F1

Confira declarações dos pilotos após GP da Hungria, 12ª etapa da F1 2019

Lewis Hamilton bateu Max Verstappen na pista e na estratégia para alcançar a oitava vitória na temporada neste domingo (4), no GP da Hungria. A prova foi bastante agitada e com boas histórias - e os comentários dos pilotos você confere no GRANDE PRÊMIO

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
O GP da Hungria leva a Fórmula 1 para as férias completando um quarteto de corridas emocionantes: neste domingo (4), Lewis Hamilton passou Max Verstappen quando faltavam apenas três voltas para o final para triunfar pela oitava vez no ano.

Hamilton e a Mercedes foram as estrelas, mas não foi só essa batalha que se destacou em Hungaroring. Teve o duelo entre os ferraristas Sebastian Vettel e Charles Leclerc, a Williams melhorando com George Russel e a Renault mais uma vez mal - entre outras.

O que os pilotos pensaram da prova? O GRANDE PRÊMIO conta, com as declarações de todos os 10 membros do grid.
Lewis Hamilton (Foto: AFP)
Paddockast #27
Schumacher e Vettel: UNIDOS POR UM RECORDE


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Confira as declarações:

Lewis Hamilton, vencedor: Cansado, Hamilton comemora vitória com desculpas ao estrategista: “Perdão por duvidar”

Max Verstappen, segundo: Após tentar “tudo que podia” na Hungria, Verstappen lamenta: “Não foi o bastante”

Sebastian Vettel, terceiro: Vettel aplaude estratégia na Hungria, mas vê Ferrari com “muito trabalho por fazer”

Charles Leclerc, quarto: 4°, Leclerc reclama de pneus duros e diz que Ferrari esteve “muito devagar”

Carlos Sainz, quinto: Sainz vibra e diz que 5º lugar da Hungria teve “gosto melhor” que da Alemanha

Pierre Gasly, sexto: Gasly reclama de perda de ritmo e pede análise para “voltar melhor em Spa”
Max Verstappen e Lewis Hamilton (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Kimi Räikkönen, sétimo: "Estive muito bem. O carro se comportou muito bem, fiz um bom trabalho na primeira volta e me mantive fora de problemas. Tivemos mais velocidade que a McLaren, mas foi impossível ultrapassar (Carlos Sainz). Perdi uma posição na parada, mas também ganhei uma, então é uma pena, mas no geral não posso estar decepcionado. Somo seis pontos e sigo em frente. Tenho muita vontade de passar as férias com minha família, mas também estou feliz por todos da equipe, que trabalham muito duro e merecem esse tempo livre."

Valtteri Bottas, oitavo: Sem reclamar, Bottas diz que toques em Hamilton e Leclerc foram “uma bagunça”

Lando Norris, nono: "Um bom começo, passei um monte de caras, foi bom. Passei Gasly de cara, mas sabia que Carlos [Sainz] vinha por dentro, então fui seguro e dei espaço. Pensando agora, eu poderia ter me mantido à frente, mas não queria correr riscos. Antes da primeira parada estava em sétimo, seguindo Carlos. Aí fizemos nossa pit-stop e acho que a traseira esquerda estaav devagar. Perdemos algumas posições assim, basicamente. O ritmo era bom mas a Mercedes (Valtteri Bottas) foi mais rápida no final. Tirando isso, foi uma boa corrida."

Alexander Albon, 10°: "Tive uma boa corrida. A primeira parte foi na média, e não me senti confortável com os pneus médios. Senti como se não tivesse grip algum, mas quando colocamos os pneus duros voltei à vida. Tive duas boas lutas com Daniil [Kvyat], a primeira muito mais próxima do que a segunda, e foi divertida e justa.Acho que a P10 foi a melhor que dava para alcançar hoje, então tenho que estar feliz. Agora temos tempo para relaxar um pouco, rever a temporada até aqui e entender no que precisamos melhorar para estarmos prontos para a segunda metade do ano."

Sergio Pérez, 11°: "Acho que podemos ficar orgulhosos de nossa corrida. Foi fantástica, com boa largada, boa primeira volta, estratégia agressiva para passarmos dois carros e fomos ao limite o tempo todo. No final Albon fez contato comigo e isso estragou minha suspensão. Nas três ou quatro voltas finais eu sofri, foi bem difícil conseguir terminar em 11°. Esperávamos uma corrida difícil, mas conseguimos lutar por um ponto até o final, pena que não conseguimos. Demos tudo, então estou feliz. Espero que a segunda metade da temporada seja melhor para nós."
Nico Hülkenberg (Foto: Renault)
Nico Hülkenberg, 12°: "Foi uma tarde difícil para nós. Sofremos como carro, com um problemade controle de motor desde o começo dacorrida, e por isso perdi cosistentemente três décimos por volta. Isso tornous ascoisas difíceis e não tivemos ritmo para entrar na zona de pontos. É bom que chegou a pausa. Vamos nos reagrupar como equipe, pensar em algumas coisas para melhorar para a segunda parte da temporada."

Kevin Magnussen, 13°: "O carro esteve ok, ou não muito ruim, pelo nosso nível. Considerando os problemas que tivemos esse ano, o ritmo até estava rápido. Não bom, mas comparado com nosso ritmo no passado. Estou feliz que vamos para as férias, todos na equipe estão. Vamos voltar mais fortes."

Daniel Ricciardo, 14°: "Começar do fundo do grid deixaria a corrida dura de qualquer forma, mas houve alguns momentos positivos. Fizemos os pneus duros durarem bem e andamos bem, também, com os pneus macios no final. Foi frustrante não passar Magnussen. Senti que ele estava lento, mas não pude fazer nada. Não fiquei feliz com como progredimos. Há alguns pontos positivos e as férias serão boas para nós. Vamos recomeçar, tirar alguns dias, sabemos que estamos nessa juntos e vamos mirar uma segunda metade de ano melhor."

Daniil Kvyat, 15°: "Foi uma corrida interessante e acho que poderia ter sido um bom dia, mas infelizmente paramos muito cedo e meus pneus atingiram o limite quando ainda faltavam 15 voltas. Aí estava tudo acabado, então a estratégia não funcionou para nós. Foi uma batalha boa com Alex [Albon] quando estávamos com os mesmos pneus. Consegui ultrapassá-lo e foi divertido, mas depois disso meus pneus estavam desgastados completamente e aí não deu mais para curtir. Dito isso, estou até feliz com a maneira com que pilotei e sei que tirei tudo que dava do carro. É só uma pena quando não conseguimos pontuar."

George Russell, 16°: Russell comemora “passo à frente” e chance de disputar posições após 16° na Hungria

Lance Stroll, 17°: "Não há muito o que dizer sobre esse final de semana, uma pena. Tive uma largada ruim e não consegui ultrapassagens na primeira volta, o que é muito importante aqui em Hungaroring. Fiquei preso atrás dsa Williams de [George] Russell e isso resume minha corrida. A gente sabia que seria uma prova difícil, por causa das características de nosso carro, e além disso não é fácil ultrapassar aqui. Por isso foi frustrante. Acho que na volta das férias, na Bélgica, encontraremos uma pista que se encaixa melhor com nosso carro."
Lance Stroll (Foto: Racing Point)
Antonio Giovinazzi, 18°: "Foi uma corrida decepcionante. Levei um toque na primeira volta, estava em um 'sanduíche' entre dois carros na curva 1 e ainda tive um problema com meu primeiro jogo de pneus, o que significou ter que ir aos boxes mais rápido do que imaginávamos. Foi uma pena terminar a primeira metade da temporada assim, até poque temos mostrado bom ritmo de corrida. Mas acabou sendo mais um dia em que não convertemos nosso potencial em pontos. Ao menos saímos de férias agora, uma oportunidade de reiniciar tudo e de voltar melhor. A primeira metade do ano não foi ideal, mas fico feliz com o progresso que mostramos. Foi uma montanha russa, mas seguirei trabalhando duro para melhorar."

Robert Kubica, 19°: "A corrida foi como esperado. Controlamos os pneus para irmos até o final com só uma parada. A sensação não foi boa com o carro, como ontem. Depois das féiras teremos pistas completamente diferentes, teremos que esperar e ver se teremos como diminuir nossa distância (para as adversárias), como George foi capaz de fazer aqui. Foi legal ver quantos poloneses vieram. Queria agradecê-los pela atmosfera e espero que eles tenham ido para casa com boas lembranças."

Romain Grosjean, NC: "Estava feliz no começo da corrida. O carro estava ok com pneus macios, estava segurando quem estava atrás. Estava feliz com isso. era o que nosso ritmo permitia. Mas aí colocamos os pneus duros, que não havíamos testado no final de semana, e acho que não era um bom dia para pneus duros. Não havia grip e foi impossível aquecê-los. No fim tivemos problemas com pressão da água e precisamos abandonar."

 BRIEFING | GP da Hungria de F1 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.