Líder da Moto2, Gardner acerta com KTM e estreia na MotoGP em 2022 com Tech3

Filho de Wayne Gardner, australiano vai estrear na classe rainha do Mundial de Motovelocidade pela equipe que hoje conta com Danilo Petrucci e Iker Lecuona

MotoGP preparou vídeo com imagens da carreira em tributo a Jason Dupasquier (Vídeo: MotoGP)

A KTM anunciou na manhã desta quarta-feira (2) a contratação de Remy Gardner. O australiano, que lidera o campeonato da Moto2, vai estrear na MotoGP em 2022 com as cores da Tech3.

A contratação de Remy não chega como surpresa. Em abril passado, o ex-piloto Wayne Gardner, pai do titular da Red Bull KTM Ajo, já tinha revelado a ligação entre Remy e a casa de Mattighofen. De acordo com o campeão de 1987 das 500cc, o atual contrato do piloto de 23 anos já previa o salto para a divisão principal em 2022.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Remy Gardner vai defender a KTM na MotoGP em 2022 (Foto: Ajo)

LEIA TAMBÉM
⇝ Itália contrasta melhor e pior do esporte e evidencia força extraordinária de pilotos
⇝ Rins abusa de quedas em momentos cruciais e sai da briga pelo título da MotoGP

O acordo com Gardner representa, também, uma mudança no line-up da Tech3, que hoje conta com Iker Lecuona e Danilo Petrucci. O espanhol está na segunda temporada com a equipe, mas ainda não conseguiu resultados expressivos. O italiano, por outro lado, faz o ano de estreia com a RC16.

Rumores indicam, porém, que a Tech3 terá uma mudança completa no elenco, já que além de Remy, Raúl Fernández também seria promovido para elite do Mundial para defender o time de Hervé Poncharal.

“Estou extremamente feliz com o fato de a KTM ter me dado essa oportunidade. É um sonho que se torna realidade para mim e pelo que trabalhamos até este momento”, disse Remy. “É uma chance incrível para mim e mal posso esperar para pilotar a moto. Só quero agradecer a KTM por acreditar em mim. No momento, precisamos focar em terminar 2021 de maneira forte. Só quero agradecer a todos que me apoiaram no caminho para a MotoGP. Só estamos começando”, garantiu.

Com a promoção, Gardner dá o último passo na Academia de GP da KTM e é mais um dos talentos de Aki Ajo a defender a marca, na esteira dos passos de Brad Binder e Miguel Oliveira.

“É um verdadeiro para nós levarmos Remy para a MotoGP na próxima temporada, pois sabíamos da velocidade e da habilidade dele para a Moto2 e ele confirmou esse potencial”, disse Pit Beirer, diretor de esporte a motor da KTM. “Acreditamos que tem muito mais para vir dele e é importante que ele tenha essa oportunidade de seguir crescendo”, defendeu.

“Remy é um piloto típico. É super determinado e nunca desiste. Ele é empolgante de assistir e estamos ansiosos para trabalhar com ele neste próximo passo. Mais uma vez, estamos mostrando que a Academia de GP da KTM pode dar a oportunidade certa para os pilotos que querem ir até o fim”, completou.

Nascido em Sydney, Remy fez a estreia no Mundial em 2014, quando fez três corridas na Moto3 com uma moto da KTM. No ano seguinte, o australiano correu com equipamento Mahindra também na classe menor, antes de pular para a Moto2 em 2016. Durante dois anos, o filho de Wayne defendeu a Tech3, antes de mudar para a SAG, onde ficou também por dois anos. Desde o início de 2021, o piloto corre pela Red Bull KTM.

No total, Remy já soma duas vitórias, outros oito pódios e quatro poles. Além disso, Gardner lidera o campeonato da Moto2 com seis pontos de frente para Raúl Fernández.

“Estamos muito orgulhosos, felizes e confiantes de recebermos Remy”, disse Hervé Poncharal, dono da Tech3. “Acreditamos que ele será um ativo forte no line-p da KTM na MotoGP e acho que esta decisão vai ajudar Remy a focar 100% no campeonato da Moto3 e também vai nos ajudar a focar na temporada 2021. Então, bem-vindo de volta, Remy. Continue lutando e venha se juntar a nós para a aventura na MotoGP em 2022!”, encerrou.

A contratação de Gardner é o segundo anúncio da KTM nesta semana. Na terça-feira, os austríacos confirmaram a renovação do contrato de Brad Binder até 2024.

A MotoGP volta às pistas no próximo dia 6 de junho para o GP da Catalunha. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

LEIA TAMBÉM
⇝ Com apenas 19 anos, Dupasquier morre após grave acidente da Moto3 em Mugello
⇝ Jason Dupasquier, 2001 – 2021
⇝ “Talentoso e promissor”: mundo do esporte a motor reage à morte de Dupasquier

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar