Indy

Hanley cita calma da DragonSpeed antes de vaga na Indy 500 e destaca: “Somos um grupo novo, mas fechado”

Ben Hanley foi a grande surpresa da classificação para as 500 Milhas de Indianápolis. Com uma DragonSpeed que andava muito atrás do resto, o inglês conseguiu superar diversos adversários e garantiu vaga na corrida ainda no primeiro dia, ficando com o 27º lugar do grid

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Ben Hanley era apontado como principal favorito a não se classificar para as 500 Milhas de Indianápolis. O inglês, em sua primeira temporada na Indy, vinha sofrendo etapa após etapa, sessão após sessão, com uma DragonSpeed que parecia quase em outra categoria em relação ao resto do grid. Só que a recuperação veio na hora certa e Hanley sequer precisou passar pelo Bump Day para garantir vaga na principal prova do calendário.
 
Mesmo andando no fundo do pelotão nos treinos livres, Ben já estava menos atrás que nas corridas anteriores, quando tomou voltas, muitos segundos e fechou em 18º em St. Pete e 21º no Alabama. No primeiro dia da classificação, em sua última tentativa, tudo se encaixou e veio um inesperado 27º lugar no grid. 
 
Só que o piloto inglês garante que, para a equipe, a reação não foi surpresa alguma. Hanley destacou o ambiente tranquilo e o grupo fechado que tem a DragonSpeed.
Ben Hanley classificou-se para a Indy 500 (Foto: IndyCar)
"Todo mundo ficou muito calmo. A gente sabe que somos novos, sabemos que não temos a experiência de outros times, mas somos um grupo fechado. Trabalhamos duro e confiamos uns nos outros. Tem sido um começo de ano difícil, mas temos um bom grupo de trabalho, uma das razões de termos nos classificado é pelas pessoas que nem estão aqui, mas se envolveram no projeto, todos queremos o mesmo resultado e a melhor performance", disse.
 
O piloto reconheceu, no entanto, que o sábado foi mesmo o momento em que o carro ficou no melhor estado e tudo se encaixou para que o tempo viesse. Hanley, assim, acabou derrubando nomes como Felix Rosenqvist e a Ganassi, Zach Veach e a Andretti e, claro, Fernando Alonso e a McLaren.
 
"Foi realmente um dia muito bom, nosso carro foi melhor que em qualquer momento da semana. Talvez eu tenha ido um pouco demais para o risco na última volta, mas vi que estávamos bem consistentes e fomos atrás de uma última grande volta", completou.
 
Além da disputa da Indy 500, a DragonSpeed teve outra novidade na semana, confirmando a saída do WEC e focando esforços apenas na Indy para 2020.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.