CEO da McLaren crê em Verstappen e Russell na Mercedes em 2022: “Conclusão óbvia”

Zak Brown entende que uma jovem dupla na Mercedes, formada por Max Verstappen e George Russell, seria “matadora demais”. Sobre Lewis Hamilton, o executivo foi perguntado sobre um eventual retorno à McLaren e descartou a possibilidade: “Estamos felizes com Daniel Ricciardo e Lando Norris”

A nova abertura da F1 para a temporada 2021 (Vídeo: F1)

A temporada 2021 do Mundial de Fórmula 1 mal começou, mas o pensamento de muita gente já está voltado para 2022. Não apenas no que diz respeito à revolução prevista pela categoria para o próximo campeonato, com amplas mudanças nos regulamentos técnico e desportivo. Há também uma, ou melhor, duas questões que povoa a mente de muitos no paddock: qual será o destino de Lewis Hamilton após o fim da atual temporada? E quem vai formar a dupla da Mercedes para o ano que vem? Para Zak Brown, CEO da McLaren, não há dúvidas.

“Acho que você vai ver Max e George lá em 2022. Acho que essa é a conclusão óbvia”, declarou o dirigente norte-americano em entrevista ao jornal britânico Daily Mail.

Na visão do chefão da McLaren, o vínculo curto assinado pela Mercedes com Hamilton, o último ano de acordo de George Russell com a Williams e também a cláusula que permite a Max Verstappen deixar a Red Bull ao fim da temporada são fatores que o levam a tal conclusão.

Verstappen e Russell juntos na Mercedes? Esta é a aposta de Zak Brown para 2022 (Foto: Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

WEB STORIES: O grid da Fórmula 1 2021

“Lewis conquista o oitavo título neste ano e é o piloto mais vencedor. Eles [a Mercedes] têm um contrato de um ano com ele. George está saindo do seu acordo [com a Williams] e Max tem um acordo que o permite sair”, salientou.

Brown entende que uma dupla com dois pilotos muito jovens, Verstappen, atualmente com 23 anos, e Russell, também com 23, é a combinação perfeita e com uma capacidade de entregar grandes resultados a longo prazo. “Você tem a experiência e a juventude de Max, você tem a juventude de George. Se eu sou a Mercedes, essa é uma dupla matadora demais para os próximos cinco anos”.

Outra questão levantada pelo CEO da McLaren diz respeito ao futuro da Red Bull quanto aos seus pilotos. Para 2021, a equipe taurina contratou Sergio Pérez, experiente piloto de 31 anos que não foi formado no Red Bull Junior Team depois que Pierre Gasly e Alexander Albon não entregaram os resultados esperados nos últimos anos.

“O interessante é: o que a Red Bull vai fazer? Essa é a questão mais difícil de responder. É difícil para eles”, lembrou.

Por fim, Zak Brown foi questionado sobre um eventual retorno de Lewis Hamilton, que construiu toda a primeira fase da carreira, entre 2007 e 2012, na McLaren, sendo o responsável pela última grande conquista da equipe, o título do Mundial de Pilotos de 2008. De acordo com o executivo norte-americano, a possibilidade de retorno do hoje heptacampeão ao time de Woking é zero.

“Onde estamos hoje, não, porque estamos muito felizes com Daniel e Lando e os temos sob contratos de longo prazo. Se trouxesse Lewis de volta agora, seria para um ciclo de um ou dois anos, e sabemos que não estamos prontos para lutar por títulos [neste período]”, concluiu.

GUIA F1 2021
+ Hamilton parte para ser maior campeão da Fórmula 1 em ano de possível adeus
+ Band tem chance de ouro de cativar público da F1 na era do streaming
Com novos donos, Williams busca recomeço e aposta tudo em Russell
Em alta, AlphaTauri mira colar na ‘F1 A’ com carro cheio de personalidade
Ferrari revisa carro e chama Sainz para tentar retomar posto no top-3

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube