Morbidelli fala em começar “com folha em branco” em Portugal após decepção no Catar

Vice-campeão de 2020, o ítalo-brasileiro ainda tenta encontrar uma performance similar àquela com que encerrou o campeonato do ano passado

A MotoGP divulgou as primeiras imagens do palco do novo GP da Indonésia (Vídeo: MotoGP)

Franco Morbidelli quer iniciar os trabalhos para o GP de Portugal com uma folha em branco. O ítalo-brasileiro saiu insatisfeito da rodada dupla do Catar e espera voltar à mesma performance que exibiu na reta final da temporada 2020 da MotoGP.

O piloto da SRT terminou o campeonato passado como a melhor Yamaha, só 13 pontos atrás do campeão Joan Mir, mas o desempenho não foi suficiente para assegurar ao piloto uma moto igual a dos outros três pilotos ― Fabio Quartararo, Maverick Viñales e Valentino Rossi. Assim, Franco se junta a Enea Bastianini e Luca Marini na lista de competidores com equipamentos defasados.

Franco Morbidelli, SRT 2021,
Franco Morbidelli tenta voltar aos trilhos na MotoGP (Foto: Divulgação/MotoGP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Apesar de ter encerrado o campeonato passado em boa fase, o começo deste ano não foi lá muito positivo. Morbidelli teve problemas com a moto no GP do Catar e acabou só em 18º. No GP de Doha, Franco teve problemas técnicos nos treinos, largou em décimo e recebeu a bandeirada em 12º.

Às vésperas da corrida em Portimão, Morbidelli falou em começar do zero, até por ter rodado bem na pista portuguesa no ano passado, quando acabou a corrida em terceiro.

“A ideia que eu tenho, mas preciso conversar com a equipe, é que eu gostaria de começar com uma folha em branco em Portimão, da mesma maneira que terminamos 2020”, disse Morbidelli. “É uma pista em que já corremos e a moto é basicamente a mesma do ano passado, então devemos ter sensações similares. Se não for assim, será preocupante e termos de trabalhar para encarar as coisas de uma maneira diferente de 2020”, continuou.

Único entre as Yamaha a contar com uma moto defasada, Morbidelli considerou que a diferença do equipamento também interfere na evolução.

“É alentador ver uma Yamaha ganhar a corrida. Pelo menos assim, posso pressionar para tentar ter algo que os outros estão usando. Infelizmente, como eles têm motos diferentes, não posso comparar os dados, ver como estão gerindo os pneus. Mas essa é uma faca de dois gumes, pois vai acontecer o mesmo com eles se eu for mais rápido”, encerrou.

LEIA TAMBÉM
⇝ Série à la ‘Drive to Survive’ é impulso necessário para expansão da MotoGP
⇝ WEB STORIE – Pedro Acosta: a nova pérola do Mundial de Motovelocidade
⇝ Zarco acerta ao confiar na Ducati e dá volta por cima após saída da KTM
⇝ Miller sucumbe à pressão e derrete favoritismo em rodada dupla no Catar
⇝ Novo Marc Márquez? Acosta encanta e ganha protagonismo na Moto3
⇝ Dupla talentosa e poucos erros: como Pramac superou Ducati no Catar
⇝ Longa estadia no Catar afeta termômetro, mas MotoGP 2021 é estonteante
⇝ Martín brilha e vira protagonista da MotoGP após rodada dupla no Catar

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube