Newgarden dá volta por cima, derrota O’Ward na última volta e vence Indy 500

Em uma das melhores edições da história, Josef Newgarden deu o troco em Pato O'Ward na última volta e venceu as 500 Milhas de Indianápolis pelo segundo ano consecutivo

Um mês depois de viver um dos momentos mais complicados da carreira, Josef Newgarden está no topo de novo. O americano da Penske repetiu o feito de 2023 e se tornou o sexto piloto na história das 500 Milhas de Indianápolis a vencer a prova em dois anos consecutivos. E assim como no ano passado, veio com drama: devolveu uma ultrapassagem em Pato O’Ward, da McLaren, na última volta.

O mexicano surgiu com força e guardou o ataque para o último giro, engolindo o americano na curva 1, mas não contava com o retorno de Newgarden na curva 3, igualando o feito de 2022, quando também acabou derrotado na reta final da corrida.

Relacionadas


O hexacampeão Scott Dixon, de Ganassi, chegou no terceiro lugar. Após sair de 21º, acertou na estratégia mais uma vez e chegou na reta final com chances de vitória, chegando a liderar várias voltas, mas não teve gás o suficiente para ganhar. Alexander Rossi, que também brigou pela vitória com a McLaren, cruzou a linha de chegada em quarto.

Atual campeão da Indy, o espanhol Álex Palou finalizou na quinta posição, seguido pelo pole-position Scott McLaughlin, que apesar de comandar a metade inicial da corrida, perdeu muito terreno após o último pit-stop e ficou fora até do top-5. Kyle Kirkwood emplacou uma boa estratégia e foi a única Andretti a ver a bandeira quadriculada, em sétimo.

Josef Newgarden (Foto: IndyCar)

Santino Ferrucci, de Foyt, manteve os 100% de aproveitamento no top-10 da Indy 500 ao ver a bandeira quadriculada na oitava posição, seguido pelo neerlandês Rinus VeeKay, de Carpenter, e o americano Conor Daly, de DRR.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Quatro vezes vencedor da Indy 500, Helio Castroneves até esteve no bolo, mas um erro no último pit-stop com a Meyer Shank acabou deixando o veterano apenas na 20ª colocação na bandeira quadriculada.

A corrida do brasileiro Pietro Fittipaldi foi encerrada ainda na primeira volta. O brasileiro, que largou em 28º, não conseguiu escapar da confusão gerada pela rodada de Tom Blomqvist, que acabou coletando Marcus Ericsson. O piloto da RLL até tentou escapar, mas um toque de Callum Ilott foi determinante para bater no muro.

A Indy retorna já na próxima semana com o GP de Detroit, que acontece no próximo dia 2, em circuito de rua montado no centro da principal cidade do Michigan, com cobertura completa do GRANDE PRÊMIO.

Saiba como foram as 500 Milhas de Indianápolis 2024:

Antes mesmo de largar, Callum Ilott sofreu com problemas elétricos e acabou recolhendo a McLaren, largando de último. Após um atraso de mais de 4h, a largada finalmente aconteceu às 17h44 (de Brasília, GMT-3). McLaughlin manteve a primeira posição, mas a bandeira amarela logo aconteceu. Blomqvist escapou sozinho e rodou, coletando Ericsson. Fittipaldi tentou escapar, mas tomou um toque de Callum Ilott e bateu. Pilotos que estavam no pelotão de fundo pararam, enquanto Marcus Armstrong sofreu problemas de motor, abandonando nos boxes.

Tom Blomqvist protagonizou a primeira bandeira amarela da Indy 500 (Foto: IndyCar)

A relargada aconteceu na volta 10. McLaughlin partiu bem e seguiu na liderança. Quem despencou foi Kyle Larson, caindo para o 14º lugar, depois de um pequeno problema de câmbio. Com 23 voltas, surgiu mais uma bandeira amarela. Agora por conta de um estouro de motor de Katherine Legge, que andava nas últimas posições.

A primeira janela de pit-stops aconteceu durante o período de safety-car. Apenas Robb, Daly, Lundgaard e Rahal (estes três últimos já tinham parado antes) ficaram na pista. McLaughlin seguiu à frente de Power e Newgarden. Ferrucci vinha logo atrás, junto de Rossi, Rosenqvist e O’Ward.

A relargada veio na volta 27. Robb sequer conseguiu liderar, superado por Daly. Mas a terceira amarela da corrida aconteceu já no giro seguinte por conta de Linus Lundqvist. O sueco da Ganassi não se deu bem em uma disputa na curva 1, tocou a grama e acabou passando o reto, indo ao muro. Nova bandeira verde, agora no giro 33. Conor acabou ficando para trás e viu McLaughlin retomar a ponta, com Ferrucci em segundo. Power e Newgarden ficaram para trás.

O acidente de Linus Lundqvist (Vídeo: Indycar)

Daly surpreendeu e começou a trocar voltas na liderança com McLaughlin, e se manteve assim até ir para o segundo pit-stop. O primeiro quarto da corrida tinha o neozelandês na ponta, seguido por Ferrucci, Rossi, Herta, Newgarden, Palou, Rosenqvist, O’Ward, Larson e Dixon, que acabou ultrapassado pelo surpreendente Christian Rasmussen, que largou em 14º.

Na volta 56, a quarta bandeira amarela da corrida, agora por conta de Felix Rosenqvist. O piloto sueco da Meyer Shank era o sétimo colocado quando o motor Honda simplesmente estourou. Quase o pelotão inteiro aproveitou a oportunidade para ir aos boxes, recolocando Daly na liderança, com Robb em segundo. No pit-lane, Rossi se deu bem e saiu à frente de McLaughlin em uma saída controversa, já que acabou fechando Herta.

Relargada na volta 65. McLaughlin era o quarto colocado, mas deu um bote logo na primeira curva, passando três na curva 1 e assumindo a liderança. Robb surpreendeu na volta seguinte e conseguiu ir para a ponta. Eventualmente, tanto Sting Ray quanto Daly foram aos boxes e reestabeleceram a ordem dos líderes. Scott tinha a liderança, seguido por Herta, Newgarden, Ferrucci, Palou, Rossi, Rasmussen, Larson, Castroneves e Power.

A quinta amarela da corrida veio na volta 86. Herta, no segundo lugar, errou sozinho, rodou e acertou a asa dianteira na curva 1. O americano conseguiu evitar danos terminais no carro, mas foi forçado a abandonar. Boa parte do pelotão foi aos boxes, com exceção de VeeKay, Lundgaard, Robb e Daly. Ilott levou um toque de Kirkwood nos boxes e gerou uma pequena confusão ao parar no pitbox errado.

O acidente de Colton Herta (Vídeo: Indycar)

A ordem de relargada tinha VeeKay na liderança, seguido por Lundgaard, Robb e Daly. Newgarden conseguiu sair à frente de McLaughlin, no quinto lugar. O neerlandês recebeu a bandeira verde na volta 91, mas rapidamente perdeu a liderança para Lundgaard. Newgarden conseguiu colocar Robb e Daly entre ele e McLaughlin.

Após as paradas de Lundgaard e VeeKay, Newgarden oficialmente assumiu a liderança, com Ferrucci em segundo, McLaughlin em terceiro, Robb em quarto, Daly em quinto, Palou em sexto, Larson em sétimo, Rossi em oitavo, Castroneves em nono e Rasmussen em décimo. Na volta 108, mais uma bandeira amarela. Ryan Hunter-Reay passou na grama em uma disputa com Scott Dixon e rodou, destruindo a asa dianteira, mas evitando um acidente maior.

Hunter-Reay se acidentou na Indy 500 (Foto: Indycar)

A relargada aconteceu na volta 115. McLaughlin conseguiu ultrapassar Newgarden na primeira curva antes de uma nova intervenção de bandeira amarela. Marco Andretti perdeu o controle na curva 1, e apesar do esforço para tentar salvar, acabou dando com a parte traseira do #98 no muro, formalizando o terceiro abandono da equipe Andretti.

A volta 118 marcou a sétima relargada da corrida. McLaughlin partiu bem e deixou Newgarden para trás. O atual vencedor acabou superado por Alexander Rossi na volta seguinte. Com o ritmo mais lento, Josef conseguiu recuperar terreno e reassumiu a liderança. O primeiro pit-stop em bandeira verde do piloto americano aconteceu na volta 130.

McLaughlin e Larson vieram na volta seguinte. Rossi e Palou pararam na 132. Kyle acabou recebendo um drive-through por excesso de velocidade, praticamente ficando fora da briga pela vitória. Ferrucci parou na 134. Fora do top-10, a briga pela liderança virtual era forte. Rossi chegou a ultrapassar as duas Penske na reta principal, enquanto Álex Palou finalmente se colocou no bolo com ultrapassagens. O’Ward surpreendeu com o pit-stop, saindo à frente dos líderes.

A volta 147 trouxe a oitava amarela do dia. Will Power, da Penske. O australiano disputava lado a lado com Christian Rasmussen, quando acabou perdendo o controle e bateu forte na curva 2. E assim a corrida entrou no quarto final, com Robb ainda na liderança seguido por Lundgaard. Dixon aparecia em terceiro, seguido por O’Ward, Rossi, Daly, VeeKay, Palou, McLaughlin e Newgarden. Ainda com a bandeira amarela, Robb e Lundgaard foram aos boxes, deixando Dixon na liderança.

A relargada aconteceu na volta 155. Dixon não conseguiu segurar o ataque de Alexander Rossi, que com uma saída implacável, assumiu a liderança. O’Ward veio forte, e passou o companheiro de equipe no giro seguinte. O neozelandês era terceiro. Os pilotos da McLaren trocavam a liderança de mãos volta após volta.

Rossi veio para a última parada na volta 170. Newgarden, McLaughlin e Daly pararam na 171, enquanto Dixon superou O’Ward e reassumiu a liderança da prova. O neozelandês e o mexicano vieram no giro seguinte. A vez de Palou também veio. Scott Dixon acertou a estratégia e saiu à frente dos adversários, mas levou a ultrapassagem de Newgarden, completamente embalado.

Dixon e Newgarden começaram a trocar a liderança, enquanto O’Ward e Rossi vinham logo atrás. McLaughlin foi um dos grandes derrotados do ciclo, atrás de Palou e até de VeeKay. Na hora de encarar o tráfego causado por Canapino, Rossi se aproveitou para superar o piloto da Ganassi. Josef não fez esforço para segurar Agustín, que quis descontar a volta.

Com 16 voltas para o fim, Newgarden e Rossi conseguiram deixar Canapino para trás. Os americanos iniciaram a batalha pela vitória, enquanto Dixon assistia de camarote. O’Ward era quarto, seguido por Kirkwood, Palou e McLaughlin. Pato começou a ganhar força e superou o piloto da Ganassi, assumindo o terceiro posto.

Rossi assumiu a liderança com 9 voltas para o fim. O troco de Newgarden veio na curva 1 da 193, puxando O’Ward no segundo lugar. O mexicano veio para o primeiro posto na 196, engolindo o americano na reta. Josef respondeu no giro seguinte, também na reta principal e antes da curva 1. Pato deixou para tentar a ultrapassagem na última volta, e assim o fez, superando o americano na reta principal, mas o americano não deixou barato. Na última curva, conseguiu devolver a ultrapassagem, levando a segunda vitória em Indianápolis.

Indy 2024, 500 Milhas de Indianápolis, Resultado Final:

1J NEWGARDENPenske Chevrolet2:58:49.407200 voltas
2P O’WARDMcLaren Chevrolet+0.314 
3S DIXONGanassi Honda+0.909 
4A ROSSIMcLaren Chevrolet+1.169 
5A PALOUGanassi Honda+1.507 
6S MCLAUGHLINPenske Chevrolet+2.059 
7K KIRKWOODAndretti Honda+2.253 
8S FERRUCCIFoyt Chevrolet+3.614 
9R VEEKAYCarpenter Chevrolet+3.956 
10C DALYDRR Chevrolet+4.607 
11C ILOTTMcLaren Chevrolet+4.965 
12C RASMUSSENCarpenter Chevrolet+5.323 
13C LUNDGAARDRLL Honda+6.182 
14T SATORLL Honda+6.689 
15G RAHALRLL Honda+7.360 
16S ROBBFoyt Chevrolet+8.509 
17E CARPENTERCarpenter Chevrolet+8.908 
18K LARSONMcLaren Chevrolet+9.484 
19R GROSJEANJuncos Chevrolet+9.831 
20H CASTRONEVESMeyer Shank Honda+10.360 
21K SIMPSONGanassi Honda+11.093 
22A CANAPINOJuncos Chevrolet+1 volta 
23C HERTAAndretti Honda+29 voltas 
24W POWERPenske Chevrolet+54 voltasNC
25M ANDRETTIAndretti Honda+86 voltasNC
26R HUNTER-REAYDRR Honda+92 voltasNC
27F ROSENQVISTMeyer Shank Honda+144 voltasNC
28L LUNDQVISTGanassi Honda+172 voltasNC
29K LEGGEDale Coyne Honda+177 voltasNC
30M ARMSTRONGGanassi Honda+193 voltasNC
31T BLOMQVISTMeyer Shank Honda+199 voltasNC
32M ERICSSONAndretti Honda+199 voltasNC
33P FITTIPALDIRLL Honda+199 voltasNC
Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Indy direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.