F1

Confira declarações dos pilotos após o GP do Bahrein, segunda etapa da temporada 2019 da F1

Uma perda de potência no motor da Ferrari fez Charles Leclerc perder uma vitória certa. Com sorte de pentacampeão, Lewis Hamilton subiu de forma improvável no topo do pódio no GP do Bahrein, enquanto Valtteri Bottas completou dobradinha da Mercedes

Warm Up / Redação GP, de Berlim
O GP do Bahrein deste domingo (31) pode ser resumido em uma palavra: reviravolta. Depois da surpresa inicial da força da Ferrari, superior à Mercedes, a corrida serviu como um balde de água fria. Enquanto Sebastian Vettel rodou sozinho e caiu para quinto, Charles Leclerc teve uma falha mecânica que deixou para Lewis Hamilton uma vitória que parecia certa.
 
Leclerc, sem velocidade nas retas, ficou indefeso contra Hamilton e contra Valtteri Bottas. Os dois fizeram ultrapassagens simples. Max Verstappen parecia destinado a tirar o monegasco do pódio, mas um safety-car causado pelo abandono duplo da Renault mudou os planos.
 
Vettel, incapaz de se recuperar da rodada e consequente perda de asa dianteira, levou o carro ao quinto lugar. Lando Norris foi sexto, somando os primeiros pontos da carreira com estilo. Kimi Räikkönen, Pierre Gasly, Alexander Albon e Sergio Pérez fecharam o top-10.
 
Quatro pilotos não viram a bandeira quadriculada. Além de Nico Hülkenberg e Daniel Ricciardo, com a infame quebra dupla na mesma curva, outros dois tiveram o mesmo destino: Carlos Sainz Jr. e Romain Grosjean, ambos com corridas turbulentas.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
Confira declarações dos pilotos após o GP do Bahrein

Lewis Hamilton, primeiro: 
Hamilton comemora vitória em “corrida difícil” no Bahrein e consola Leclerc após derrota: “Azar extremo”
 
 
 
 
 
 
Kimi Räikkönen, sétimo: “Foi uma boa corrida, tivemos algumas boas brigas. No meio da corrida tivemos um momento um pouco complicado, com o vento e os pneus representando um desafio. Mas no segundo pit-stop o carro se comportou muito bem. Passo a passo, vamos tentar tornar tudo muito mais sólido e vamos fazer mais progressos.”
 
Pierre Gasly, oitavo: "Foi uma corrida bem difícil e ainda não estou completamente confortável com o carro. Assim que eu começo a forçar, tenho dificuldades com a traseira e a tração. Com certeza preciso ver o que melhorar para tirar o máximo do carro e trabalhar com os engenheiros para ver o que pode me dar confiança, porque no momento eu sinto que não posso apertar o ritmo. Preciso fazer um esforço e me adaptar, porque cada carro é diferente. Vou trabalhar junto ao time para encontrar o melhor setup e descobrir qual estilo se encaixa melhor comigo. No geral, acredito que há coisas positivas. O carro melhorou depois da largada, eu consegui terminar nos pontos e agora preciso encontrar áreas em que posso melhorar. Vamos fazer o trabalho e vou fazer qualquer coisa para chegar mais forte na China."
Pierre Gasly (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Alexander Albon, nono: “Foi uma corrida bem movimentada. Senti como se sempre estivesse brigando com alguém em algum momento, sempre tive alguma coisa para fazer. Não fiz minha melhor largada, já que fiquei um pouco tímido na primeira curva, mas depois disso me concentrei e segui em frente. Tivemos uma boa estratégia e um ritmo decente com os pneus médios. No fim das contas, tivemos um pouco de sorte com os abandonos, mas aproveitei. Foi tão difícil com o vento lá fora e isso tornou o carro impraticável, mas fomos bem fortes na corrida, só uma pena a largada. Foi um desafio ultrapassar porque quando você se aproxima de outro carro, os pneus superaquecem e você fica um pouco preso. No entanto, me diverti e foi bom ter essa experiência. Estou muito feliz por marcar meus primeiros pontos na F1 e espero que possamos seguir com esse ritmo na China.”
 
Sergio Pérez, décimo: “É bom somar meu primeiro ponto da temporada. Tivemos uma corrida imprevisível e, nesse sentido, foi uma boa surpresa. Tivemos alguma sorte com a dupla da Renault abandonando, mas ao mesmo tempo o safety-car não ajudou, porque eu estava me aproximando do Albon e perdi a chance de ultrapassar pelo nono lugar. Fiz uma boa largada e ganhei algumas posições, mas não consegui me defender por muito tempo. Depois disso, ainda tive um problema com os freios ficando quentes demais, aí paramos muito mais cedo do que o planejado para retirar detritos dos dutos de freios. Considerando tudo que aconteceu na corrida, dá para ficar satisfeito com um ponto.”
 
Antonio Giovinazzi, 11º: “Foi uma corrida boa, mas desafiadora. Pude fazer alguns avanços e tive um bom ritmo no fim da corrida. Infelizmente, não pude lutar pelo décimo lugar por conta do safety-car. Nós estivemos muito perto dos pontos, e isso é positivo. Agora eu tenho de seguir focado e seguir trabalhando para a próxima corrida, em Xangai.”
 
Daniil Kvyat, 12º: “Esse fim de semana foi um pouco complicado, começando a partir de ontem, onde nós deveríamos ter nos classificado melhor. Na largada, minha roda escorregou muito, o que me colocou no fundão na primeira volta. A partir de então, você tem de lutar para recuperar as posições perdidas, e sem esses problemas acho que teria sido uma corrida melhor para nós. Nosso ritmo foi muito bom hoje, e foi uma pena termos a rodada depois do toque com [Antonio] Giovinazzi. Este fim de semana não foi o mais forte, mas aprendemos algumas lições em cima disso, então espero que possamos encaixar tudo para ter um fim de semana melhor na China.”
Antonio Giovinazzi (Foto: Beto Issa)
Kevin Magnussen, 13º: “Não sei o que aconteceu. Estávamos um pouco receosos em relação ao nosso ritmo de corrida após a sexta-feira, mas eu sinceramente esperava que isso já estivesse resolvido com as mudanças que fizemos. É meio inacreditável que conseguimos nos classificar em sexto, melhor do resto, e depois ficar tão sem ritmo como na corrida, sendo tão bom na classificação. Temos algum dever de casa pela frente.”
 
Lance Stroll, 14º: “Ainda não consegui ver o replay, mas acho que o contato com o Romain [Grosjean] foi incidente de largada. É uma pena que a gente tenha se tocado. Tive danos e precisei de um pit-stop para trocar o bico. Estávamos correndo roda-a-roda e essas coisas acontecem, mas foi custoso porque minha corrida praticamente acabou depois disso. Seguimos correndo e tentando, mas não deu para se recuperar depois de perder tanto tempo.”
 
George Russell, 15º: “Sabemos onde estamos no momento, mas foi uma corrida divertida para mim. Tive algumas belas brigas com Robert [Kubica], então sou grato à equipe por nos permitir disputar, foi divertido. Do ponto de vista pessoal, foi uma corrida muito boa, mas obviamente não é tão divertido terminar em 15º. Nós sabemos onde estamos brigando, mas trouxemos o carro para casa e aprendemos algumas coisas.”
 
Robert Kubica, 16º: “Foi uma corrida muito complicada, mas nós esperávamos por isso. Os problemas de equilíbrio do carro me colocaram numa posição difícil hoje. Ainda, o vento não ajudou, então ficou tudo muito mais complicado, mas tive algumas voltas divertidas quando os pneus estavam novos. No entanto, sabia o que estava por vir, então tive de tomar cuidado com a borracha e garantir que eu manteria o FW42 na pista ao invés de me concentrar na performance.”
Nico Hülkenberg (Foto: Renault)
Nico Hülkenberg, NC: "É definitivamente difícil de engolir. Esse esporte pode ser um pesado algumas vezes. Andei muito bem com muitas batalhas na pista para sair de 17º para sexto, mas, infelizmente, não chegamos à linha de chegada. Vamos olhar para o que aconteceu, mas perdi potência repentinamente e acabou. Foi uma corrida divertida com uma primeira volta louca que eu tinha que resistir e, depois, ficar concentrado. A equipe acertou na estratégia de duas paradas e podemos tirar pontos positivos. Temos que ter fins de semana mais limpos na sequência e não encarar novas decepções."
 
Daniel Ricciardo, NC: "Muito aconteceu na corrida de hoje. Inicialmente parecíamos em ritmo competitivo, por isso nos comprometemos com a estratégia de apenas uma parada. Conforme chegamos ao fim do primeiro stint, dava para dizer que os pneus estavam acabando. Olhando agora, seria melhor fazer duas paradas. Perto do fim, já não conseguia me defender. Queria lutar mais, mas não era possível, infelizmente. E aí veio o problema no MGU-K. Foi um fim de semana de altos e baixos, muita coisa aconteceu, e agora vamos tirar algum tempo para absorver tudo e voltar mais fortes."
 
 
Romain Grosjean, NC: “Não consegui ver nada na largada. Me acertaram por trás e o carro ficou danificado demais para continuar, além de que perdi muito tempo com o furo de pneu enquanto ia aos boxes. Esse é o risco quando você não larga onde quer. Era para termos largada em oitavo, mas as coisas são desse jeito. Acho que vamos ter um bom teste na terça-feira para entender o que aconteceu com o ritmo do carro hoje. É óbvio que não foi a performance que queríamos.”