Justiça neerlandesa condena De Vries a dar metade dos salários da F1 a empresário

Nyck de Vries terá de devolver empréstimo que fez com empresário em 2018 e cederá metade dos ganhos que teve em passagem relâmpago na Fórmula 1

A Corte Distrital de Amsterdã, nos Países Baixos, decretou que o piloto neerlandês Nyck de Vries terá de devolver o empréstimo de € 250 mil (cerca de R$ 1,3 milhão, na cotação atual) feito por um empresário que investiu em seu início de carreira, além de dar metade do que conquistou em salário e patrocínios em sua passagem pela AlphaTauri na Fórmula 1, em 2023.

Nyck pegou o empréstimo da companhia do empresário Jeroen Schothorst, em 2018, quando precisava de orçamento para disputar a temporada da Fórmula 2 pela equipe Prema. Ficou definido, então, que se Nyck virasse piloto de F1 até 2022, a empresa teria 50% de seus salários enquanto ele competisse em alto nível. Caso não chegasse, a dívida seria cancelada.

A situação começou a se complicar em 2022, quando Nyck foi convocado de última hora pela Williams para substituir Alexander Albon no GP da Itália. Após fechar a prova em um impressionante nono lugar, chamou bastante atenção do grid da F1. A AlphaTauri, então, acertou com o piloto para ser titular em 2023.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Nyck De Vries (Foto: Mahindra)

Surgiu uma disputa para definir se a participação em Monza constituía em um contrato de piloto titular ou era parte das atividades de teste, das quais as partes já tinham concordado que não valeria para o acordo. Em um processo judicial no começo de 2023, a justiça ficou do lado de De Vries, apontando que ele participou da corrida, mas apenas como substituto.

Nyck até comentou na imprensa que o caso estaria encerrado, mas a empresa afirma que a ação do ano passado consistiu principalmente na captação de informações, e que era o primeiro passo para o caso principal, que foi ouvido nesta semana. Desta vez, a justiça tomou o lado do investidor, confirmando que Nyck não poderia se apoiar no contrato de piloto de testes da Mercedes para anular o fato de ter competido o GP da Itália de 2022 como titular e dentro do prazo do acordo original.

De Vries promete recorrer da decisão, mas foi condenado a reembolsar o empréstimo de € 250 mil com juros, além de metade dos seus ganhos com a AlphaTauri em 2023. Nyck foi demitido após apenas 10 corridas. Atualmente, é piloto da Mahindra na Fórmula E e da Toyota no WEC.

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.