Confira declarações dos pilotos após classificação do GP da Áustria de 2020

Com o domínio da Mercedes reconhecido por todos, os pilotos se preparam para o GP da Áustria pensando na batalha por pontos que vai ocorrer no meio do grid

Os pilotos deixaram seus cockpits após o treino de classificação para o GP da Áustria já conformados: a Mercedes disputa a vitória, enquanto o restante briga pelo máximo de pontos que puder.

Assim, esse foi o tom das entrevistas de sábado. E todas elas o leitor do GRANDE PRÊMIO confere aqui.

Dá até pra ver o sorriso de felicidade do Bottas, né? (Foto: Mercedes)

Confira as declarações dos pilotos:

Valtteri Bottas, primeiro: Pole, Bottas avisa que “corrida é o que importa”, mas vê Mercedes “em liga própria”

Lewis Hamilton, segundo: Hamilton exalta “ótimo início” e diz que Mercedes “segue mostrando ser a melhor”

Max Verstappen, terceiro: Verstappen cita estratégia diferente, mas reconhece Mercedes “em outro patamar”

Lando Norris, quarto: 4° no grid na Áustria, Norris mostra surpresa com McLaren na frente da Racing Point

Alexander Albon, quinto: Atrás da McLaren, Albon lamenta resultado que apenas “não é muito ruim”

Sergio Pérez, sexto: Sexto e com mesmo tempo de Albon, Pérez lamenta “falta de vácuo” na Áustria

Charles Leclerc, sétimo: Leclerc lamenta ritmo na Áustria e entrega pontos: “Não acredito em milagre”

Carlos Sainz, oitavo: “Hoje foi um dia bom para a equipe. Podemos ficar contentes com o rendimento do carro depois dos testes de inverno. É bom estar na briga entre os 10 primeiros logo no primeiro final de semana, estou feliz com isso. Pessoalmente, sofri um pouco todo o final de semana, não encontrei o equilíbrio adequado para certas curvas e não pude encontrar a volta final que estava buscando. De todo jeito, acredito que a oitava não é uma má posição de saída e definitivamente vamos brigar pelos primeiros pontos da temporada.”

Lance Stroll, nono: “Estou confiante para amanhã porque acredito que nosso ritmo de corrida é forte. Assim, estaremos na briga por pontos.”

Lance Stroll também se saiu muito bem com a Racing Point ao se colocar em nono (Foto: Racing Point)

Daniel Ricciardo, 10°: “Tive de abortar a última volta por conta da bandeira amarela. Sabemos que poderíamos ter sido melhores do que décimo. Estar no Q3 é positivo para nós, especialmente após o ano passado aqui. É um sinal de progresso. Coisas assim estão fora de nosso controle, então é um pouco frustrante, mas acontece. Vamos ver o que acontece amanhã e tentar ficar no top-8, se não melhor. Estou ansioso para a largada de amanhã.”

Sebastian Vettel, 11°: Eliminado no Q2, Vettel admite surpresa: “Pensei que éramos mais rápidos”

Pierre Gasly, 12°: “Estou satisfeito com meu resultado de hoje. Depois dos treinos de sexta já esperávamos uma classificação difícil para nós, mas conseguimos melhorar algumas coisas durante a noite no carro. Acho que podemos ficar felizes colocando os dois carros no Q2. No momento é onde estamos, mas temos escolha livre de pneus e muita coisa pode acontecer durante a corrida, então espero poder lutar por pontos. O alvo é sempre o mesmo e espero conseguir um bom resultado aqui na casa da Red Bull.”

Daniil Kvyat, 13°: “É difícil saber o que esperar da corrida, já que a classificação foi sobre uma volta, mas a corrida é sobre 71. A classificação foi ok, mas para ser honesto minhas voltas não foram tão boas e sei que deixei tempo na mesa por alguns erros. Mas o ritmo melhorou em relação a ontem. Tiramos tudo que dava do carro nesta tarde. Faltam alguns décimos de segundo para nós aqui, mas essa pista, historicamente, é complicada para nós e estamos em melhor forma do que estávamos ano passado. Largamos em uma posição na qual podemos brigar por pontos.”

Esteban Ocon, 14°: “Não estou muito satisfeito com o dia de hoje já que não conseguimos o que queríamos. Sei que poderia ter feito muito melhor com o que tinha nas mãos. Foram apenas pequenos detalhes que não deram certo. Quero rever o que aconteceu já que a diferença para onde queria estar é bem grande. Vamos dar uma olhada e seguir com o trabalho. Não foi o suficiente hoje, mas amanhã temos o objetivo de chegar mais fortes.”

Romain Grosjean (Foto: Haas)

Romain Grosjean, 15°: “Sabíamos, entrando no treino, que o ritmo de classificação não era tão bom quanto esperávamos, mas era perto do que vimos na pré-temporada. O positivo é que o ritmo de corrida parece melhor que o de classificação, então claro que estou esperançoso de que possamos lutar e nos divertir. Há trabalho a fazer no carro, mas vimos coisas que animam também. Continuaremos trabalhando para ver como terminamos.”

Kevin Magnussen, 16°: “Não classificamos como pensamos. Tinha expectativas levemente superiores e sabia que a equipe também. É decepcionante sair no Q1, mas era o que tínhamos. O P16 obviamente não é fantástico. Fiz meu melhor, pareceu uma volta decente, mas aqui é difícil. No momento, parece que outras equipes são melhores. Sei que estamos trabalhando para melhorar e continuaremos fazendo isso, mas agora o foco é amanhã. O ritmo de corrida no treino de ontem não era ruim em comparação ao da temporada passada. Definitivamente, precisamos de mais: temos de encontrar. Tenho esperanças de que farei meu melhor para tirar algo da corrida.”

George Russell, 17°: “O dia de hoje superou minhas expectativas. Eu sabia que tínhamos dado um passo à frente, mas não achei que estaria nessa posição. Infelizmente perdi o impulso da volta anterior e isso me custou dois décimos, mas foi um grande esforço. Demos um grande passo à frente, o de hoje é o mais próximo que já estive de um ritmo de verdade. A equipe fez um grande trabalho em tirar o máximo de nosso carro. Vamos ver o que podemos fazer amanhã.”

Antonio Giovinazzi, 18°: “Não é o começo que queríamos, mas vamos focar em maneiras de melhorar amanhã. Eu acelerei ao máximo na minha volta final, estava no limite e infelizmente cometei um pequeno erro. Eu sabia que ia precisar de algo especial, mas não funcionou. Esperamos por uma recuperação na corrida. Eu acho que estamos fortes em ritmo de corrida, então se acertarmos na estratégia e ficarmos longe de problemas nas primeiras voltas, acredito que ganharemos posições durante a corrida.”

Kimi Räikkönen, 19°: “Esperávamos um dia difícil, mas é o que temos para agora. Sabia que ficaríamos no limite e encontrar tráfego na parte final da minha volta contribuiu para isso. Temos que encontrar uma maneira de ganhar novamente a competitividade contra nossos rivais. É a primeira corrida e estamos longe de onde queríamos estar, mas há muito para melhor. Amanhã vamos tentar uma recuperação e um bom resultado. Não temos nada a perder, então vamos tentar o melhor possível.”

Nicholas Latifi, 20°: “Estou feliz com minha primeira sessão classificatória considerando o que aconteceu nesta manhã. Cometi um erro bobo no TL3 e não pude completar mais voltas para chegar preparado à classificação. Mas estou feliz com o ritmo e sei que dá para melhorar em questão de tempos e que é possível tirar mais do carro. Espero ter uma corrida limpa.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube