Especulado na SRT, Rea se vê em grande fase e alimenta rumores: “Nunca digo nunca”

Seis vezes campeão do Mundial de Superbike, o norte-irlandês deixou aberta a porta para uma mudança para o Mundial de Motovelocidade. O piloto de 34 anos tem no currículo duas corridas na MotoGP

SUZUKI FICA LONGE DAS VITÓRIAS E MOSTRA FALTA DE REAÇÃO NA MOTOGP | GP ÀS 10

Jonathan Rea colocou lenha nos rumores de uma mudança para a SRT na MotoGP. Especulado na equipe satélite da Yamaha, o norte-irlandês não refutou os boatos e se limitou a dizer que “nunca digo nunca”.

Aos 34 anos, o hexacampeão do Mundial de Superbike tem sido apontado como uma opção para a escuderia malaia na MotoGP. Hoje, a equipe de Razlan Razali conta com Franco Morbidelli e Valentino Rossi, mas pode acabar sem os dois em 2022, por razões diferentes: o ítalo-brasileiro é candidato ao lugar de Maverick Viñales, enquanto o multicampeão cogita a aposentadoria.

Jonathan Rea tem seis títulos do Mundial de Superbike (Foto: Provec)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

A série das motos de produção não têm sido um ponto focal das equipes que buscam talentos para a MotoGP, mas a saída inesperada de Viñales no fim de 2021, um ano antes do fim do contrato vigente, bagunçou as coisas na Yamaha. Nesse cenário, Toprak Razgatlioglu e Garrett Gerloff chegaram a ser cotados para a estrutura malaia, mas ambos renovaram com a marca dos três diapasões para seguir no Mundial de Superbike.

Miguel Oliveira também revelou que foi procurado pela MotoGP, mas o português optou por honrar o contrato com a KTM e seguir defendendo Mattighofen. Assim, o nome de Rea passou a ser cotado na imprensa europeia.

Antes de iniciar o fim de semana do Mundial de Superbike na Holanda, Jonathan foi questionado sobre os rumores que o ligam a uma das vagas na SRT na MotoGP, mas não os afastou. “Eu li a mesma coisa que você e fiquei igualmente surpreso”, respondeu.

“Tem sempre [a oportunidade] e está sempre [na minha mente]. Sinto que estou pilotando melhor do que nunca e que estou realmente no ápice do equilíbrio da minha vida, então, sabe, nunca digo nunca”, declarou Rea.

O piloto de Ballymena tem no currículo duas corridas de experiência na MotoGP. Johnny foi escalado pela Honda em 2012 para substituir o lesionado Casey Stoner nos GPs de San Marino e da Riviera de Rimini e de Aragão, e recebeu a bandeirada em oitavo e sétimo, respectivamente.

Recentemente, a SRT divulgou uma entrevista de Razali, que afirmou que ainda espera uma posição da Yamaha e de Rossi sobre 2022 e que pretende confirmar a dupla do próximo ano após a rodada dupla da Áustria.

A MotoGP segue de férias e volta à ativa apenas no dia 8 de agosto, quando disputa o GP da Estíria.

LEIA TAMBÉM
# Yamaha precisa de solução caseira e eficiente para vaga de Viñales em 2022: Morbidelli
Aos 42 anos, Rossi vê competitividade minguar e se aproxima da aposentadoria da MotoGP
Razgatlioglu e Gerloff largam na frente por vaga na SRT. Mas estão prontos para MotoGP?
Pedrosa correr como wildcard ainda na temporada 2021 é bom negócio para KTM e MotoGP
Quartararo mostra velocidade e maturidade para protagonizar primeira metade de 2021
Miller e Bagnaia são acerto da Ducati. Mas saem de férias ofuscados por Zarco
Estagnado, Petrucci sofre na Tech3 e inicia dura missão de seguir na MotoGP em 2022
Aleix Espargaró aproveita evolução da Aprilia e chega mais perto do sonho do pódio
Oliveira se impõe na KTM e bate Binder na primeira parte da temporada 2021 da MotoGP
LCR segue queda da Honda e corta embalo de Álex Márquez e Nakagami em 2021
Lado a Lado: Joan Mir 2020 x Joan Mir 2021
Pol Espargaró sofre com Honda apagada e sai frustrado da primeira metade da MotoGP
# Mesmo em primeira metade difícil, novatos da MotoGP salvam brilharecos em 2021

KTM ACHA RUMO E CRESCE COM NOVO CHASSI NA MOTOGP | GP ÀS 10

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar