Com atraso, Fórmula 1 apoia Haas e condena “ações inapropriadas” de Mazepin

Em um breve comunicado divulgado nas redes sociais, a categoria máxima do automobilismo afirmou que “os princípios éticos e a cultura diversa e inclusiva” são prioridades dela e da FIA (Federação Internacional de Automobilismo)

Com mais de 24 horas de atraso, a Fórmula 1 e a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) quebraram o silêncio e condenaram o que consideraram “ações inapropriadas” de Nikita Mazepin. A categoria manifestou apoio à Haas e disse que princípios éticos e diversidade são de “máxima importância” para ela e a entidade máxima do esporte.

Confirmado titular da Haas em 2021, Mazepin postou na noite de terça-feira (9) um vídeo em que apalpava o seio de uma mulher sem consentimento. O russo era passageiro de um carro e estava filmando um amigo ao volante quando vira para trás, mostra a mulher e coloca a mão nela. A moça, então, afasta a mão do piloto da Fórmula 2 e mostra o dedo do meio para a câmera.

Nikita Mazepin teve o comportamento reprovado também pela Fórmula 1 (Foto: Divulgação)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Mazepin ainda fez questão de marcar a moça na postagem e completou com a frase “ela é a melhor”. O vídeo foi apagado pouco depois.

Na quarta-feira, cobrada nas redes sociais por um movimento que subiu a hashtag ‘#WeSayNotoMazepin’ [‘Dizemos não a Mazepin’, no português], a equipe norte-americana condenou o comportamento do piloto que tem um enorme histórico de polêmicas dentro e fora das pistas.

“A Haas não tolera o comportamento de Nikita Mazepin no vídeo recentemente postado na rede social. Ainda, o fato de que a gravação foi colocada em seu perfil também é abominável para o time. A questão está sendo lidada internamente”, escreveu.

Após a declaração da Haas, Nikita se desculpou publicamente e disse que precisa “manter um alto nível como piloto de F1”. O russo, porém, não se dirigiu à mulher exposta no vídeo.

“Gostaria de me desculpar por minhas recentes ações tanto em termos de um comportamento inapropriado quanto ao fato de ter postado nas redes sociais. Lamento pela ofensa que causei e a vergonha que trouxe para a Haas”, disse. “Preciso me segurar e me manter em um alto nível como um piloto de Fórmula 1 e sei que deixei muitas pessoas na mão. Prometo que irei aprender com isso”, completou.

Nesta manhã, foi a vez de a Fórmula 1 e a FIA condenarem o ato do russo, mas, assim como a Haas, tampouco anunciaram alguma medida repreensiva contra Mazepin.

“Nós fortemente apoiamos a Haas na resposta às recentes ações inapropriadas de seu piloto Nikita Mazepin”, disse a Fórmula 1 em um comunicado nas redes sociais assinado em conjunto com a FIA. “Mazepin fez um pedido público de desculpas pela má conduta e essa questão seguirá sendo tratada internamento pela Haas”, seguiu.

“Os princípios éticos e a cultura diversa e inclusiva de nosso esporte são de máxima importância para a FIA e a Fórmula 1”, completou.

LEIA TAMBÉM
+ Mazepin só se desculpa por caso de assédio ter vazado. Haas precisa dar exemplo e demiti-lo

Russo tem histórico de polêmicas dentro e fora das pistas

Na etapa final da temporada 2020 da Fórmula 2, Mazepin empurrou Yuki Tsunoda para fora da pista e teve atitude antidesportiva em briga com Felipe Drugovich. O competidor, que havia terminado no pódio, recebeu duas punições de 5s e caiu para nono, dando o top-3 para o brasileiro.

Na corrida 2 da rodada dupla em Sóchi, se envolveu em um acidente com Jack Aitken e Noburo Matsushita, sendo penalizado em 15 posições no grid por uma “total falta de preocupação com seus companheiros”. Na época, escapou da pista e retornou de forma negligente, causando a confusão.

A lista ainda conta com pedidos de nudes [foto sem roupas] para uma garota para conseguir acesso ao paddock, foi proibido de correr a primeira corrida da temporada 2016 da F3 Europeia após um soco no rosto de Callum Ilot, comentários ofensivos por conta da pandemia do coronavírus, entre tantas outras coisas.

LEIA TAMBÉM
Entre ascensão, queda e recomeço, Pérez coroa carreira persistente com vitória histórica
Revés no GP de Sakhir deixa claro: falta cacife para Bottas ser um piloto de ponta real
Checo Pérez x Hermanos Rodríguez: quem foi o melhor mexicano na Fórmula 1?

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube