F1

Agora, sim, Bottas: quem coloca 0s6 em Hamilton em uma classificação mostra que briga pelo título

Nem mesmo um erro no TL3 abalou a confiança de Valtteri Bottas em Barcelona. Decidido a lutar pelo título na aberta disputa dentro da Mercedes, o finlandês foi implacável neste sábado e impôs uma derrota doída e preocupante a Lewis Hamilton. Os 0s6 no grid são a prova definitiva que o nórdico é mesmo candidato ao título de 2019

GRANDE PRÊMIO, de Barcelona / EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba
Se alguém tinha alguma dúvida sobre a capacidade de Valtteri Bottas em 2019, a resposta foi bem dada neste sábado (11), em Barcelona, na Espanha. O finlandês vem um ano decisivo da carreira: encara a pressão de ter apenas essa temporada de contrato, com o incômodo adicional de ter de conviver com a sombra do reserva Esteban Ocon nas garagens, e não pode vacilar. É imperativo que apresente um trabalho de qualidade para defender o cockpit que ocupa, um dos (se não o) mais valiosos do grid da Fórmula 1. Só que às vezes o bom não é o bastante. Somente o excepcional pode servir, e é isso que Bottas faz neste momento. 
 
A versão 2019 de Valtteri em nada lembra a apatia da última temporada. Ainda bem. Em um ano em que a Ferrari oscila demais, a chance de brilhar bateu à porta, e Bottas a agarrou com afinco. O resultado é uma exibição de gala, capaz de ofuscar até mesmo aquele que é considerado o melhor piloto do grid e o único capaz de alcançar os feitos de Michael Schumacher. Mais que isso, fazer esse mesmo cara franzir a testa em sinal de preocupação e até errar. Isso mesmo, hoje o finlandês fez Lewis Hamilton errar.
Valtteri Bottas (Foto: AFP)
O #77 se mostrou superior desde o momento que o fim de semana espanhol da Fórmula 1 teve início. Foi o mais veloz na sexta-feira de treinos livres, na terceira sessão chegou a perder para Hamilton depois de um errinho logo no início, mas voltou a sinalizar força na classificação, quando saiu na fase intermediária e já arrasou o recorde da pista que pertencia ao inglês. Quando realmente foi para valer, Bottas foi ainda melhor em uma volta exuberante e sem erros. Bastou apenas um giro para a pole. Enquanto isso, o pentacampeão lidava com um problema com uma das baterias do motor e, ao fim e ao cabo, não foi capaz de tirar tudo do carro. As duas voltas do Q3 foram muito aquém. Cometeu erros e os 0s6 na tabela são um reflexo do quão perfeito foi o trabalho do companheiro de equipe.

Portanto, a precisão e a frieza de Bottas o colocam, sim, como candidato ao título, um Mundial que tem jeito de que será disputado apenas pela dupla da Mercedes. Essa é a realidade da temporada 2019. Ao menos até aqui. Isso porque a Ferrari parece ainda muito frágil e vulnerável. Nem as robustas atualizações, de motor e aerodinâmica, serviram para colocá-la no encalço da rival alemã. O déficit de aderência e a pouca performance na parte final do circuito catalão depõem contra a equipe italiana e tira a confiança. Ou seja, como bem falou Sebastian Vettel, a escuderia tem bem mais do que só um calcanhar de Aquiles
 
Aliado a isso, tem esse mesmo Vettel pouco confortável na SF90 e um Charles Leclerc errático demais. O monegasco sequer pode garantir se lugar de direito ali na segunda fila. O que resta? Uma disputa mais agressiva entre os pilotos da Mercedes. Somente uma repetição daquele GP espanhol de 2016 pode salvar o fim de semana ferrarista.
Sebastian Vettel (Foto: Ferrari)
Como dito ontem, a esquadra prateada não está bem só em ritmo de classificação, mas principalmente em corrida. Andou de forma consistente e veloz com os pneus médios e tem desempenho até mesmo com os duros. A Ferrari tem a chance com a estratégia, pois larga de vermelhos, como a adversária, mas tem dois jogos novos de amarelos médios, contra um da rival. Quer dizer, se o acaso brindar a F1 amanhã, os italianos têm armas sobrando. De toda a forma, é uma corrida de dois pit-stops em geral. Uma parada pode acontecer, mas em situações mais extremas. 
 
Entre os carros vermelhos, se colocou um ótimo Max Verstappen. Mesmo com a deficiência aerodinâmica e de potência, o holandês se meteu ali em quarto e deve atormentar os homens de Maranello. Logo atrás, vem essa oscilante Haas, que caminha para uma corrida solitária, dada a distância de McLaren e Renault nesta etapa.

O GP da Espanha caminha para uma etapa sem surpresas, pois. Mas deve ditar os rumos da temporada. Para o bem e para o mal. 

A largada da quinta etapa da temporada 2019 do Mundial de F1 acontece neste domingo, a partir de 10h10 (horário de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO, em TEMPO REAL e 'in loco' com o repórter Eric Calduch. Siga tudo aqui.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo 

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.