confira declarações dos pilotos após GP da Alemanha, 11ª etapa da F1 2019

Max Verstappen venceu um GP icônico, tanto pelos acidentes quanto pela imprevisibilidade climática. O holandês ganhou companhia de Sebastian Vettel e Daniil Kvyat, respectivamente segundo e terceiro na Alemanha

Grande Prêmio / Redação GP, de Porto Alegre
Foi um GP inesquecível em Hockenheim. Em uma das provas com mais reviravoltas e acidentes dos últimos tempos, Max Verstappen fez seu show e voltou ao alto do pódio pela segunda vez em três provas. Foi também um domingo (28) desastroso para a Mercedes, que viu Valtteri Bottas bater e Lewis Hamilton perder controle duas vezes.
 
Com a equipe mais forte do campeonato afastada da briga pela vitória, assim como Charles Leclerc, a briga pelo pódio ficou mais interessante. Sebastian Vettel foi segundo após largar em vigésimo. Daniil Kvyat foi talvez a grande surpresa, conseguindo o primeiro pódio da Toro Rosso desde 2008 ao ser terceiro.
 
Kvyat terminou à frente de Stroll, que acertou em cheio na estratégia com a Racing Point no fim para finalizar em quarto lugar, enquanto Carlos Sainz foi o quinto. Alexander Albon, um dos grandes destaques da corrida, foi o sexto com a outra Toro Rosso.
 
O resto da zona de pontos teve pilotos beneficiados pela punição recebida pela Toro Rosso. Romain Grosjean e Kevin Magnussen subiram para sétimo e oitavo, enquanto Lewis Hamilton saltou para nono. Robert Kubica herdou ainda um décimo lugar que representa o primeiro ponto da Williams em 2019.
Max Verstappen (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Confira declarações dos pilotos após GP da Alemanha

Max Verstappen, vencedor: Segredo para vencer na Alemanha foi não errar, diz Verstappen: “Aprendemos com o tempo”

Carlos Sainz Jr., quinto: “Foi um domingo intenso e bom para a F1. Da minha parte, fico feliz com esse quinto lugar. É óbvio que a oportunidade de pódio existiu e agora fica fácil dizer que a gente poderia ter chegado lá. Só que quando estávamos em quinto durante o safety-car foi muito difícil decidir parar para colocar slicks, sendo que ninguém ao meu redor parou. Nós decidimos não parar e quem vinha atrás tinha a chance de arriscar. Como um todo, tomamos as decisões certas na hora certa. Foi uma corrida esperta e muito bem administrada em condições estressantes, então meus parabéns para a equipe”

Romain Grosjean, sétimo: "Eu fico feliz que tenhamos pontos com os dois carros. Foi claramento uma corrida meio louca. Não acho que resolvemos nosso ritmo de corrida. Quando você vê o pelotão intermediário, ele ficou na nossa frente e só a Williams ficou atrás. Mesmo assim, sobrevivemos em uma situação em que tivemos de sobreviver, mas foi difícil. Vocês viram os caras de ponta indo com tudo e escapando da pista, porque as condições eram muito desafiadoras. Fico feliz com os pontos, mas você vê uma Toro Rosso no pódio e deseja que você estivesse lá. Com toda nossa experiência, a gente deveria ser capaz. É só que o ritmo de corrida com intermediários e slicks não era bom o suficiente."
Daniil Kvyat (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Kevin Magnussen, oitavo: "Foi uma corrida muito louca. Foi divertido e empolgante o tempo inteiro. Sempre há decisões difíceis para se tomar com o clima mudando, precisando decidir os pneus e assim por diante. O jeito de pontuar hoje era sendo bom com pneu de pista seca e condições mistas. É aí que se busca a concorrência. Não tínhamos ritmo no seco, então ficamos para trás. Ao menos pontuamos com os dois carro, acho que não seríamos capazes disso no seco."

Robert Kubica, décimo: "Foi uma corrida louca hoje, com condições de pista muito escorregadias. Eu consegui trazer o carro para casa sem erros, que é o mais importante. Correr na chuva e com condições variáveis não é novo para mim, mas já faz nove anos desde a última vez que vivi isso na F1. Certamente pude refrescar minha memória."

George Russell, 11º: "Foi extremamente desafiador. Não eram condições ideais para ninguém e acabou sendo uma corrida das mais longas. A gente deveria ter posto slicks no penúltimo safety-car, acho que fomos conservadores quando deveríamos ter arriscado. Teve 13 ou 14 outros pilotos que não fizeram isso, então não é exatamente uma questão de tomar a decisão errada, mas a gente teve a oportunidade de tomar a certa. Seguimos com o carro no asfalto enquanto muitos não conseguiram e foi o melhor resultado do ano. Parece ok, mas tínhamos chances de fazer mais."

Pierre Gasly, 14º: “Foi uma corrida insana, louca e que simplesmente teve de tudo. Com a chuva, batidas, safety-cars e pit-stops, foi uma loteria e houve muitas oportunidades, então estou bem decepcionado por não ter aproveitado e não ter terminado a corrida. No final, estava brigando com Alex [Albon] nas últimas voltas e nos tocamos, o que arrancou minha asa dianteira e me fez ter um furo no pneu, então tive de parar o carro. Não sei bem o que dizer, mas é muito irritante ficar sem marcar pontos em uma corrida como essa. Na largada, escorreguei e fiquei lento fora da trajetória e perdi muitas posições na entrada da curva 1, desde então foi bem agitado. Nessas condições, é uma aposta quando você faz seu pit-stop, quando não faz e algumas vezes você simplesmente precisa ter sorte, mas o ritmo estava lá, então vamos continuar acelerando na próxima semana, vamos voltar novamente na Hungria. Para a equipe e para a Honda é ótimo ter a vitória de Max hoje e conseguir mais alguns pontos decentes.”
Nico Hülkenberg (Foto: AFP)
Valtteri Bottas, NC: Bottas revela pedido da Mercedes para acelerar mais, mas assume culpa por batida

Lando Norris, NC: “A largada foi complicada por causa da visibilidade ruim e estava escorregadio mesmo com pneus de chuva extrema. Tudo estava correndo bem, fomos ganhando posições aqui e ali ao não parar no primeiro safety-car, algo que talvez tenha sido errado, olhando para trás. Eu ganhei mais posições depois de usar intermediários. As coisas estavam parecendo boas, mas aí o carro perdeu potência. É uma pena, já que os pontos eram claramente possíveis em uma corrida louca.”

Daniel Ricciardo, NC: “Tivemos uma falha no exaustor hoje, isso causou o abandono. Eu consegui ver muita fumaça saindo da traseira do carro e isso foi o fim do nosso dia. É uma grande pena. Eu vi o resto da corrida e pareceu muito divertido estar lá. Adoraria ter continuado, até porque havia uma grande chance de pontuar bem. É uma decepção, mas vamos focar na próxima semana. É um resultado duro para a equipe, mas tomara que a Hungria seja melhor para nós.”

Sergio Pérez, NC: “Antes de tudo, preciso pedir desculpas à equipe porque cometi um erro. Joguei fora uma oportunidade de pontuar bem hoje. A primeira regra para esse tipo de condição é não errar do jeito que eu errei. Estava acelerando, e aquaplanei na traseira. Perdi controle e não consegui recuperar. Fico muito desapontado comigo mesmo. Ver a corrida da garagem sempre é difícil, mas fico feliz pelo Lance, que fez uma grande corrida. Precisávamos desses pontos e é um impulso para todo mundo. Acho que demos um passo adiante no fim de semana. Agora vamos para a Hungria, onde espero que a gente esteja mais forte.”