Crutchlow defende Viñales após suspensão da Yamaha na Áustria: “Ele não é perigoso”

A suspensão de Maverick Viñales no GP da Áustria continua dando o que falar na MotoGP. Cal Crutchlow, que corre pela SRT neste fim de semana, defendeu o espanhol e comentou sobre a pressão sofrida pelos pilotos do grid

Imagem onboard relata como Maverick Viñales tentou danificar o motor da Yamaha no fim do GP da Estíria (Vídeo: MotoGP)

A polêmica suspensão de Maverick Viñales continua repercutindo no paddock da MotoGP, inclusive com pilotos defendendo o espanhol em entrevistas. Um deles foi Cal Crutchlow, que está correndo na SRT no lugar do lesionado Franco Morbidelli.

Viñales foi suspenso às vésperas do GP da Áustria. O espanhol foi acusado pela equipe de “operação irregular do equipamento”, ao forçar diversas vezes o motor da moto nas voltas finais da prova na Estíria. Neste sábado (14), se desculpou pela sabotagem da moto, mas a montadora japonesa não mostrou-se muito emocionada com o arrependimento do piloto.

Apesar disso, Crutchlow defendeu o colega de profissão ao ser questionado se estaria seguro na pista contra um piloto que não consegue manter suas emoções.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Cal Crutchlow em ação no Red Bull Ring (Foto: Divulgação/MotoGP)

ASSISTA
Câmera onboard mostra o que Viñales fez com moto da Yamaha no fim do GP da Estíria

“Obviamente estamos falando do Maverick. Eu acredito que se ele subisse na moto na semana seguinte, seria rapidamente como normalmente é. Essa é a realidade. Ele não é perigoso, é um bom piloto, um ótimo piloto que provavelmente é top-3 em talento no campeonato, como esteve em vários anos”, disse o britânico.

“Não cabe a mim comentar o que ele precisa fazer, não tenho nada a ver com isso. Mas se eu me sentiria confortável novamente com ele na pista? Sim”, seguiu.

Crutchlow também comentou sobre a pressão sofrida pelos pilotos do Mundial de Motovelocidade. “Agora, os pilotos são privilegiados porque possuem a oportunidade de correr na MotoGP. Demorei anos para curtir isso”, afirmou.

“Mas todos nós ficamos frustrados. Este trabalho é o melhor no mundo, mas é o mais complicado e muitas vezes a pressão vem de dentro. Quando começa a vir de outras pessoas ao seu redor, aí fica dez vezes pior porque você, o piloto, é seu pior crítico muitas vezes. Logo, você precisa controlar esta situação, as emoções e todo o resto”, finalizou Cal.

A MotoGP volta a acelerar neste domingo (15), com o GP da Áustria, novamente no Red Bull Ring, com largada prevista para 9h (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

LEIA TAMBÉM
Aos 42, Rossi decide por aposentadoria e encerra história na MotoGP em 2021
Maior da história ou não, Rossi teve impacto transformador e popularizou MotoGP
Ídolo, referência e lenda: mundo do esporte a motor reage à aposentadoria de Rossi
Obrigada, Vale
Martín tira atraso de lesão e ratifica adaptação rápida com vitória no GP da Estíria
Fabio Quartararo: 2020 x 2021
Fim triste mostra que relação entre Viñales e Yamaha deveria ter acabado antes

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar