Viñales nota “muita diferença” entre Aprilia e Yamaha, mas destaca que “nível é muito alto”

Falando à emissora italiana Sky após o segundo dia de testes em Misano, o espanhol contou que fazia tempo que não se sentia tão feliz na moto. O ‘Top Gun’ vai debutar com a marca de Noale já no GP de Aragão da próxima semana

Maverick Viñales encerrou o primeiro teste com a Aprilia ciente de que ainda tem um caminho a percorrer, mas satisfeito com a performance da RS-GP. O espanhol ressaltou as diferenças entre a RS-GP e a Yamaha que guiou até guiou até o GP da Estíria, mas ressaltou que o nível do protótipo italiano é muito alto.

Viñales assinou com a Aprilia após a Yamaha optar pelo encerramento do vínculo com o piloto espanhol. Maverick já tinha pedido para antecipar o fim do contrato com Iwata, mas a ruptura que aconteceria só no fim de 2021, foi antecipada mais uma vez após a montadora japonesa constatar que o ex-Suzuki tentou danificar propositalmente o motor da YZR-M1 na primeira corrida da rodada dupla do Red Bull Ring.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Maverick Viñales teve o primeiro contato com a Aprilia em Misano (Foto: Aprilia)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Acertado com a Aprilia, Maverick foi escalado para um teste em Misano nesta semana e, nesta quarta-feira, a equipe comandada por Massimo Rivola confirmou que a estreia será já no GP de Aragão, com o piloto de 26 anos assumindo o lugar que hoje é de Lorenzo Savadori.

Após o primeiro contato com o protótipo de Noale, Viñales reconheceu a grande diferença entre Aprilia e Yamaha e ressaltou que ainda está buscando o total entendimento com a moto.

“Percebi muita diferença em relação a Yamaha, o estilo e as características das duas motos são muito diferentes”, disse Viñales em entrevista à emissora italiana Sky. “No entanto, tenho de melhorar muito, estou longe de poder forçar ao máximo. A moto e o motor são diferentes. Preciso ver como fazer. Mas o trabalho dos pilotos é incrível, o nível é muito alto. Existe diferença, mas podemos melhorar muito a curto prazo”, seguiu.

Ainda em fase de adaptação, já que é a primeira vez dele com um protótipo de motor V4 ― tanto Yamaha quanto Suzuki usam propulsores de quatro cilindros em linha ―, o espanhol de Figueres descartou fazer mudanças na moto, já que é necessário primeiro conhecê-la.

“Agora não faz sentido fazer algum ajuste, pois estou muito longe. Tenho de dar algumas voltas antes de mudar alguma coisa”, reconheceu. “Fazia muito tempo que não me divertia na moto. Agora, o meu objetivo é redescobrir a minha paixão com a equipe. Não será fácil em Aragão, mas me senti bem aqui. Estamos em um bom caminho”, encerrou.

A MotoGP volta a acelerar no próximo dia 12 de setembro, com o GP de Aragão, no MotorLand. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

VEJA TAMBÉM
Quartararo usa receita infalível e ganha terreno em MotoGP de rivais claudicantes
WEB STORY: Raio-x do strike de Marc Márquez no GP da Grã-Bretanha de MotoGP
Yamaha fecha estrutura, corrige tropeço com Morbidelli e dá nova chance a Dovizioso

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar