Arbolino voa com doente por Covid-19 e perde GP de Aragão por quarentena obrigatória

Comissário médico da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), Giancarlo Di Filippo afirmou que o piloto da Moto3 foi informado pelas autoridades italianas de que teve contato com uma pessoa contaminada pelo novo coronavírus

Tony Arbolino não poderá disputar o GP de Aragão de Moto3. O piloto da Snipers foi colocado em quarentena obrigatória após ter contato com uma pessoa contaminada pelo novo coronavírus em um voo entre França e Itália.

Comissário médico da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), Giancarlo Di Filippo contou em entrevista ao site oficial da MotoGP que Arbolino foi comunicado pelas autoridades da Itália de que teve contato com um caso positivo no voo que pegou após a corrida em Le Mans. Pelas leis em vigor na Espanha, palco da corrida deste fim de semana, o piloto da Snipers precisa cumprir dez dias que quarentena antes de entrar no país.

Inicialmente, a MotoGP tinha comunicado a ausência de Arbolino no TL1, mas a informação de que ele ficaria fora do GP deste fim de semana veio no início da tarde na Espanha.

Tony Arbolino, Moto3 2020, GP da Catalunha
Tony Arbolino não vai poder correr em Aragão (Foto: Reprodução)

LEIA TAMBÉM
Moedor à italiana, Ducati tem má gestão escancarada com vitória de Petrucci
Salto de Marini para MotoGP em 2021 vira guerra entre VR46 e Avintia

Suzuki precisa resolver déficit de classificação para enfim se tornar grande na MotoGP
Márquez & Márquez: as estreias de Marc e Álex no pódio da MotoGP

“A situação de Tony é outra história, porque ele pegou um voo para voltar da França para a Itália no domingo depois da corrida e foi informado pelas autoridades italianas que estava próximo de uma pessoa contaminada”, contou Di Filippo. “Pelas regras nacionais da Itália e também da Espanha, neste caso ele deve ser considerado alguém com contato próximo a um positivo e, infelizmente, precisa seguir as mesmas regras de isolamento. No momento, pela regra da Espanha, [é um isolamento] de dez dias, então ele

estará fora deste evento”, seguiu.

O médico falou, ainda, da situação de Valentino Rossi, que refez um teste negativo após apresentar sintomas e confirmou que contraiu a Covid-19.

“Valentino descobriu estar positivo depois de Le Mans, pois o primeiro teste que ele fez foi na terça-feira depois de Le Mans e estava negativo”, afirmou Giancarlo. “Ele contou que ontem, quando acordou, estava um pouco fraco, com febre. Ele repetiu o teste e o PCR foi positivo. Por isso, ele não veio para cá, para este evento. Ele está em isolamento na casa dele para seguir as regras da Itália”, frisou.

O dirigente reforçou, também, que o Mundial de Motovelocidade está cumprindo todas as exigências nacionais para conter o avanço da pandemia.

“Nós, com certeza, estamos seguindo todas as regras de todos os países onde estamos realizando os eventos. Temos de seguir regras restritas, também estamos restringindo mais do que o normal. Estamos tentando fazer o melhor para a segurança de todos dentro do paddock para tentar evitar possíveis infecções”, comentou. “O protocolo está perfeitamente em vigor. Até mesmo no caso de Tony. Ele fez todos os testes nos dias anteriores e sempre deu negativo, mas neste caso, não temos opção a não ser seguir a regras do país. Se eles o consideram algum com contato próximo a um positivo, precisamos apenas seguir as regras. Tomara que ele esteja bem para o próximo evento”, concluiu.

Por enquanto, além de Rossi, o Mundial teve apenas outros dois casos positivos: Jorge Martín perdeu as duas corridas da Moto2 em Misano, enquanto um engenheiro da Yamaha ficou fora da corrida da semana passada. No caso da casa de Iwata, outros cinco profissionais foram isolados por precaução, mas todos com exames negativos.

O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP de Aragão, 11ª etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube