Confira declarações dos pilotos após GP da Hungria, 3ª etapa da Fórmula 1 2020

Dono da pole, Lewis Hamilton venceu com facilidade o GP da Hungria deste domingo (19). Max Verstappen se recuperou de um erro antes da largada para assegurar o segundo lugar e Valtteri Bottas completou o pódio

Lewis Hamilton dominou o GP da Hungria deste domingo (19). Largando na ponta, o #44 liderou todas as voltas, fez a volta mais rápida e terminou a prova com 8s702 de vantagem para Max Verstappen, que bateu antes da largada e foi o segundo colocado. Valtteri Bottas recuperou-se de uma largada ruim e terminou em terceiro, fechando o pódio.

Lance Stroll acabou em quarto, com Alexander Albon superando Sebastian Vettel nas voltas finais para ficar em quinto. Sergio Pérez foi o sétimo, com Daniel Ricciardo em oitavo. Kevin Magnussen, na pista, terminou em nono, mas foi punido em dez segundos e teve a posição final invertida com Carlos Sainz Jr., fechando assim o top-10.

Charles Leclerc voltou a decepcionar e terminou em 11º, seguido por Daniil Kvyat, Lando Norris, Esteban Ocon, Kimi Räikkönen, Romain Grosjean, Antonio Giovinazzi, George Russel e Nicholas Latifi.

Com problemas durante todo o final de semana, Pierre Gasly foi o único abandono da prova húngara, ainda na volta 18.

Largada do GP da Hungria 2020 de Fórmula 1 (Foto: AFP)

Confira as declarações dos pilotos:

Lewis Hamilton, vencedor: Hamilton comemora “grande estratégia” da Mercedes em vitória na Hungria: “Perfeitos”

Max Verstappen, segundo: Verstappen agradece mecânicos “incríveis” e comemora segundo lugar “como vitória”

Valtteri Bottas, terceiro: Bottas explica erro na largada e lamenta “corrida bem ruim” na Hungria

Lance Stroll, quarto: Stroll fala em felicidade por 4º na Hungria, mas Pérez lamenta: “Longe da melhor forma”

Alexander Albon, quinto: 5º, Albon elogia ritmo da Red Bull e ignora investigação: “Não estou preocupado”

Sebastian Vettel, sexto: Vettel diz que Ferrari “voltou ao normal” com 6° na Hungria. Leclerc se decepciona

Sergio Pérez, sétimo: Stroll fala em felicidade por 4º na Hungria, mas Pérez lamenta: “Longe da melhor forma”

Festa na Racing Point pela quarta posição de Lance Stroll (Foto: Racing Point)

Daniel Ricciardo, oitavo: Bastante coisa aconteceu na corrida e, como um todo, estou feliz. Eu fiz de tudo e sinto que tirei o máximo que podia do carro. Nossa largada foi boa e todo mundo ao nosso redor colocou slicks bem cedo. Mostramos bom ritmo com médios e quase alcançamos o top-6 no fim. Oitavo lugar era o máximo possível, e já conseguimos oitavos em cada corrida até aqui. Não é ruim, mas sinto que temos velocidade para ir além. Não estamos longe dos seis primeiros, estamos chegando lá. Sabemos que resultados melhores estão logo ali.”

Carlos Sainz Jr., nono: Norris lamenta falha em largada no molhado na Hungria. Sainz pontua, mas vê “dia duro”

Kevin Magnussen, décimo: “Foi uma boa manobra da equipe [colocar slicks antes da largada]. Eu falei pelo rádio que estava seco demais para intermediários, então fizemos nossa aposta. As primeiras voltas foram complicadas, mas tudo se encaixou depois. O ritmo foi bom. O pneu dianteiro esquerdo começou a se esfarelar porque não o cuidamos tão bem. Estava indo bem, mas depois o Albon fez uma manobra de última hora e me acertou na primeira curva. Acertou minha asa dianteira, que ficou danificada. Fiquei com muito menos ritmo no carro depois. Tentamos algumas coisas, mas não deu para seguir nos pontos.”

Charles Leclerc, 11º: Vettel diz que Ferrari “voltou ao normal” com 6° na Hungria. Leclerc se decepciona

Daniil Kvyat, 12º: “Fiquei feliz com o ritmo de corrida hoje. Ultrapassei alguns carros na primeira volta e fiz uma boa chamada para trocar os pneus no momento certo. Após as paradas nos boxes, acabei atrás de alguns carros que eu já tinha ultrapassado no começo da prova. Preciso rever a corrida para entender isso melhor, pois achei que tinha chance de pontuar hoje, então terminar em 12º não é satisfatório. Ainda estou trabalhando para entender o carro com meus engenheiros e aprendemos muito nas últimas três corridas. Toda volta é importante e vamos tentar diferentes soluções para adequar o carro ao meu estilo de pilotagem para Silverstone.”

Lando Norris, 13º: Norris lamenta falha em largada no molhado na Hungria. Sainz pontua, mas vê “dia duro”

Lando Norris e a McLaren não tiveram bom desempenho no Hungaroring (Foto: McLaren)

Esteban Ocon, 14º: “Foi um fim de semana duro desde o começo. Não estamos felizes, claro, porque não é um grande resultado. Estamos todos decepcionados e só podemos melhorar daqui pra frente. Precisamos aprender, ir em frente e voltar mais fortes. Muita coisa aconteceu na corrida, mas não progredimos em qualquer condição de pista. Precisamos revisar tudo e trabalhar pesado para evitar esses resultados. As duas primeiras provas foram decentes, mas não melhoramos muito para essa.”

Kimi Räikkönen, 15º: “Não foi uma corrida movimentada para mim. Infelizmente, largando da posição que estávamos significava um trabalho muito difícil à frente. Fizemos o possível, mas não foi suficiente para pontos. Nosso ritmo não era ruim, consegui ganhar posições na largada, mas a punição me jogou para o fundo de novo. O grid estava escorregadio, acabei passando do colchete e não tive tempo para dar ré. Poderíamos conquistar mais posições, então é uma pena. Temos de trabalhar para melhorar nossa classificação, mas podemos nos manter positivos pelo desempenho nos domingos.”

Romain Grosjean, 16º: “Foi uma boa manobra da equipe [colocar slicks antes da largada]. Eu falei pelo rádio que estava seco demais para intermediários, então fizemos nossa aposta. As primeiras voltas foram complicadas, mas tudo se encaixou depois. O ritmo foi bom. O pneu dianteiro esquerdo começou a se esfarelar porque não o cuidamos tão bem. Estava indo bem, mas depois o Albon fez uma manobra de última hora e me acertou na primeira curva. Acertou minha asa dianteira, que ficou danificada. Fiquei com muito menos ritmo no carro depois. Tentamos algumas coisas, mas não deu para seguir nos pontos.”

Antonio Giovinazzi, 17º: “Sabia que seria difícil depois da classificação, mas pelo menos podemos ficar satisfeitos com o ritmo que tivemos no fim da corrida. Minha largada foi OK, mas trocamos para os pneus macios na primeira passada e eles estavam longe de ser o melhor composto hoje. Isso me custou muito tempo, e na hora que coloquei os duros, que eram muito melhores, já era tarde para recuperar posições. A pausa antes de Silverstone será muito importante para entendermos o que aconteceu nas últimas semanas. Precisamos trabalhar muito para melhorar o carro e estar em melhor forma na próxima rodada tripla.”

George Russell, 18º: “Fizemos uma largada ruim na pista molhada e estava muito escorregadia. Acho que tudo mundo do lado interno estava sofrendo por alguma razão. A partir daí, nosso ritmo foi muito ruim, precisamos entender o que aconteceu. No ano passado foi o contrário, tivemos um ritmo melhor na corrida do que na classificação. Agora fomos mais rápidos no sábado do que no domingo. Entretanto, se olharmos para os passos dados, especialmente aos sábados, estamos relativamente gratos. Temos muitas coisas positivas, mas precisamos verificar os pontos negativos e fazer o ritmo do carro melhorar.”

Nicholas Latifi, 19º: “Tive boa largada e uma decente primeira volta, então tudo aconteceu nos boxes. Infelizmente pegamos o pitlane muito cheio. Tive um furo no pneu e isso causou muitos danos ao levar novamente o carro para os boxes. Perdemos um pedaço do assoalho, então manter o carro na pista foi bem difícil. Hoje não era meu dia, fui azarado, mas existem pontos positivos para tirar do sábado. Precisamos reiniciar para Silverstone.”

Pierre Gasly, abandonou: “Foi um final de semana muito difícil para nós. Por alguma razão, sofremos o tempo todo com alguns problemas. Hoje tivemos um problema trem de força desde o início da corrida, então abandonamos. É uma decepção, mas tivemos azares ao longo dos dias. Agora temos um tempo até Silverstone e espero estar melhor lá.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube