Marc Márquez revela uso recorrente de analgésicos por dor no braço lesionado

Piloto da Honda contou que foram poucas as vezes desde que voltou a correr que não teve de fazer uso de injeções de analgésicos para lidar com as dores no braço direito. O hexacampeão recorreu a uma infiltração para resistir ao GP da Áustria

Marc Márquez começou a prova na Áustria mostrando agressividade (Vídeo: MotoGP)

Marc Márquez revelou que vem fazendo uso recorrente de infiltrações de analgésicos para lidar com as dores do braço direito, lesionado em junho do ano passado. O espanhol precisou de medicamentos para encarar o GP da Áustria de MotoGP, que definiu como melhor domingo no ano.

Márquez fraturou o úmero do braço direito em julho do ano passado, durante uma queda no GP da Espanha, abertura da temporada 2020. Depois de uma primeira cirurgia, o piloto da Honda tentou voltar à ativa depois de apenas seis dias, mas desistiu do GP de Andaluzia por causa de dores no braço.

CLASSIFICAÇÃO DA MOTOGP
Quartararo troca rival, mas amplia liderança da MotoGP na Áustria

Marc Márquez andou entre os líderes na Áustria (Foto: Repsol)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

A tentativa de um retorno precoce, contudo, persistiu, o que acabou por gerar danos à placa de titânio introduzida, acarretando em um segundo procedimento cirúrgico. A recuperação, no entanto, não foi como deveria, e Marc teve de passar por uma terceira operação, com enxerto ósseo, após os médicos detectarem também uma infecção.

No total, o irmão de Álex passou nove meses afastado da MotoGP e voltou a correr apenas no GP de Portugal deste ano, depois de perder 15 GPs. No retorno, porém, Marc voltou a sentir incômodo no ombro direito, que já tinha sido operado anteriormente.

Ainda em recuperação, Marc admitiu que segue sem saber quando estará bem e contou que precisou de uma infiltração no Red Bull Ring após sentir dores no warm-up.

“Não sei responder onde estou, ainda não acabou, sigo sem entender que dia vai doer e que dia não vai”, contou Marc. “No sábado, estava perfeito, mas neste domingo saí infiltrado para a corrida, porque senti muita dor no warm-up. Me infiltrei com Enantyum e não sentia tanta dor. Correu bem, eu senti fadiga, mas não dor”, relatou.

A infiltração consiste na aplicação de medicamento analgésico e anti-inflamatório no local da dor por meio de uma injeção. É um procedimento que pode ser feito em qualquer articulação, mas também em ligamentos ou tendões. O Enantyum usado por Marc é um analgésico anti-inflamatório não esteroide.

“Exceto na Alemanha, onde não senti incômodo, e no fim de semana passado, quase o resto, diria que mais três ou quatro vezes, tive que fazer isso. Depende da sensação que eu tenho”, explicou. “É um Enantyum que pode ser comprado em farmácia, que é infiltrado muscularmente, porque faz mais efeito assim e é mais rápido. Eu tento evitar, porque sei que amanhã estarei pior, mas na corrida sempre ajuda. Você sente dor, mas consegue fazer um pouco mais de dor”, ressaltou.

O filho de Roser e Julià, porém, alertou que o analgésico é vendido sob prescrição médica. É consenso entre os médicos que nenhum medicamento deve ser utilizado sem orientação, já que pode causar reações adversas ou até piorar lesões.

“É possível comprar em farmácia, mas com receita médica”, alertou Marc.

MotoGP volta a acelerar no próximo dia 29 de agosto, com o GP da Grã-Bretanha, em Silverstone. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

LEIA TAMBÉM
Aos 42, Rossi decide por aposentadoria e encerra história na MotoGP em 2021
Maior da história ou não, Rossi teve impacto transformador e popularizou MotoGP
Ídolo, referência e lenda: mundo do esporte a motor reage à aposentadoria de Rossi
Obrigada, Vale
Fim triste mostra que relação entre Viñales e Yamaha deveria ter acabado antes
Binder arrisca na chuva e encerra jejum de um ano com vitória corajosa na Áustria

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar