Lorenzo diz que Marc Márquez “vai ser herói” se conseguir top-5 após fratura

O tricampeão apontou que a aposta ousada do hexacampeão, mesmo que improvável, pode dar muito certo. Ou então, vai terminar o GP da Andaluzia como um estúpido pela tentativa

Marc Márquez jogou contra todas as apostas e já ensaia um retorno às pistas neste final de semana, em Jerez. Jorge Lorenzo comentou a situação do ex-companheiro e avaliou que a atitude ousada do espanhol pode dar muito certo e o colocar como herói, ou pode ser um fiasco e o piloto terminar como um estúpido.

Tudo começou na abertura da temporada 2020 da MotoGP. No GP da Espanha, o #93 liderava a corrida, mas cometeu um erro e caiu para 16º. Em prova de recuperação, aparecia em terceiro quando caiu com violência, sofrendo uma fratura no úmero do braço direito. Então, o que se sucedeu foi uma peça em três atos: voltou para Barcelona na segunda-feira, operou na terça e voltou para Jerez nesta quinta-feira, para tentar participar do GP da Andaluzia.

Caso seja liberado, significa voltar apenas três dias após passar pela sala de cirurgia, e do assunto Lorenzo entende. O espanhol de Palma de Maiorca protagonizou um dos retornos mais memoráveis da história do Mundial. Em 2013, teve forte acidente no primeiro treino livre para o GP da Holanda, na quinta-feira, e fraturou a clavícula esquerda. No mesmo dia, viajou para Barcelona, operou nas primeiras horas da sexta-feira, voltou para Assen na parte da tarde, correu no domingo e terminou a prova em quinto.

É claro que sua situação seria comparada a atual de Marc. “Sim, poderia ser algo similar. Demorei pouco mais de 30 horas para voltar e ele vai demorar um pouco mais, mas a seu favor, para acrescentar mérito a sua história. A clavícula é importante, mas o braço sujeita mais o corpo nas freadas”, disse o espanhol.

Marc Márquez: corre no final de semana? (Foto: Reprodução/MotoGP)

“A verdade é que é complicado e, se for bem, vai ser um herói. Se conseguir um pódio ou um top-5, apesar de ser algo que não me entra na cabeça, vai ser impressionante e um herói, apesar de ser se conseguir pontuar. Mas se for mal, as pessoas o acharão estúpido. Depende de como você se sai”, emendou.

Jorge ainda vê que o retorno precoce do hexacampeão se dá pela sua competitividade e seu desejo de adicionar mais um caneco ao currículo – o que o faria igualar o número de títulos de Valentino Rossi. “Primeiro de tudo, mostra o desejo que tem de conseguir o título. Se não tivesse esse desejo, o lógico seria ficar em casa. Suponho que quer tentar. Suponho que está bem depois da operação, pois se estivesse mal, não passaria por sua cabeça fazer isso. A partir daí, depois das primeiras voltas que der, decide se continua ou não”, pontuou o tricampeão.

“A verdade é que é uma surpresa para todos porque pensávamos em vê-lo somente em Brno. Mas se vem forte e vê que o braço aguenta, vai tentar porque quer muito ganhar o Mundial. Creio também que isso assume que está tomando alguns riscos importantes, pois outra queda com estre braço recém-operado pode ter consequências, como as que tive na Alemanha”, emendou.

“Ou até piores, pois um braço ou húmero é mais complicado do que uma clavícula. É mais sério. Pelo que estou lendo, o nervo que passa pelo braço pode ser afetado com muita facilidade e isso me faz pensar que é mais sério do que uma clavícula”, concluiu o piloto de 33 anos.

O retorno de Marc para as pistas nunca foi a prioridade da Honda. A marca japonesa deixou claro que pensava unicamente na recuperação de sua jovem estrela. Enquanto isso, Dr. Xavier Mir, responsável pelo procedimento no competidor, planejava uma possível volta apenas em Brno.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube